F1: Aston Martin garante que chegada de novo investidor não significa saída de Lawrence Stroll

Recentemente, uma parte minoritária da equipe foi vendida para uma empresa de capital privado chamada Arctos

Lawrence Stroll, Owner, Aston Martin F1 Team

Lawrence Stroll, Owner, Aston Martin F1 Team

Alexander Trienitz / Motorsport Images

O diretor-gerente da Aston Martin na Fórmula 1, Jeff Slack, confirma que o novo investimento externo anunciado na semana passada não é indício de uma eventual saída do principal acionista Lawrence Stroll.

A equipe de Silverstone vendeu uma participação para a empresa de capital privado Arctos, que tem interesses em várias franquias da MLB, NBA, NHL e MLS, além de times de futebol europeus, incluindo o Liverpool FC.

Leia também:

Inevitavelmente, a ação gerou burburinho de que Stroll poderia estar planejando reduzir seu envolvimento com a equipe e que haveria mais vendas de ações. No entanto, o acordo com a Arctos é visto como estratégico, com os novos parceiros trazendo novos conhecimentos e contatos, assim como o recente acordo semelhante da Alpine com investidores norte-americanos.

"Lawrence está envolvido, ele não vai a lugar algum", disse Slack ao Motorsport.com. "Não se trata apenas da equipe, mas ele tem uma coisa chamada Aston Martin Lagonda que também é uma parte muito importante de sua vida. Portanto, a equipe é a plataforma de marketing da Aston Martin Lagonda. E, é claro, Lawrence é um cara muito rico, não é uma questão de capital."

"A outra coisa sobre esses caras, se você se aprofundar um pouco, é que eles nunca são controladores, nunca possuem e operam nada, apenas participações minoritárias. Eles nunca serão um operador de controle, nunca serão os proprietários dessa equipe. Isso mostra que, se Lawrence estivesse tentando vender para alguém que pudesse assumir o controle, esses seriam os últimos caras para quem você venderia."

Lance Stroll, Aston Martin AMR23, Fernando Alonso, Aston Martin AMR23, Carlos Sainz, Ferrari SF-23

Foto de: Mark Sutton / Motorsport Images

Lance Stroll, Aston Martin AMR23, Fernando Alonso, Aston Martin AMR23, Carlos Sainz, Ferrari SF-23

Slack enfatizou que a Arctos é a parceira ideal para a equipe.

"Nós os conhecemos há dois anos", disse ele. "Eles são realmente os melhores da categoria. Eles se especializaram em participações minoritárias de longo prazo e franquias de ponta. Não há muitas pessoas que fazem isso, embora haja muito mais dinheiro entrando no esporte, capital institucional. Esses caras têm sido os líderes nessa área."

"Muitas pessoas se aproximaram de nós e de Lawrence para investir na equipe. Estamos em uma situação única, pois temos um proprietário que controla toda a equipe e pode decidir no almoço se é o negócio certo. Não é um processo complicado. E não passamos por um processo realmente formal, foi só que esses caras eram claramente os caras certos, principalmente do ponto de vista estratégico."

"Obviamente, há investimento, mas o que eles trazem para a festa é o trabalho com algumas das melhores franquias do mundo."

Expandindo o que a equipe pode ganhar com o acordo, Slack disse: "Acho que é preciso ter a mente aberta. Ninguém faz as coisas perfeitamente ou da melhor maneira. E você tem que olhar para fora da bolha e dizer: como podemos, como empresa, fazer as coisas melhor? Não é apenas no aspecto do marketing comercial, pode ser a preparação do atleta, eles investiram em organizações que podem ser melhores nisso."

"Há toda uma gama de coisas com as quais podemos aprender. E pode haver coisas que essas organizações aprendam conosco, porque somos uma empresa global, enquanto muitas das franquias serão mais locais."

Slack disse que o interesse dos investidores norte-americanos nas equipes é um sinal positivo para a F1 como um todo, com os valores continuando a subir.

"Já foram feitas várias transações de private equity", observou ele. "Esse é o próximo passo que, novamente, é bom para todo o nosso esporte, pois valoriza o esporte e diz: 'ei, isso é como comprar um time da NBA ou da NFL'. É isso que você está recebendo quando entra na F1. Portanto, acho que isso é muito bom para o negócio."

"A segunda é específica para a nossa equipe. Falamos sobre o novo campus, o novo túnel de vento, os motores Honda, a duplicação da força de trabalho. Essa é a próxima evolução, e isso também nos dá o parceiro financeiro certo para fazer o que precisamos e investir como precisamos. Não que Lawrence não pudesse fazer isso, mas agora ele tem um verdadeiro parceiro que faz isso para viver."

FRENTE A FRENTE COM WOLFF: Bastidores da entrevista exclusiva com chefe da Mercedes no GP do Brasil!

Quer fazer parte de um seleto grupo de amantes de corridas, associado ao maior grupo de comunicação de esporte a motor do mundo? CLIQUE AQUI e confira o Clube de Membros do Motorsport.com no YouTube. Nele, você terá acesso a materiais inéditos e exclusivos, lives especiais, além de preferência de leitura de comentários durante nossos programas. Não perca, assine já!

 

Podcast #256 – Quais as chances do GP de Las Vegas se tornar um fiasco?


ACOMPANHE NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

Be part of Motorsport community

Join the conversation
Artigo anterior Coulthard: "Verstappen é o Elon Musk da F1"
Próximo artigo F1 - Rosberg crava: Hamilton estará na briga pelo título em 2024

Top Comments

Ainda não há comentários. Seja o primeiro a comentar.

Sign up for free

  • Get quick access to your favorite articles

  • Manage alerts on breaking news and favorite drivers

  • Make your voice heard with article commenting.

Motorsport prime

Discover premium content
Assinar

Edição

Brasil