F1 - Alonso relembra "magia" de Schumacher em 2006: "Meu maior rival"

Espanhol conquistou seu segundo título da categoria em uma disputa acirrada com o heptacampeão, que fazia sua 'primeira despedida' naquele ano

F1 - Alonso relembra "magia" de Schumacher em 2006: "Meu maior rival"
Carregar reprodutor de áudio

Fernando Alonso contra Michael Schumacher em 2006 foi um pouco como Max Verstappen e Lewis Hamilton este ano: um jovem ambicioso que já se provou enfrentando um sete vezes campeão mundial. Esse duelo entre o já consagrado na Renault e seu rival da Ferrari marcou a história da Fórmula 1 pela intensidade, como lembrou aquele que conquistou seu segundo título na época.

A apertada disputa veio em contraste ao ano anterior: 2005, onde o espanhol e a escuderia francesa surpreenderam ao se tornarem os ponteiros do grid, com a montadora retornando ao topo pela primeira vez desde 1997, quando foi fornecedora da Williams de Jacques Villeneuve.

Leia também:

O triunfo sendo um outsider foi ainda mais satisfatório? "Não, eu não acho que isso muda a alegria, felicidade ou orgulho que vem com um campeonato", respondeu Alonso no podcast Beyond The Grid. "Não importa se você é o favorito ou se não está entre os candidatos."

"O principal para nós era primeiro, em 2005, conquistar um título que não esperávamos: é verdade que a Renault era uma equipe em constante evolução, mas não a ponto de poder batalhar pelo mundial. Foi uma surpresa fantástica e minha primeira vez levantando o troféu, então a felicidade foi dupla, assim como foi lutar com Michael."

"Francamente, sobre o valor do campeonato [de 2006]: o que sentíamos naquela época era fantástico. Estávamos competindo contra as lendas, contra Schumi e a Ferrari. Michael anunciou sua aposentadoria em Monza e partir daquele momento foi uma disputa muito intensa."

"No Brasil, ainda lutávamos pelo título e antes de começar a corrida apertamos as mãos e desejei-lhe o melhor para o próximo capítulo da vida dele, mas ainda lutávamos pelo campeonato. Foi uma mistura de emoções e um momento especial."

Fernando Alonso et Michael Schumacher

A batalha entre Renault e Ferrari foi relativamente equilibrada em 2006, com sete pole positions para os dois fabricantes, mas nove vitórias a oito para Maranello. Alonso avalia que tinha o melhor carro "nas primeiras seis ou sete corridas" antes da Ferrari e sua fabricante de pneus Bridgestone revidarem contra a Renault e a Michelin. No entanto, seu maior oponente, aquele que o pressionou para obter o melhor de si mesmo, foi Schumacher.

"Considero Michael o maior rival que conheci em minha carreira, como professor", comentou o bicampeão. "Eu era jovem, estava chegando à F1 e me encontrei batalhando por um título, mas talvez não estivesse pronto para tão importante naquele momento. Ao lado de Michael, com todo o seu conhecimento, sua abordagem de perseverança e suas performances que sempre foram fora do comum."

"Lembro-me que o Renault foi a melhor máquina em algumas corridas e pensamos que tínhamos uma vantagem nos pneus ou no pacote em si. Mesmo em um fim de semana ruim ele estava próximo da gente. Ele fazia mágica, às vezes", completou.

Alonso foi o campeão de 2006 com uma vantagem de 13 pontos sobre Schumacher, que chegou a liderar a temporada após o GP da China, com duas corridas para o final. No entanto, um abandono no Japão, onde o espanhol venceu, praticamente decidiu o certame.

SCHUMACHER FURIOSO com SENNA em Interlagos? Saiba da TRETA entre os campeões que POUCOS se lembram

Assine o canal do Motorsport.com no YouTube

Os melhores vídeos sobre esporte a motor estão no canal do Motorsport.com. Inscreva-se já, dê o like ('joinha') nos vídeos e ative as notificações, para sempre ficar por dentro de tudo o que rola em duas ou quatro rodas.

Podcast #148: O jogo virou a favor da Mercedes? Quem é o favorito ao título?

 

SIGA NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

compartilhar
comentários
F1: Sainz revela novas reuniões sobre polêmica de Interlagos durante férias
Artigo anterior

F1: Sainz revela novas reuniões sobre polêmica de Interlagos durante férias

Próximo artigo

CEO da Williams acredita em entrada da Volkswagen na F1: "Não participariam de reuniões se não fosse sério"

CEO da Williams acredita em entrada da Volkswagen na F1: "Não participariam de reuniões se não fosse sério"