F1: Alonso e Ricciardo divergem sobre acidente de Hamilton e Verstappen em Silverstone

Espanhol da Alpine e australiano da McLaren têm visões distintas sobre 'culpabilidade' do britânico na batida deste domingo; veja

F1: Alonso e Ricciardo divergem sobre acidente de Hamilton e Verstappen em Silverstone

O toque entre Lewis Hamilton, britânico da Mercedes, e Max Verstappen, holandês da Red Bull, no GP da Grã-Bretanha de Fórmula 1 segue repercutindo após a corrida disputada em Silverstone neste domingo. Depois do abandono do holandês, que ainda lidera o campeonato, o heptacampeão venceu na Inglaterra e se aproximou do rival na tabela de classificação, mas foi alvo de ataques racistas, tendo sido defendido pelas duas equipes e pela própria categoria.

O editor recomenda:

De todo modo, os colegas de Hamilton e Verstappen se focaram no incidente deste fim de semana e deram sua opinião sobre a batida, que acabou ocasionando o forte impacto do holandês contra a barreira de pneus da curva Copse.

Para Fernando Alonso, espanhol da Alpine-Renault e rival de Hamilton no início da carreira do britânico na F1, o heptacampeão mundial não tinha como "desaperecer" da tangência da curva em Silverstone.

“Lewis tinha mais de meio carro do lado de Max. Então, por um lado, Lewis não podia desaparecer da linha de dentro. Não é como se você pudesse desaparecer”, disse o bicampeão em entrevista após o GP da Grã-Bretanha. “Foi um momento infeliz da corrida, mas nada intencional ou nada que qualquer um dos dois pilotos tenha feito de errado. Foi um momento de azar”, completou Alonso.

Daniel Ricciardo, australiano da McLaren, viu um pouco de 'culpa' de Hamilton, embora não julgue o colega. “No final das contas, Lewis foi 'muito quente' para quem tinha aquele nível de aderência, mas foi completamente não intencional", afirmou.

"Não vou sentar aqui, julgar e dizer que ele deveria ter feito isso ou aquilo", seguiu o ex-companheiro de Verstappen na Red Bull entre 2016 e 2018. “Foi certamente um resultado desagradável", lamentou o competidor.

“Obviamente, foi em alta velocidade, então não é preciso de muito para ter um acidente grande como esse. A Copse é a última curva em que você quer ter um acidente", completou o australiano.

Button

Ex-parceiro de Hamilton e Alonso na McLaren e campeão da F1 2009 pela Brawn -- antecessora da Mercedes --, Jenson Button também falou sobre o assunto. O atual comentarista da Sky Sports falou especialmente sobre as reclamações do chefe da Red Bull, Christian Horner.

“Ele está com raiva e emocionado ao ver seu amigo e piloto na barreira. 51G (força do impacto) é algo enorme. É difícil, Lewis estava quase ao lado dele, mas essa não é a parte mais importante", afirmou o competidor britânico.

“Max deixou espaço suficiente, mas, nessa velocidade, é difícil fazer a curva por dentro. Ele teve que recuar e errou o ponto de tangência, o que é justo porque ele estava em alta velocidade. É difícil ter uma resposta definitiva sobre quem estava errado. Eu concordo com a penalidade porque Lewis colocou alguém 'na parede', mas é complicado", completou Button, que atualmente trabalha como consultor da Williams, pela qual correu no começo dos anos 2000.

F1 2021: Debate sobre GP DA GRÃ-BRETANHA, com comentários de Rico Penteado e Felipe Motta | PÓDIO

Assine o canal do Motorsport.com no Youtube

Os melhores vídeos sobre esporte a motor estão no canal do Motorsport.com. Inscreva-se já, dê o like (joinha) nos vídeos e ative as notificações, para sempre ficar por dentro de tudo o que rola em duas ou quatro rodas.

Podcast #118: Quais 'passagens de bastão' mais emblemáticas da F1?

 

.

compartilhar
comentários
F1 - Marko: "Mortais comuns não sobreviveriam ao acidente de Verstappen"
Artigo anterior

F1 - Marko: "Mortais comuns não sobreviveriam ao acidente de Verstappen"

Próximo artigo

F1: Hamilton usa Leclerc para se defender de incidente com Verstappen

F1: Hamilton usa Leclerc para se defender de incidente com Verstappen
Carregar comentários