F1: Alonso revela que ritmo de classificação da Aston Martin é uma "enorme surpresa"

Em um Q3 com resultados próximos, o tempo de 1m29,542s de Alonso lhe rendeu a sexta posição no grid para a corrida, depois de ele mesmo ter dúvidas sobre o ritmo de uma volta do carro da Aston Martin

Fernando Alonso, Aston Martin F1 Team

Zak Mauger / Motorsport Images

O espanhol da Aston MartinFernando Alonso, revelou que ele não estava otimista com o ritmo do carro para o GP do Bahrein de Fórmula 1. O piloto disse que tinha dúvidas sobre a velocidade do AMR24 em uma volta.

"Foi uma boa surpresa nos vermos competitivos. Depois dos testes de inverno, tínhamos algumas dúvidas em relação ao ritmo de uma volta. Nos treinos livres, o carro estava diferente neste fim de semana e nos sentimos mais competitivos.", reevelou o piloto.

Leia também:

"Fomos bastante competitivos no Q1, no Q2 e depois no Q3. Agora estamos no meio. Dentro de um décimo, estamos junto com a Ferrari, na frente de Hamilton, junto com as McLarens. Portanto, é uma grande surpresa e estou extremamente feliz."

Quando o Motorsport.com perguntou a Alonso de onde ele achava que vinha seu ritmo surpreendente, ele disse queo novo carro reagiu muito bem a todas as mudanças de configuração que a Aston aplicou para lidar com o complicado circuito de Sakhir, no Bahrein.

Fernando Alonso, Aston Martin AMR24

Fernando Alonso, Aston Martin AMR24

Foto de: Mark Sutton / Motorsport Images

"Acho que o carro estava mais ligado. Tivemos algumas dificuldades na semana passada, no inverno, para realmente sentir as necessidades do carro. Ele estava bastante inconsistente", disse Alonso.

"Neste fim de semana, todas as mudanças de configuração que estamos experimentando estão fazendo exatamente o que esperamos delas, e isso é sempre bom quando você está tentando ajustar um carro de Fórmula 1 para extrair o máximo."

Da mesma forma que suas dúvidas sobre o ritmo de classificação da Aston, Alonso também se manteve cauteloso quanto ao seu desempenho na corrida depois de algumas simulações de corrida não tão supreendentes, que projetaram a Aston para ficar ainda mais atrás da Ferrari e da Mercedes.

"Tivemos algumas corridas mais ou menos nos testes de inverno e ontem não parecíamos particularmente bons", explicou o espanhol.

"Vai ser uma corrida extremamente disputada. Correr em um grupo de carros nunca é uma coisa fácil de administrar em termos de pneus e coisas do gênero, então vamos ver como lidaremos com esses problemas".

"É um começo muito, muito bom. Um pouco inesperado, mas aceitamos. Se quisermos competir com a Ferrari, a Mercedes e essas equipes, precisamos aumentar o nível de desenvolvimento ao longo da temporada".

"No ano passado, começamos com um bom carro base, mas ficamos presos a ele durante muitas corridas. Este ano, mudamos o conceito de como projetar o carro e as atualizações. Então, começar com força me traz muito otimismo para o futuro.", finalizou o espanhol.

Motorsport.com debate quali do GP do Bahrein

O que a F1 pode fazer para que o domínio de Max não seja desinteressante?

 

ACOMPANHE NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

Faça parte do nosso canal no WhatsApp: clique aqui e se junte a nós no aplicativo!

Faça parte da comunidade Motorsport

Join the conversation
Artigo anterior Hamilton "justifica" revés para Russell na classificação; Toto Wolff explica mudanças no carro
Próximo artigo F1: Horários, previsão do tempo e como assistir ao sábado de corrida principal no GP do Bahrein

Principais comentários

Ainda não há comentários. Seja o primeiro a comentar.

Cadastre-se gratuitamente

  • Tenha acesso rápido aos seus artigos favoritos

  • Gerencie alertas sobre as últimas notícias e pilotos favoritos

  • Faça sua voz ser ouvida com comentários em nossos artigos.

Motorsport prime

Descubra conteúdo premium
Assinar

Edição

Brasil