Após Grand Chelem, Vettel admite: "Está muito bom guiar esse carro"

Alemão venceu de ponta a ponta em Cingapura, com direito a melhor volta e disparou na tabela. Webber abandonou

Após Grand Chelem, Vettel admite: "Está muito bom guiar esse carro"
Carregar reprodutor de áudio

Parece até que é fácil. Largando na pole, Vettel não teve adversários em Cingapura e conquistou sua terceira vitória consecutiva, a 4ª nas últimas cinco corridas. O piloto da Red Bull se distanciou ainda mais de Fernando Alonso e caminha a passos largos para o tetracampeonato. Liderando todas as voltas da prova e dono ainda da melhor volta, o alemão conquistou o terceiro Grand Chelem da carreira.

Mas, segundo Vettel, poderia ter sido diferente, caso Nico Rosberg pulasse para a ponta na largada, como quase conseguiu. “A largada foi um pouco assustadora porque Nico saiu melhor do que eu e tive de deixar a linha de dentro para ele. Mas, felizmente, ele forçou um pouco demais na primeira curva e eu consegui permanecer à frente”, observou o piloto ainda no pódio, logo após a corrida.

Primeira posição garantida, Vettel não teve problemas para abrir uma grande vantagem. Mesmo com um Safety Car durante a prova, ele terminou com uma vantagem de 32 segundos. Para ele, ter feito o último stint com pneus supermacios ajudou. “É uma corrida longa e às vezes os muros estão mais próximos do que esperamos ou queremos, mas ajudou o fato de que eu estava controlando e eu tinha pneus supermacios novos em comparação com os outros, que tinham médios muito mais usados”, analisou.

Segundo o tricampeão, o bom ritmo não é fruto do acaso, mas do intenso trabalho do time. “Foi difícil com o Safety Car, mas o nosso ritmo era muito bom. Mas isso não acontece por acaso ou por sorte e eu tenho de agradecer a equipe pelo trabalho. Está muito bom pilotar este carro e o pessoal da fábrica continua forçando muito para continuarmos neste nível”, elogiou o piloto, que abriu 60 pontos de vantagem na tabela. “Honestamente, não estou olhando no campeonato, estamos curtindo cada momento”, minimizou.

Perguntado sobre a sensação de se tornar o piloto mais vitorioso do grid, ultrapassando Fernando Alonso e chegando a 33 triunfos, Vettel desconversou. "Isso significa que batemos aquele cara do bigode", brincou, referindo-se a Nigel Mansell. "No momento, não estou pensando muito à frente – talvez isso venha com a idade, mas só estou curtindo o momento."

Já Webber acabou preso atrás de Nico Rosberg no começo da prova e acabou no meio do pelotão quando fez sua segunda troca. Estava se recuperando bem quando teve um problema de câmbio no finalzinho e abandonou na última volta. “Fizemos uma corrida forte do começo ao fim. Grandes disputas, bom ritmo de corrida e ainda administrando os pneus. Até que tivemos problemas na caixa de câmbio e não houve mais o que fazer”, lamentou ao TotalRace.

Após a prova, os comissários lhe deram uma reprimenda por ter voltado à pista sem permissão dos comissários. Depois de ter parado sua Red Bull, o australiano pegou uma carona com Fernando Alonso até os pits. Como foi a terceira punição do tipo para o piloto, ele automaticamente perdeu 10 posições no grid do GP da Coreia.

compartilhar
comentários
“Tivemos de inventar algo porque faltava ritmo”, admite Alonso
Artigo anterior

“Tivemos de inventar algo porque faltava ritmo”, admite Alonso

Próximo artigo

Hamilton: "Não é divertido lutar pelas posições de trás"

Hamilton: "Não é divertido lutar pelas posições de trás"