F1: McLaren 'manda a real' e diz que teme "surpresa desagradável" da Red Bull

CEO e chefe de equipe do time de Woking adotam postura quanto à escuderia taurina

Zak Brown, CEO, McLaren Racing

Zak Brown, CEO, McLaren Racing

Mark Sutton / Motorsport Images

A McLaren está ciente da possibilidade de a Red Bull provocar uma "surpresa desagradável" na Fórmula 1 este ano ao dar um grande passo à frente com seu carro de 2024.

Embora a própria Red Bull tenha minimizado a possibilidade de repetir um domínio tão grande como no ano passado -- quando venceu todas as corridas, com exceção de uma --, seus rivais estão com o 'pé atrás'. 

O editor recomenda:

E a McLaren, que terminou o ano como a adversária mais consistente da Red Bull, está especialmente cautelosa com a situação porque sabe que a equipe campeã interrompeu o desenvolvimento de seu carro de 2023 mais cedo. 

Isso significa que a Red Bull tem sido capaz de se concentrar em grandes ganhos para seu carro de 2024, que não foram vistos em público. 

Falando no lançamento da pintura do carro de 2024 da McLaren, o CEO da equipe, Zak Brown, disse que seu time espera perseguir a Red Bull este ano, mas que tem de ser realista. 

"É claro que queremos continuar a diminuir a diferença", disse ele. "Terminamos o ano passado como a segunda ou terceira equipe mais rápida, dependendo do circuito em que estivéssemos".  

"O desenvolvimento do nosso carro foi sido forte, mas a Red Bull parece não ter se desenvolvido no ano passado no nível que poderia, se quisesse. Portanto, isso pode ser uma surpresa desagradável para todos nós." 

A McLaren está otimista com os números encorajadores que está obtendo de suas instalações de simulação -- túnel de vento e CFD (túnel de vento virtual) -- em relação ao passo adiante que deu com seu carro MCL38 2024. 

Lando Norris, McLaren livery

Foto de: McLaren

Lando Norris, uniforme da McLaren

No entanto, o chefe da equipe, Andrea Stella, concordou com a cautela de Brown em relação a essa elevação no desempenho, especialmente porque ele sabe que a Red Bull não ficou parada na intertemporada. 

"Quando se trata de competitividade na pista, isso depende do que o adversário fez", afirmou Stella.

"Quando pensamos especificamente na Red Bull, há um elemento que, obviamente, acho que coloca todos em dúvida sobre o que vai acontecer em 2024. É o fato de que eles não desenvolveram muito seu carro [no final do ano passado]." 

"Portanto, a pergunta é: eles ganharam dinheiro e acumularam desenvolvimento que capitalizarão para o carro do próximo ano? Essa é a minha teoria."  

"Não posso pensar que a Red Bull não estava em condições de desenvolver seu carro e, por isso, pode ter decidido não fornecer atualizações. Certamente, isso pode significar que seu gradiente [de melhoria] continuou." 

Ele acrescentou: "Eu diria que a Red Bull deve ser extremamente competitiva e veremos onde estamos, e veremos que tipo de desafio seremos capazes de estabelecer na pista". 

"Mas, para mim, para nós, é importante que vejamos que estamos fazendo um bom trabalho com nosso próprio desenvolvimento de desempenho. Estamos confiantes de que, se continuarmos fazendo isso, com o tempo, teremos a oportunidade de diminuir a diferença. Portanto, essa é a nossa visão para o futuro."

DRUGOVICH e BORTOLETO na mesma equipe de F1? Brasileiros falam sobre 2024 e ALÉM na ASTON e McLAREN

Norris na RBR? Sainz? Albon e franceses no centro dos rumores da F1

 

ACOMPANHE NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

Faça parte do nosso canal no WhatsApp: clique aqui e se junte a nós no aplicativo!

Be part of Motorsport community

Join the conversation
Artigo anterior Podcast #265 - Norris na Red Bull? Sainz? Albon e franceses no centro dos rumores de mercado
Próximo artigo Os horários de todas as corridas de Fórmula 1 em 2024

Top Comments

Ainda não há comentários. Seja o primeiro a comentar.

Sign up for free

  • Get quick access to your favorite articles

  • Manage alerts on breaking news and favorite drivers

  • Make your voice heard with article commenting.

Motorsport prime

Discover premium content
Assinar

Edição

Brasil