Pérez abre jogo sobre dificuldade de latinos em chegar à F1

Antes do evento Red Bull Showrunidad de Madrid, o piloto mexicano Sergio Pérez falou sobre as possibilidades de os pilotos latino-americanos chegarem à F1

Sergio Perez, Red Bull Racing

Antes do início do Red Bull Showrun na capital espanhola, Madri, o piloto da equipe austríaca na Fórmula 1, Sergio Pérez, falou com um pequeno grupo da mídia, incluindo o Motorsport.com.

Leia também:

Durante a entrevista, o piloto mexicano foi questionado sobre vários tópicos, entre eles, o acesso de pilotos latino-americanos à F1.

"A questão importante para nós é que temos que chegar muito jovens, o que implica um compromisso maior por parte da família. Ser muito jovem, com 12-13 anos, é quando você tem que partir para a Europa, senão você chega tarde demais" As pistas, as regras, são mais complicadas. É por isso que hoje é tão difícil para os pilotos latino-americanos chegarem à Fórmula 1, porque sair de seu país tão jovem é muito difícil."

Além da discussão sobre a dificuldade dos pilotos latino-americanos em chegar à F1, Checo também falou, em resposta a outra questão levantada, sobre o peso que um passaporte pode ter em termos de uma pessoa ter a chance de entrar no pequeno circuito de pilotos da principal categoria do automobilismo. E à pergunta sobre se o passaporte tem peso na categoria principal, Sergio Pérez respondeu, após alguns segundos de silêncio e um olhar sério, com um curto e conciso "sim".

Depois de falar sobre as oportunidades para os pilotos da América Latina, também foram discutidos os planos do piloto para o futuro quando ele deixar o grid.

Sergio Pérez, Red Bull Racing

"A verdade é que estou muito feliz, estou curtindo muito agora. É verdade que a Fórmula 1 está ficando cada vez maior e exige muito mais tempo das pessoas que trabalham aqui. Mas, por enquanto, estou feliz e aproveitando como uma família."

"Há vários planos para o futuro que estou aguardando ansiosamente, mas, por enquanto, meu foco principal são as corridas. Quando você está na Fórmula 1, o foco tem que ser a F1. Mas a verdade é que há planos que me deixam muito animado para o futuro e um deles é a tequila, minha própria marca", concluiu o piloto da Red Bull.

O piloto de Guadalajara enfrentará um novo GP neste fim de semana, na Hungria depois de vários resultados ruins nos treinos classificatórios que acontecem desde o GP de Mônaco.

Ricciardo de volta à F1 e de Vries demitido! Red Bull injusta? O que será de Pérez?

Quer fazer parte de um seleto grupo de amantes de corridas, associado ao maior grupo de comunicação de esporte a motor do mundo? CLIQUE AQUI e confira o Clube de Membros do Motorsport.com no YouTube. Nele, você terá acesso a materiais inéditos e exclusivos, lives especiais, além de preferência de leitura de comentários durante nossos programas. Não perca, assine já!

Podcast Motorsport.com debate impacto do 'ressurgimento' da McLaren na F1 2023

 

ACOMPANHE NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

Faça parte da comunidade Motorsport

Join the conversation
Artigo anterior F1: Para Ferrari, aumentar confiança dos pilotos é chave fundamental para equipe progredir
Próximo artigo Claire Williams revela que não vê mais F1 após deixar equipe: "Doloroso ver outra pessoa à frente"

Principais comentários

Ainda não há comentários. Seja o primeiro a comentar.

Cadastre-se gratuitamente

  • Tenha acesso rápido aos seus artigos favoritos

  • Gerencie alertas sobre as últimas notícias e pilotos favoritos

  • Faça sua voz ser ouvida com comentários em nossos artigos.

Motorsport prime

Descubra conteúdo premium
Assinar

Edição

Brasil