Rossi admite queda da Yamaha no meio da temporada da MotoGP

Lenda da categoria explica como vê o recorrente "problema" da Yamaha em ser superada pelos rivais

Rossi admite queda da Yamaha no meio da temporada da MotoGP

As esperanças de Valentino Rossi sobre a atual temporada da MotoGP ficaram maiores após dois pódios consecutivos na Argentina e EUA, mas caíram nas últimas corridas, culminando em uma terrível prova em casa, em Mugello, em que ele se classificou na 18ª posição e caiu durante a corrida.

Com o companheiro de equipe, Maverick Vinales, também incapaz de ser consistentemente na frente, a Yamaha enfrenta agora uma terceira temporada consecutiva na qual parece improvável se manter na briga no título de MotoGP.

Leia também:

Questionado sobre essa tendência da Yamaha de perder terreno após um sólido início de temporada, Rossi disse: “Acho que isso aconteceu em 2016, 2017, 2018 e também agora.”

“Para mim, é porque nossos oponentes trazem muitas coisas novas e precisam de algumas corridas para se acertarem. Normalmente estamos mais prontos no começo porque tentamos coisas muito melhores. Usamos essa vantagem no começo porque os outros não estão prontos.”

“Mas depois, quando os outros consertam seus problemas, para nós fica mais difícil.”

Rossi reiterou que sentiu que a Yamaha não progrediu muito desde o início da era da Michelin na MotoGP em 2016.

“Para mim, até a primeira metade de 2016, talvez a Yamaha fosse a mais forte do grid. Com Bridgestone, em 2015 eu briguei pelo título com Jorge Lorenzo e ambos fizemos mais de 320 pontos. Isso significa que se você olhar os fabricantes, já são 650 pontos, é uma quantia incrível.”

“Mas depois, a partir da segunda metade de 2016, os outros conseguiram grandes melhorias e parece que estamos atrasados ​​porque nos últimos anos, sinceramente, se você olhar nosso desempenho, somos mais ou menos os mesmos. Para mim, isso é um problema.”

Rossi se sentiu mais confortável com a versão 2019 da moto do que a antecessora, mas foi prejudicado por um crescente déficit de alta velocidade para as motos rivais.

E dada a sua performance nas últimas corridas, o italiano admitiu que não espera um pódio na próxima corrida, em Barcelona.

"O que podemos fazer é continuar concentrados e tentar não cometer erros durante os treinos, talvez passamos muito tempo tentemos coisas diferentes, porque também somos a equipe da fábrica, então quero tentar melhorar a moto."

"Talvez fique mais concentrado e tente o máximo, mas para mim com esta situação é muito difícil lutar por um pódio também em Barcelona."

Colaborou Oriol Puigdemont

compartilhar
comentários
Veja vídeos e fotos da espetacular volta final do GP da Itália da MotoGP
Artigo anterior

Veja vídeos e fotos da espetacular volta final do GP da Itália da MotoGP

Próximo artigo

Após experiência de Dovizioso, Rossi "prometeu" correr no DTM em breve

Após experiência de Dovizioso, Rossi "prometeu" correr no DTM em breve
Carregar comentários