Rosenqvist: 'Tive que dirigir 40 voltas com apenas um braço'

compartilhar
comentários
Rosenqvist: 'Tive que dirigir 40 voltas com apenas um braço'
Por:
11 de mar de 2019 23:54

Estreante da IndyCar pela Ganassi, sueco ficou com a quarta posição na primeira corrida da temporada, em St Pete

Quarto colocado em seu primeiro GP na IndyCar, o sueco Felix Rosenqvist, da Ganassi, revelou que teve um problema no nervo que o forçou a dirigir com apenas uma mão por boa parte da corrida de São Petersburgo: “Eu travei um nervo no meu braço direito e tive que dirigir as últimas 40 voltas basicamente com apenas um braço”.

"Esta foi a corrida mais difícil que já fiz. Estou exausto. Dirigir assim por mais de duas horas é um verdadeiro desafio físico e mental. Estou feliz por ter intensificado meu treinamento na intertemporada e orgulhoso de ter conseguido o que fiz hoje. Temos uma ótima plataforma para aproveitar o resto da temporada”.

Leia também:


Rosenqvist também disse ao Motorsport.com que sua ultrapassagem sobre o pole Will Power para assumir a liderança era uma manobra planejada, mas que a linha de dentro da curva 1 estava escorregadia. "Havia resto de borracha, mesmo depois de cinco voltas", disse. “Ainda assim foi calculado porque comecei a frear muito cedo, mas acho que foi realmente dramático porque travei as rodas dianteiras".

“A partir daí, foi muito bom, mas perdi nos pitstops. Na primeira parada eu não consegui engatar a marcha e na segunda parada eu saí lado a lado com o Power. Pensei que talvez ele pudesse ter me dado mais espaço, mas sinceramente não sei quais são as regras. Sem problemas”.

Felix Rosenqvist

Felix Rosenqvist

Photo by: Porsche Motorsport

O sueco comemorou a boa estreia, mas gostaria de ter ido mais longe: “Estou satisfeito. Um pouco desapontado por não estar no pódio, mas você não pode ganhar todas. Estamos aqui para aprender e marcar bons pontos em todas as corridas e foi isso que fizemos”.

Rosenqvist destacou também o alto nível dos rivais na corrida de St Pete: “Esses caras são muito bons, especialmente Scott Dixon e Will. Correndo contra eles, você sempre aprende alguma coisa. É bom, eles continuam empurrando você para frente”.

Rosenqvist será uma ameaça

Dixon, Power e Josef Newgarden fizeram muitos elogios a Rosenqvist no fim de semana. “Ele tem uma tonelada de experiência em tantos carros diferentes, por isso tem conseguido pensar fora da caixa”, comentou Dixon, companheiro de Rosenqvist. "É um cara forte, muito comprometido e, obviamente, muito talentoso. Vai ser uma boa luta o ano todo”.

Power, da Penske, também falou bem do sueco: "Ele fez um ótimo trabalho durante todo o final de semana para se classificar e correr do jeito que fez. Muito forte na corrida, como você esperaria. Ele é um novato, mas obviamente vai ser muito forte”.

Newgarden, parceiro de Power e vencedor em St Pete, disse que Rosenqvist será "muito difícil de vencer neste ano. E ele vai melhorar o Scott. Nós já vimos esse final de semana. Felix vai realmente fazê-lo trabalhar mais duro”.

Próximo artigo
IndyCar estuda realizar corrida na Argentina

Artigo anterior

IndyCar estuda realizar corrida na Argentina

Próximo artigo

Alonso reestreia na Indy em teste no Texas

Alonso reestreia na Indy em teste no Texas
Carregar comentários

Sobre esta matéria

Categoria IndyCar
Evento St. Pete
Pilotos Felix Rosenqvist
Equipes Chip Ganassi Racing
Autor David Malsher