Iannone revela 'desobediência' à dica da Michelin em vitória

Andrea Iannone afirma que decidiu ir contra recomendação da fabricante francesa em relação à escolha de compostos para a prova em que conquistou primeira vitória na MotoGP

Iannone revela 'desobediência' à dica da Michelin em vitória
Andrea Iannone, Ducati Team, Andrea Dovizioso, Ducati Team
Andrea Iannone, Ducati Team, Jorge Lorenzo, Yamaha Factory Racing
Start: Andrea Iannone, Ducati Team leads
Podium: second place Andrea Dovizioso, Ducati Team, race winner Andrea Iannone, Ducati Team, third place Jorge Lorenzo, Yamaha Factory Racing
Race winner Andrea Iannone, Ducati Team
Andrea Iannone, Ducati Team, Andrea Dovizioso, Ducati Team
Race winner Andrea Iannone, Ducati Team
Race winner Andrea Iannone, Ducati Team
Polesitter Andrea Iannone, Ducati Team
Valentino Rossi, Yamaha Factory Racing, Andrea Iannone, Ducati Team
Andrea Iannone, Ducati Team
Carregar reprodutor de áudio

Neste domingo (14), Andrea Iannone venceu o GP da Áustria e conquistou o primeiro triunfo da carreira na MotoGP. O italiano, que largou na pole position, teve que superar Andrea Dovizioso, companheiro de equipe na Ducati, com quem teve uma batalha difícil para enfim vencer na classe principal do Mundial de Motovelocidade.

Após a vitória, Iannone revelou que a escolha de última hora pela combinação de pneu macio na dianteira e médio na traseira foi fundamental para a conquista no Red Bull Ring. O italiano tomou tal decisão desobedecendo a recomendação da Michelin - médio na frente e duro na traseira, como fizeram os demais pilotos que andaram na frente neste domingo.

"Foi um risco alto, pois sabia que tinha boas chances de brigar pela vitória, mas os demais estavam com pneus mais duros do que eu. Testei as duas combinações - macio/médio e médio/duro - no sábado e a segunda se mostrou ruim para mim, já que eu perdia muito rendimento após seis ou sete voltas. Era difícil para mim, especialmente no lado direito", disse.

"No TL4, testei a opção com os compostos mais macios, completando 22 voltas e sendo rápido até o final. Quando voltei aos boxes, falei com meus engenheiros e com a Michelin, explicando que achava que era a melhor opção para a corrida. Mas a Michelin não concordou totalmente comigo. Hoje escolhi acreditar na minha percepção", afirmou, destacando que a decisão foi tomada nos últimos instantes, antes da largada.

"Primeiramente, tinha decidido seguir a opção mais dura, como os demais. Mas no último momento, eu tinha certeza do meu trabalho e dos meus engenheiros, então acabei optando pela combinação mais macia", contou.

"Meus engenheiros ainda me questionaram: 'Qual o motivo para você querer estes pneus? Você pode seguir a escolha dos demais e ainda teremos uma boa chance'. Mas acreditei em mim mesmo e creio que foi uma decisão firme", acrescentou.

Administrando a prova

Iannone, considerado por muitos um piloto que não é de pensar muito na corrida e simplesmente acelerar, contou ainda que segurou o ritmo na primeira parte da prova, administrando o desgaste dos pneus e o consumo de combustível antes de reassumir a liderança da corrida.

"Foi uma corrida incrível. Andrea (Dovizioso) estava muito rápido e forte nas freadas. Além disso, Jorge (Lorenzo) forçou bastante o ritmo no início para ficar na minha frente", disse.

"Eu tentei administrar a corrida da melhor maneira, não queria forçar. Foi importante não dar o máximo nos pneus para não patinar e escorregar no fim. Também controlei o consumo de combustível - na primeira metade, usei menos. Quando mudei o mapeamento do motor, a moto rendeu mais. Com o apoio dos caras no box, tivemos uma estratégia perfeita e estou muito feliz", completou.

compartilhar
comentários
Mesmo terminando em 5º, Márquez segue líder; confira tabela
Artigo anterior

Mesmo terminando em 5º, Márquez segue líder; confira tabela

Próximo artigo

3º, Lorenzo celebra resultado e fim de “fase negativa"

3º, Lorenzo celebra resultado e fim de “fase negativa"