Renault: não há desculpa para falta de confiabilidade

Cyril Abiteboul diz que não há razão para a equipe sofrer com confiabilidade após Nico Hülkenberg enfrentar problemas que custaram o quinto lugar no GP da Grã-Bretanha

Renault: não há desculpa para falta de confiabilidade
Jolyon Palmer, Renault Sport F1 Team RS17 pit stop
Jolyon Palmer, Renault Sport F1 Team RS17 stops on track on the parade lap
Nico Hulkenberg, Renault Sport F1 Team RS17
Marshals remove the retired Jolyon Palmer Renault Sport F1 Team RS17
Nico Hulkenberg, Renault Sport F1 Team RS17
Nico Hulkenberg, Renault Sport F1 Team RS17
Nico Hulkenberg, Renault Sport F1 Team RS17
Nico Hulkenberg, Renault Sport F1 Team RS17

Apesar de Nico Hülkenberg ter obtido o melhor resultado do ano em Silverstone, terminando em sexto, o alemão perdeu a chance de terminar em quinto após enfrentar um problema no ERS na parte final da prova.

Com a perda de potência, o germânico nada pode fazer para evitar que Daniel Ricciardo o superasse e ganhasse a posição.

"Nas voltas finais, perdi um pouco de potência. Não tenho certeza do que aconteceu, mas fato é que perdemos um pouco de velocidade de reta", disse Hülkenberg.

Com o problema do alemão e o abandono de Jolyon Palmer ainda na volta de apresentação, Cyril Abiteboul, chefe da Renault, diz que o foco do time deve ser resolver os problemas de confiabilidade o quanto antes.

"Ainda estamos insatisfeitos com a confiabilidade, pois se você olhar para a corrida, os dois carros sofreram. Sabemos que é nossa fraqueza e precisamos resolver isso", disse o dirigente ao Motorsport.com.

"Sinceramente, não há nenhuma razão para sofrermos desse jeito, tendo em vista o nível em que estamos em nosso programa. O desempenho está na direção correta, então nosso foco deve ser na confiabilidade."

Embora reconheça que Hülkenberg poderia ter segurado Ricciardo não fosse o problema no ERS, Abiteboul celebrou o melhor final de semana da equipe em 2017.

"Tivemos uma corrida forte, sem erros e com boa estratégia. Creio que sem a perda de potência poderíamos ter segurado os ataques de Ricciardo. Precismamos entender exatamente o que aconteceu, pois o prejuízo poderia ter sido muito maior se tivéssemos mais voltas pela frente", completou.

compartilhar
comentários
Kubica pode andar com Renault de 2017 em teste na Hungria

Artigo anterior

Kubica pode andar com Renault de 2017 em teste na Hungria

Próximo artigo

Barcelona e Hungaroring recebem testes de temporada em 2018

Barcelona e Hungaroring recebem testes de temporada em 2018
Carregar comentários