Últimas notícias

Ideia de chamar Zarco para a LCR "surpreendeu" chefes da Honda

Equipe cogitou chamar Bradl, mas Honda disse que o piloto não estaria disponível e Zarco acabou sendo o escolhido pela a experiência na MotoGP

Johann Zarco, LCR Honda

O chefe da equipe LCR, Lucio Cecchinello, disse que a Honda ficou "surpresa" com sua ideia de convidar Johann Zarco, piloto da KTM, para substituir Takaaki Nakagami nas três últimas corridas da MotoGP em 2019.

Leia também:

O Motorsport.com revelou no início desta semana que Nakagami será submetido a uma cirurgia por conta de uma lesão no ombro após a corrida no Japão e que será substituído por Zarco nos GPs da Austrália, da Malásia e de Valência - notícias confirmadas oficialmente nesta quarta-feira.

Zarco saiu da KTM após a corrida em Misano no mês passado, já tendo pedido que seu contrato de dois anos fosse rescindido antecipadamente em meio a uma temporada difícil.

Cecchinello admite que o piloto de testes da HRC, Stefan Bradl – piloto de testes da Honda que substituiu Cal Crutchlow na equipe nas duas últimas etapas do ano passado - foi sua primeira escolha, mas a necessidade de desenvolvimento da moto de 2020 da Honda deixou Zarco como o única opção viável.

"É claro que Bradl foi nossa primeira opção", disse Cecchinello. “Quando discutimos com a Honda sobre a possibilidade de tê-lo como substituto, eles infelizmente nos disseram que Bradl tem uma agenda muito ocupada com o desenvolvimento da nova moto”.

"Não havia certeza de que ele estaria disponível para a corrida da Malásia, etapa muito importante para nosso patrocinador Idemitsu, e para outros parceiros. Finalmente entendemos que Bradl não era uma opção, então quem mais?

Johann Zarco
Johann Zarco
Johann Zarco
Johann Zarco
Johann Zarco
Johann Zarco
Johann Zarco
Johann Zarco
Johann Zarco
Johann Zarco
Johann Zarco
Johann Zarco
Johann Zarco
Johann Zarco
Johann Zarco
Johann Zarco
16

“Como gerente, preciso de um piloto profissional capaz de subir na moto e fazer um trabalho bem feito sem correr muitos riscos, porque também seria perigoso colocar um jovem nessa moto”.

“Então, pensando em alguém com o perfil, tive a ideia de chamar Zarco. Antes de entrar em contato com ele, conversei com a Honda e eles ficaram um pouco surpresos, mas depois de algumas horas eles disseram: 'OK, vá em frente e pergunte a ele'”.

Acredita-se que a Honda tenha visto isso como uma oportunidade de avaliar Zarco como potencial substituto de Jorge Lorenzo na equipe de fábrica para o próximo ano. O futuro do tricampeão continua incerto, apesar de ter se comprometido a cumprir seu contrato após rumores de que retornaria para a Ducati com a Pramac.

Supõe-se também que Zarco esteja perto de assinar um acordo com a Yamaha para se juntar à equipe de testes da marca, embora não esteja claro em que ponto estariam as negociações.

Com os dois pilotos da LCR sem contrato para 2021, Cecchinello admite que a Zarco "pode ​​ser uma opção" para o futuro do time.

"Ele é um piloto definitivamente competitivo", acrescentou. "É bicampeão mundial na Moto2, mostrou-se competitivo na MotoGP, fazendo uma temporada muito boa em 2018, e foi estreante do ano [em 2017].

“Acredito que estejamos procurando pilotos porque o mercado estará aberto para 2021. Então, podemos dizer que ele pode ser uma opção para a nossa equipe, caso Cal decida se aposentar ou não renove o acordo com a equipe”.

MotoGP retorna ao Brasil em 2022

Conforme antecipado pelo Motorsport.com, a categoria rainha da motovelocidade mundial voltará ao Brasil na temporada 2022. A etapa brasileira ocorrerá no Rio de Janeiro, no circuito Rio Motorpark, ainda a ser construído na região de Deodoro.

Três locais já receberam provas da MotoGP no Brasil. De 1987 a 1989, Goiânia recebeu as principais motos e pilotos do mundo. Em 1992, foi a vez de Interlagos ser o palco. De 1995 a 2004, o extinto autódromo de Jacarepaguá, no Rio, fez parte do calendário.

Pela categoria principal, as 500cc, Valentino Rossi é o recordista de vitórias, com quatro triunfos. Mick Doohan tem dois êxitos e Makoto Tamada foi o último ganhador da etapa brasileira. Veja fotos da MotoGP no Brasil abaixo:

Rio de Janeiro:

Valentino Rossi, Honda
Valentino Rossi, Carlos Checa e Max Biaggi
Valentino Rossi, Honda
Valentino Rossi, Honda
Valentino Rossi, Honda
Valentino Rossi, Honda
Valentino Rossi, Honda
Valentino Rossi, Repsol Honda Team
Makoto Tamada, Max Biaggi e Nicky Hayden,
Nicky Hayden, Repsol Honda Team
Nicky Hayden, Repsol Honda Team
Valentino Rossi cai
Vencedor de 2004: Makoto Tamada
Goiânia:

Sito Pons, Campsa Honda
Sito Pons, Campsa Honda
Sito Pons, Campsa Honda
Randy Mamola, Cagiva
Fiorenzo Fanali, Kel Carruthers, Giacomo Agostini, Eddie Lawson
Eddie Lawson, Agostini Yamaha, Rob McElnea, Suzuki Pepsi Cola
Eddie Lawson, Agostini Yamaha
Eddie Lawson, Agostini Yamaha
São Paulo (1992):

Mick Doohan, Honda
Mick Doohan, Honda
Mick Doohan, Honda
Mick Doohan e Dr. Claudio Costa
Mick Doohan, Honda
Mick Doohan, Honda
27

Faça parte da comunidade Motorsport

Join the conversation
Artigo anterior MotoGP: Honda LCR confirma renovação e ausência de Nakagami em 2019
Próximo artigo Márquez diz não se importar com dificuldade para guiar Honda por moto ser mais rápida

Principais comentários

Ainda não há comentários. Seja o primeiro a comentar.

Cadastre-se gratuitamente

  • Tenha acesso rápido aos seus artigos favoritos

  • Gerencie alertas sobre as últimas notícias e pilotos favoritos

  • Faça sua voz ser ouvida com comentários em nossos artigos.

Motorsport prime

Descubra conteúdo premium
Assinar

Edição

Brasil