F1 - Chefe da Ferrari detona FIA por investigação sobre Wolff: "Vergonhoso para o esporte"

Como ponto positivo, Vasseur destaca a união das dez equipes em torno de algo, algo raro de se ver segundo o chefe da Ferrari

Frederic Vasseur, Team Principal and General Manager, Scuderia Ferrari

Frederic Vasseur, Team Principal and General Manager, Scuderia Ferrari

Ferrari

O chefe da Ferrari, Frédéric Vasseur, não poupou críticas à FIA sobre a investigação em torno de Toto e Susie Wolff, afirmando que o caso foi "vergonhoso para o esporte" e para a Fórmula 1, defendendo que o caso deveria ter sido lidado em foro privado.

No começo do mês, a FIA anunciou que o departamento de compliance estava investigando um possível conflito de interesses entre Toto Wolff, chefe da Mercedes, e sua esposa, Susie Wolff, diretora da F1 Academy para a FOM, sobre a troca de informações confidenciais.

Leia também:

Com as outras nove equipes se posicionando publicamente contra a FIA, negando que haviam denunciado o casal, a Federação anunciou 48 horas depois o abandono da investigação, afirmando que estava "satisfeita" com o processo para evitar a revelação sem autorização de informações confidenciais. Mas o casal Wolff também não poupou críticas à FIA, afirmando que sua reputação havia sido afetada pela midiatização do caso.

Vasseur sente que a saga foi "bastante vergonhosa" e desnecessária, afirmando que o desenvolvimento do caso mostra que ele não deveria ter sido tratado de forma pública desde o começo.

"Acho que essa história é bastante vergonhosa para nosso esporte", disse Vasseur quando questionado pelo Motorsport.com se estava preocupado com o caso e suas implicações na já frágil relação entre FIA e FOM.

"A história começou com uma nota em um jornal. Não sei nem se é jornal mesmo. E eu acho que, nessa situação, quando estamos falando de pessoas, temos que tomar cuidado com o que dizemos. Teria sido apropriado para a FIA: eles precisavam de 24 horas entre o primeiro anúncio e o segundo. Teria lógica usar esse período antes para investigar, para evitar conclusões errôneas".

Toto Wolff, Team Principal and CEO, Mercedes AMG, wife and Susie

Photo by: Mark Sutton / Motorsport Images

Toto Wolff, Team Principal and CEO, Mercedes AMG, wife and Susie

A investigação foi lançada em meio a sugestões de que os Wolffs haviam sido denunciados por equipes rivais, mas todas as nove lançaram uma nova conjunta defendendo o trabalho de Susie na F1 Academy.

Vasseur apontou que, se há um ponto positivo a ser tirado da saga, é que todas as 10 equipes estavam unidas em um mesmo tópico, algo raro na F1.

"Após o incidente da última semana, pelo menos as equipes estavam unidas. A primeira conclusão para mim é que pudemos agir juntos, e não é comum ver a Red Bull apoiando Toto!", disse Vasseur, rindo. "E, honestamente, acho que foi bom para nós nos posicionarmos e discutir isso com os outros investidores. Acho que é a primeira vez que as equipes fizeram algo do tipo".

Podcast #260 – Quem só deu bola fora na F1 em 2023?

 

ACOMPANHE NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

Faça parte do nosso canal no WhatsApp: clique aqui e se junte a nós no aplicativo!

Be part of Motorsport community

Join the conversation
Artigo anterior F1: Ferrari anuncia data de lançamento do carro de 2024
Próximo artigo Red Bull aponta fator que foi crucial para o domínio na F1 em 2023; veja

Top Comments

Ainda não há comentários. Seja o primeiro a comentar.

Sign up for free

  • Get quick access to your favorite articles

  • Manage alerts on breaking news and favorite drivers

  • Make your voice heard with article commenting.

Motorsport prime

Discover premium content
Assinar

Edição

Brasil