Presidente da FIA reafirma que Fórmula 1 deve encorajar, não rejeitar, novas equipes

Mohammed Ben Sulayem enfatiza que categoria pode ter até 12 esquadrões no grid

Mohammed Ben Sulayem, President FIA

A entrada de uma nova equipe no grid da Fórmula 1 sempre será motivo de discussões envolvendo quem é contra e quem é a favor da adição. Na visão do presidente da FIA, Mohammed Ben Sulayem, as novas inscrições em potenciais devem ser bem aceitas, não rejeitadas.

Leia também:

Em meio a uma crescente batalha política sobre os planos da Andretti Global de entrar na F1 com o nome Cadillac e apoiado pela General Motors, Sulayem tem sido a única voz até agora que apoiou publicamente as ambições da equipe.

Os detentores dos direitos comerciais da F1, FOM, mais a maioria das equipes no grid, estão céticos sobre o valor agregado que um projeto Andretti-Cadillac poderia trazer para o esporte, e alguns esquadrões pensam que apenas um pagamento compensatório de "diluição" na região de cerca de 500 milhões de dólares justificaria que a operação americana recebesse o aceno de cabeça.

Como o Motorsport.com informou na segunda-feira, a maioria das equipes está incomodada com a politicagem de Andretti e não vê os planos da GM como uma entrada genuína do fabricante, já que pretende rebatizar os motores Renault, além de sentirem que a atual taxa de diluição de US$ 200 milhões está muito aquém do que é realmente necessário para compensar a perda de renda se o dinheiro dos direitos comerciais for dividido com um esquadrão extra.

Embora as equipes não tenham voz formal na aprovação de uma nova entrada no grid, é altamente improvável que a FOM, que decide em cooperação com a FIA, apoie os planos se houver resistência generalizada dos concorrentes atuais. No entanto, Ben Sulayem vê poucas desvantagens em ter mais competidores correndo, acredita que apenas coisas boas podem vir do envolvimento de um fabricante como a GM.

"Hoje existem dois lados da sustentabilidade", disse ele durante uma coletiva de imprensa no Rally Dakar. "Existe sustentabilidade do meio ambiente e existe sustentabilidade do esporte. Se você quer sustentar o esporte, tem que abri-lo para o resto dos fabricantes. E para nós, podemos ter 12 equipes no grid.

Mohammed Ben Sulayem, President FIA

Mohammed Ben Sulayem, President FIA

Photo by: A.S.O.

“Para ter uma grande empresa como a GM, que é uma das cinco maiores do mundo, devemos incentivá-los a vir para a Fórmula 1. É assim que eu gostaria de ver o futuro: ter um OEM com sustentabilidade. "

Embora a maioria das equipes rivais não veja os planos da GM como algo maior do que o que a Alfa Romeo faz na Sauber, Ben Sulayem acha que ter uma empresa dessa magnitude envolvida na F1 muda as coisas para trazer credibilidade ao projeto.

"Um OEM realmente impulsionaria o esporte ainda mais", disse ele. "Eu só preciso de um motivo, se não for para sermos receptivos. Cada parceiro lá [na F1], ou parte interessada lá, deveria receber um OEM, especialmente da América. Você tem três corridas [nos Estados Unidos], e talvez não tenhamos um piloto e com certeza não temos um OEM.

"Dou as boas-vindas a qualquer um para preencher as 12 [vagas], mas equipes adequadas. Aceitamos equipes boas, mas também equipes menores, como Haas e Sauber. Espero que isso mude e possamos ter uma equipe adequada no grid. Será estranho [estar] em 11, e não em 10 ou 12. Mas veremos."

Entende-se também que a FOM, embora cautelosa sobre o projeto da Andretti enquanto avalia outras partes sérias interessadas em entrar, está ansiosa para envolver a GM de uma forma que possa impulsionar a saúde da F1.

Também há sugestões de que, se os planos de Andretti não forem aprovados, a GM ainda poderá entrar com outra equipe. Sulayem também enfatizou que até agora apenas abriu o processo para avaliar possíveis inscrições e ainda não está em um estágio em que esteja pronto para aprovar os planos da Andretti.

"Há a devida diligência", disse ele. "Há um processo, nós esperamos, e ele vai. Como FIA ou presidente, eu não disse que sim [aprovamos]: nós o abrimos. Será que eles vão ter sucesso? Será que eles marcarão as caixas? Será que vão poder estar lá? Não podemos simplesmente ir e confiar no que está acontecendo, temos que olhar para o futuro".

Quer fazer parte de um seleto grupo de amantes de corridas, associado ao maior grupo de comunicação de esporte a motor do mundo? CLIQUE AQUI e confira o Clube de Membros do Motorsport.com no YouTube. Nele, você terá acesso a materiais inéditos e exclusivos, lives especiais, além de preferência de leitura de comentários durante nossos programas. Não perca, assine já!

Podcast #211 - O que esperar da F1 em 2023?

 

ACOMPANHE NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

 
 
 
 
 
 
 

Faça parte da comunidade Motorsport

Join the conversation
Artigo anterior F1: Leclerc admira coragem de Hamilton em usar roupas 'ousadas' no paddock
Próximo artigo F1: Mercedes e Aston Martin farão teste na Espanha em fevereiro

Principais comentários

Ainda não há comentários. Seja o primeiro a comentar.

Cadastre-se gratuitamente

  • Tenha acesso rápido aos seus artigos favoritos

  • Gerencie alertas sobre as últimas notícias e pilotos favoritos

  • Faça sua voz ser ouvida com comentários em nossos artigos.

Motorsport prime

Descubra conteúdo premium
Assinar

Edição

Brasil