Claire Williams revela que não vê mais F1 após deixar equipe: "Doloroso ver outra pessoa à frente"

Por outro lado, Claire diz que vê Williams na direção correta e que Sir Frank ficaria "encantado" com Vowles como chefe de sua equipe

Claire Williams, Williams Deputy Team Principal with her father Sir Frank Williams, Team Principal

Claire Williams, filha de Frank e ex-chefe da equipe de Fórmula 1, admitiu em entrevista que deixou de assistir à categoria após a saída do time de Grove, afirmando que é "doloroso e difícil" ver outra pessoa à frente daquilo que foi, por muitos anos, patrimônio de sua família.

Criada em 1977 por Sir Frank Williams, a equipe britânica teve seu apogeu nos anos 1980 e 1990, com sete títulos de pilotos e nove de construtores, números que colocam a Williams como a segunda estrutura de maior sucesso na história da F1, atrás apenas da Ferrari.

Leia também:

Em março de 2013, Claire se tornou a diretora da equipe, assumindo as funções de chefe após seu pai se retirar das atividades do dia-a-dia.  Ela assumiu o comando de um time que tinha um futuro pouco promissor a curto prazo. Sem conseguir resultados após 2016 e em uma crise financeira e desportiva, a Williams se colocou à venda para evitar fechar as portas.

A solução veio em 2020, quando a Dorilton Capital comprou a equipe por 152 milhões de euros. O acordo incluía a liquidação total das dívidas existentes da equipe e a promessa de manutenção da sede de Grove e do nome Williams F1 Team.

Por mais que Claire tenha recebido a oferta de seguir à frente da equipe, ela confirmou sua saída após o GP da Itália daquele ano, marcando o fim da passagem da família Williams no time. Agora como ex-chefe, Claire falou para o jornal britânico The Sun sobre como foi o processo de se desprender do legado de seu pai.

"Hoje já não vejo mais a Fórmula 1", disse. "Foi uma decisão muito consciente porque ainda estou me recuperando da decisão de sair. Deixar a equipe me deixou um vácuo enorme. Ninguém gosta de vender coisas que são suas, mas a vida nos obrigou a isso".

"Agora estou chegando ao ponto em que vou começar a buscar meu caminho de novo. Segue sendo bastante doloroso e difícil ver outra pessoa no comando de uma equipe que, para nós, foi parte de nossas família e de nossas vidas".

"Mas é bom ver que o nome Williams segue ali, presente na F1. Agora que James Vowles está ali, parece que finalmente vão seguir a direção correta. Quando me informaram que haviam escolhido ele para a vaga, disse que foi uma ótima decisão. Papai ficaria encantado".

Ricciardo de volta à F1 e de Vries demitido! Red Bull injusta? O que será de Pérez?

Quer fazer parte de um seleto grupo de amantes de corridas, associado ao maior grupo de comunicação de esporte a motor do mundo? CLIQUE AQUI e confira o Clube de Membros do Motorsport.com no YouTube. Nele, você terá acesso a materiais inéditos e exclusivos, lives especiais, além de preferência de leitura de comentários durante nossos programas. Não perca, assine já!

Podcast Motorsport.com debate impacto do 'ressurgimento' da McLaren na F1 2023

 

ACOMPANHE NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

Faça parte da comunidade Motorsport

Join the conversation
Artigo anterior Pérez abre jogo sobre dificuldade de latinos em chegar à F1
Próximo artigo GP da Hungria de F1: Horários e como assistir etapa do Hungaroring, com F2 e F3

Principais comentários

Ainda não há comentários. Seja o primeiro a comentar.

Cadastre-se gratuitamente

  • Tenha acesso rápido aos seus artigos favoritos

  • Gerencie alertas sobre as últimas notícias e pilotos favoritos

  • Faça sua voz ser ouvida com comentários em nossos artigos.

Motorsport prime

Descubra conteúdo premium
Assinar

Edição

Brasil