Fórmula 1 GP da Bélgica

F1 - Alonso diz que ida para Aston "era o certo a ser feito" ao abrir vaga para Piastri na Alpine: "Todos sairiam vencendo"

Bicampeão admitiu que Szafnauer provavelmente não sabia sobre negociação com Aston, mas que outras pessoas na Alpine estavam cientes

Fernando Alonso, Alpine

Em sua primeira coletiva de imprensa após a notícia que movimentou os bastidores da Fórmula 1 no começo da pausa de verão da categoria, Fernando Alonso falou sobre as negociações que o levaram a trocar a Alpine pela Aston Martin, inclusive revelando que provavelmente o chefe da equipe francesa "não sabia nada" sobre as conversas com a rival.

Menos de quatro dias após Sebastian Vettel anunciar seus planos de aposentadoria no fim do ano, a Aston confirmou a contratação do bicampeão em um contrato plurianual. Isso chocou a Alpine, que esperava manter o espanhol em 2023, o que criou um choque no mercado de pilotos. Agora, o time francês busca um segundo piloto, no meio de uma guerra com a McLaren por Oscar Piastri.

Leia também:

Alonso revelou que foi contatado pela Aston logo após Vettel revelar seus planos de aposentadoria. O contrato foi assinado na segunda após a corrida, antes da equipe "decidir anunciar rapidamente para não ter vazamentos".

Ele reiterou que sua intenção antes era de seguir na Alpine, mas as negociações "não estavam avançando há meses".

"Foi algo lógico pra mim porque a Aston estava disposta a me ter, confiando em minhas habilidades na pista e fora dela para desenvolver o projeto. No meu caso, senti que após as negociações e os meses, ter uma vaga aberta para um jovem talento como Oscar, isso era o certo a ser feito, uma situação em que ambos sairiam vencendo".

O problema é que as movimentações posteriores do mercado abriram caminho para um embate entre Alpine e McLaren pelo jovem australiano. Piastri tem um acordo com o time britânico que está sendo avaliado pela Junta de Reconhecimento de Contratos da FIA, já que a marca francesa também acredita ter direitos por ele.

Uma das ressalvas da Alpine nas negociações com Alonso era oferecer um contrato de longo prazo para ele, preferindo acordos anuais. Ele acrescentou que esse não foi o único problema na negociação, "também a confiança de que você se sente querido em um lugar, não sendo apenas algo temporário".

"Sempre houve essa sensação estranha. Eu senti que era o certo ir para a Aston, porque sempre pareceu que eles me queriam e apreciavam minha performance nesses últimos dois anos".

Fernando Alonso, Alpine F1 Team A522 and team mate Esteban Ocon, Alpine F1 Team A522

Fernando Alonso, Alpine F1 Team A522 and team mate Esteban Ocon, Alpine F1 Team A522

Photo by: Alpine

Algo que chamou a atenção na novela da troca de equipe foi quando o chefe da Alpine, Otmar Szafnauer revelou que só descobriu a saída do espanhol quando o anúncio foi feito pela Aston. Alonso revelou que Szafnauer "provavelmente não sabia nada", mas afirmou que todos envolvidos nas negociações já estavam cientes.

"Eu informei Laurent [Rossi, CEO da Alpine], Luca [de Meo, presidente do Grupo Renault], meus mecânicos e meus engenheiros antes do anúncio. Todas as pessoas envolvidas nas negociações, eles foram informados antes do anúncio da Aston. Otmar não estava envolvido então sim, provavelmente Laurent ou Luca não o informaram e ele ficou surpreso com isso".

Podcast #192 – Sequência de corridas decidirá campeonato da F1?

 

ACOMPANHE NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

Faça parte da comunidade Motorsport

Join the conversation
Artigo anterior F1: As principais tendências de assoalho que embalam a temporada 2022
Próximo artigo CBA nomeia Roberto Moreno como comissário no GP São Paulo de F1

Principais comentários

Cadastre-se gratuitamente

  • Tenha acesso rápido aos seus artigos favoritos

  • Gerencie alertas sobre as últimas notícias e pilotos favoritos

  • Faça sua voz ser ouvida com comentários em nossos artigos.

Motorsport prime

Descubra conteúdo premium
Assinar

Edição

Brasil Brasil