Opinion

ANÁLISE F1: Os perigos da Red Bull renovar com Pérez

Um novo contrato de dois anos para Sergio Pérez mostra a intenção da Red Bull de manter o status quo, mas os pontos de interrogação sobre o mexicano continuarão

Max Verstappen, Red Bull Racing, Sergio Perez, Red Bull Racing

De alguma forma, a notícia de que a Red Bull renovou o contrato com Sergio Pérez por mais duas temporadas, elevando sua permanência na equipe para seis anos, não é uma surpresa. Mas talvez devesse ser, considerando o desempenho do mexicano ao lado de Max Verstappen.

É possível argumentar que essa é a decisão errada para a Red Bull e, de fato, para a Fórmula 1.

Qualquer fã neutro quer que os assentos mais altos sejam ocupados pelos melhores pilotos. É lógico que você gostaria de ter o máximo de competição possível na frente. E, do ponto de vista de uma equipe, você normalmente quer pontuar o máximo possível com os dois carros. Os pontos do campeonato de construtores significam, literalmente, prêmios.

Leia também:

A Red Bull tem um carro dominante o suficiente para não ter que se preocupar com isso desde que as regras de efeito solo chegaram em 2022. Mas evidências recentes sugerem que o grid está se recuperando - a Ferrari está apenas 24 pontos atrás na classificação dos construtores - e a Red Bull pode não ter esse luxo no futuro. Considerando a alta qualidade de tudo o que a equipe faz, parece um pouco estranho ter essa brecha em sua 'armadura'.

Para aqueles que acham que estamos sendo duros com Pérez, uma figura popular que ganhou uma chance em uma equipe de ponta após anos de forte desempenho no meio do grid, vamos analisar alguns fatos.

Perez hasn't had a glittering start to the season and currently sits fifth in the standings heading to Montreal

Pérez não teve um início de temporada brilhante e atualmente está em quinto lugar na classificação rumo a Montreal

Foto de: Sam Bloxham / Motorsport Images

Em primeiro lugar, olhando os super tempos, Pérez é o piloto com pior desempenho em comparação com seu companheiro de equipe em 2024, ficando a frente apenas de Logan Sargeant na Williams.

Os super tempos são baseados na volta mais rápida de cada piloto em cada fim de semana de corrida, expressos como uma porcentagem da volta mais rápida geral (100,000%) e calculados como média durante a temporada. Em outras palavras, é uma medida de ritmo bruto:

Diferença entre os super tempos mais rápido e mais lento

PDV Equipe Pilotos Diferença (segundos)
1 Alpine Ocon-Gasly 0.051
2 McLaren Norris-Piastri 0.087
3 Mercedes Russell-Hamilton 0.190
4 Aston Martin Alonso-Stroll 0.233
5 RB Tsunoda-Ricciardo 0.329
6 Ferrari Leclerc-Sainz 0.351
7 Haas Hulkenberg-Magnussen 0.516
8 Sauber Bottas-Zhou 0.542
9 Red Bull Verstappen-Perez 0.642
10 Williams Albon-Sargeant 0.914

Alguns argumentarão que Verstappen é uma referência difícil e, visto que o holandês já está se tornando um dos grandes nomes da F1, isso é verdade. Mas isso não leva em conta dois aspectos.

O primeiro é que as equipes de ponta tendem a empregar os melhores pilotos, você sempre enfrentará os melhores na frente e Pérez não é o único a ter um colega difícil.

Perez hasn't won a race since Baku last year, and missed out on a golden opportunity at Miami in 2023 to Verstappen

Perez não vence uma corrida desde Baku, no ano passado, e perdeu uma oportunidade de ouro em Miami, em 2023, para Verstappen

Foto de: Andy Hone / Motorsport Images

A outra é que nenhum piloto, por mais brilhante que seja, pode fazer um carro ser mais rápido do que ele realmente é. Os melhores podem chegar a 99%, mas não podem desafiar a física: o trabalho de um piloto muito bom contra um excelente é chegar o mais perto possível.

A diferença de Pérez para Verstappen em termos de velocidade bruta também tem sido bastante consistente. Em 2021, ele ficou 0,7% atrás em média durante a temporada, em 2022, 0,545% e em 2023, 0,761%. Essas são grandes lacunas em um contexto moderno da F1.

Para fins de comparação, Valtteri Bottas ficou 0,116% atrás de Lewis Hamilton em suas cinco temporadas juntos, enquanto em 2018 Daniel Ricciardo ficou 0,138% atrás de Verstappen. Alex Albon, um piloto de F1 muito menos experiente do que Pérez, ficou 0,784% atrás de Verstappen em 2020 e perdeu seu carro na Red Bull.

Você poderia argumentar que a velocidade bruta não é o maior ponto forte de Pérez, que ele é melhor nas corridas. Mas, mesmo lá, ele raramente consegue se aproximar de Verstappen, que provou ser melhor em manter a vida útil dos pneus enquanto dá voltas rápidas, algo que antes era considerado um ponto forte do mexicano.

No início de 2022, o Motorsport.com assumiu o desafio de encontrar os melhores pilotos número dois da história da F1. Durante essa pesquisa, escolhemos três classes de companheiros de equipe com base na porcentagem da pontuação do número um.

Se um piloto obtivesse 80% ou mais da pontuação do líder da equipe, isso significava que a equipe tinha dois números um iguais ou, pelo menos, um "número 1,5" próximo o suficiente para dar dor de cabeça ao piloto líder.

Como torcedores, esse é o tipo de combinação que mais queremos ver, mas pode ser problemático para as equipes, como ficou famoso com Nigel Mansell e Nelson Piquet na Williams, e Ayrton Senna e Alain Prost na McLaren.

Os pilotos com pontuação de 55 a 79% tendem a ser ideais como pilotos número dois úteis para uma equipe líder. Pense em Bottas ou Rubens Barrichello.

Bottas got closer to Hamilton's points tally in 2021 than Perez did to Verstappen, which was crucial in Mercedes taking the constructors' championship that year

Bottas se aproximou mais da contagem de pontos de Hamilton em 2021 do que Perez se aproximou de Verstappen, o que foi crucial para a Mercedes conquistar o campeonato de construtores naquele ano

Foto de: Mark Sutton

Aqueles que conseguem 55% ou menos não estão fazendo o suficiente, deixando de lado a falta de confiabilidade e o infortúnio, e podem custar a uma equipe o título de construtores.

Pérez obteve 48% do total de Verstappen em 2021, um ano em que a Red Bull tinha um carro marginalmente melhor que o da Mercedes e venceu o campeonato de pilotos, mas perdeu o título de construtores. Bottas marcou 58% do total de Hamilton, o que fez a diferença.

Perez melhorou para 67% em 2022, caiu para 50% contra uma pontuação reconhecidamente notável de Verstappen no ano passado e atualmente está com 63%. Durante todo o tempo em que estiveram juntos na Red Bull, Pérez acumulou 887 pontos, em comparação com os 1593,5 de Verstappen. Isso é pouco menos de 56%, perigosamente perto de cair na zona de perigo.

Em um contexto mais amplo, a F1 também precisa do maior número possível de pilotos competitivos na frente. Quando uma equipe está dominando, como a Red Bull tem feito nos últimos dois anos, faz uma grande diferença se os dois pilotos no melhor carro estiverem em igualdade de condições.

O domínio da McLaren no final da década de 1980 ainda era fascinante graças ao duelo entre Senna e Prost, enquanto Nico Rosberg estava perto o suficiente de Hamilton entre 2014 e 2016 para, pelo menos, significar que o resultado de cada corrida não era uma conclusão precipitada. A diferença entre as duas Red Bulls desde o início de 2022, sem dúvida, tornou a F1 menos emocionante.

Nada disso é preocupação da Red Bull, é claro. Mas ela deveria se preocupar em garantir que todas as bases estejam coberta e seu segundo assento tem sido um problema desde que Ricciardo saiu no final de 2018.

O programa júnior da Red Bull, que fez muito pelo automobilismo, não produziu um substituto adequado, embora seja justo dizer que Pierre Gasly e Albon se tornaram mais completos desde que deixaram a equipe principal.

Isso não quer dizer que Pérez não deva ser um piloto de F1. Na verdade, seu conhecimento da Red Bull e sua experiência como seis vezes vencedor de corridas em suas 265 largadas poderiam ser inestimáveis para uma das equipes mais abaixo no grid, mas já vimos o suficiente para saber que ele não é exatamente um piloto de ponta.

Perez has rarely been able to match Verstappen in his time at Red Bull, allowing his team-mate a clear path to glory

Pérez raramente conseguiu se equiparar a Verstappen em seu tempo na Red Bull, permitindo que seu companheiro de equipe tivesse um caminho livre para a glória

Então, por quem a Red Bull deveria ter optado? Para uma equipe com o dinheiro e o dinamismo que demonstrou no passado, é surpreendente que não tenha feito um esforço maior para conseguir outro grande nome como Lando Norris. Ou optou por Carlos Sainz, o melhor piloto disponível no momento.

Há até mesmo algumas opções 'menores', como Yuki Tsunoda, devido ao seu bom desempenho contra o companheiro de equipe da RB, Ricciardo, ou Esteban Ocon, embora ele tenha um passado ainda mais tumultuado com Verstappen do que Sainz.

Manter Verstappen feliz é, obviamente, a principal preocupação. A Red Bull sabe que, mesmo que produza um carro meramente competitivo, Verstappen o terá na frente ou perto dela, o que pode ser importante em uma era pós-Adrian Newey/pós-Honda.

Mas a equipe poderá ter problemas reais se ele decidir ir para outro lugar. Pérez poderia realmente liderar a equipe?

Considerando o fato de que ele não conseguiu terminar em segundo lugar no campeonato de pilotos em 2022 e atualmente está em quinto, certamente não. Portanto, a Red Bull está claramente apostando na manutenção de Verstappen, apesar de toda a turbulência recente, mas mesmo isso pode não ser suficiente para garantir sucessos lucrativos no campeonato de construtores em 2025-26. De qualquer forma, a Red Bull ficou vulnerável.

A McLaren se esforçou ao máximo para manter Senna no início dos anos 90 - alguns argumentaram que isso prejudicou o desenvolvimento do carro, tamanha era sua exigência salarial -, mas ele pulou fora e foi para a Williams assim que pôde. Mesmo com um jovem Mika Hakkinen na equipe, a McLaren não venceu outra corrida durante três anos.

Could Red Bull depend on Perez if Verstappen did depart?

A Red Bull poderia depender de Pérez se Verstappen fosse embora?

Faça parte do Clube de Membros do Motorsport.com no YouTube

Podcast Motorsport.com debate: Verstappen e RBR ameaçados em 2024?

ACOMPANHE NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

Faça parte do nosso canal no WhatsApp: clique aqui e se junte a nós no aplicativo!

Faça parte da comunidade Motorsport

Join the conversation
Artigo anterior F1: Red Bull confirma renovação com Pérez por mais duas temporadas
Próximo artigo Diretores da Aston Martin sob ameaça após início ruim na F1 2024

Principais comentários

Ainda não há comentários. Seja o primeiro a comentar.

Cadastre-se gratuitamente

  • Tenha acesso rápido aos seus artigos favoritos

  • Gerencie alertas sobre as últimas notícias e pilotos favoritos

  • Faça sua voz ser ouvida com comentários em nossos artigos.

Motorsport prime

Descubra conteúdo premium
Assinar

Edição

Brasil