Para Carlos Sainz, Alonso foi justo em ultrapassagem

Espanhol não reclama de manobra feita por compatriota na última volta do GP dos EUA e revela brincadeiras

Para Carlos Sainz, Alonso foi justo em ultrapassagem
Felipe Massa, Williams FW38 leads Valtteri Bottas, Williams FW38; Nico Hulkenberg, Force India VJM09; Carlos Sainz Jr., Toro Rosso STR11 and Fernando Alonso, McLaren MP4-31
Carlos Sainz Jr., Scuderia Toro Rosso STR11
Carlos Sainz Jr., Scuderia Toro Rosso STR11
Carlos Sainz Jr., Scuderia Toro Rosso STR11, Felipe Massa, Williams FW38
Carlos Sainz Jr., Scuderia Toro Rosso STR11, Felipe Massa, Williams FW38
Carlos Sainz Jr., Scuderia Toro Rosso STR11, Felipe Massa, Williams FW38
Carlos Sainz Jr., Scuderia Toro Rosso STR11
Fernando Alonso, McLaren MP4-31

Em quinto até a última volta da corrida do último domingo em Austin, Carlos Sainz foi ultrapassado pelo compatriota e amigo Fernando Alonso. A manobra saiu meio forçada, com a McLaren saindo da pista no final da reta oposta. Mas, mesmo assim, Carlos crê que a disputa foi justa.

"Nós nos divertimos. Nós jogamos sabendo que poderíamos ir um pouco além da pista", disse Sainz, que terminou a corrida em sexto. "Eu acho que foi uma luta justa. Eu gostei muito.”

"O primeiro comentário dele (Alonso) quando me viu depois da corrida foi: 'você tem um paraquedas na reta. Você é muito lento. Foi muito fácil passar você na reta’. E eu disse: 'sim, eu sei, eu sei. Não me diga agora'.”

"Este foi o seu primeiro comentário. Eu respondi com um insulto: 'você, filho da p***. Você me passou, não devia ter feito isso’. Rindo, claro.”

"Nós rimos, porque nos divertimos bastante. Tenho certeza que para ele ser quinto com a McLaren é muito satisfatório. Estávamos felizes.”

"Estou extremamente feliz com a batalha. Era pelo quinto e não pelo décimo. Estou extremamente feliz que a batalha tenha sido limpa e agradável."

Felipe Massa, da Williams, também estava envolvido na luta, e a manobra de Alonso no brasileiro incluiu um toque e uma investigação da direção de prova.

Sainz sente que, se Massa não tivesse sido passado por Alonso, ele teria sido capaz de manter o brasileiro atrás até o fim da prova para ser quinto.

"Eu estava interessado em manter Massa atrás, porque mesmo que ele tivesse um motor Mercedes, eu tinha a vantagem no setor 1", acrescentou.

"Eu sabia que Fernando não ia ser capaz de passar a Williams, porque com a velocidade máxima da Williams e o DRS aberto ele não teria qualquer vantagem.”

"Eu sabia que ele ia tentar alguma coisa. Teria que ser algo louco como o que aconteceu. Se eles batessem, sabia que estava seguro.”

"Tudo o que aconteceu até duas voltas para o final foi exatamente como planejei. Mas nas duas últimas voltas o pneu acabou.”

compartilhar
comentários
“Rosberg tem tudo a perder”, diz Red Bull sobre título
Artigo anterior

“Rosberg tem tudo a perder”, diz Red Bull sobre título

Próximo artigo

Fittipaldi: Pela F1, Brasil deve se inspirar no México

Fittipaldi: Pela F1, Brasil deve se inspirar no México
Carregar comentários