Análise técnica de Giorgio Piola
Assunto

Análise técnica de Giorgio Piola

F1: Como o progresso da Ferrari foi impulsionado por uma ideia antiga

compartilhar
comentários
F1: Como o progresso da Ferrari foi impulsionado por uma ideia antiga
Por:
, Especialista
Co-autor: Matt Somerfield

Confira as mudanças aerodinâmicas que proporcionaram uma melhora de desempenho da equipe de Maranello nas últimas provas

A melhoria contínua de Charles Leclerc com a Ferrari mostra que a equipe italiana deu uma virada na Fórmula 1. Ao passo que um pacote contínuo de atualizações nunca trouxe esperanças de uma mudança dramática no desempenho do time de Maranello, os pequenos passos que a escuderia trouxe talvez tenham sido suficientes para transformar o panorama no meio do grid.

A equipe não apenas teve que reservar um tempo para se concentrar nas peças que trouxe para a pista para estudar os efeitos dos regulamentos de 2021, mas também teve novas atualizações que proporcionariam uma melhora no tempo de volta nesta temporada.

Leia também:

Pesando essas demandas umas contra as outras em uma nova pista (Portugal), para a qual havia dados limitados, seria complicado. Especialmente porque ainda era preciso tempo suficiente para aprimorar seu setup e entender os pneus.

Aprendendo com o passado

Ferrari SF1000 floor comparison

Ferrari SF1000 floor comparison

Photo by: Giorgio Piola

A Ferrari atrasou um pouco 'o relógio' no final de semana em Portimão. Embora muitas das atualizações introduzidas nas últimas corridas tenham apresentado ideias novas ou emprestadas de outros, o assoalho utilizado em Portimão teve uma característica de retorno - três barbatanas colocadas diagonalmente no topo das ranhuras do assoalho à frente do pneu traseiro.

A Ferrari começou a usar esse recurso aerodinâmico em 2019 (ver ilustração à direita abaixo) e, embora tenha abandonado o conceito para 2020, posteriormente o encontrou em outros carros, incluindo Mercedes e Red Bull.

Para este ano, a Ferrari concentrou seu desenvolvimento nos buracos totalmente fechados no assoalho, tendo introduzido um novo assoalho na Áustria que apresentava mais perfurações diagonais, ao invés dos longos usados anteriormente (veja abaixo).

Esperava-se que, em combinação com a aba horizontal elevada (ver detalhe, canto superior esquerdo), as barbatanas não fossem necessárias.

Como podemos ver (embaixo à direita), a aba horizontal deu lugar à reintrodução do arranjo de três barbatanas, com o carro de Leclerc equipado com uma versão totalmente preparada em fibra de carbono, enquanto o assoalho de Sebastian Vettel tinha barbatanas prototipadas rapidamente costuradas.

Ferrari SF1000 new floor Styrian GP
Ferrari SF1000 old floor Styrian GP

Vivendo no presente

Ferrari SF1000 technical detail
Ferrari SF1000 front brake detail

O interessante sobre 2020 é que, embora tenhamos os mesmos pneus da temporada passada, as equipes ainda estão encontrando maneiras de obter mais desempenho deles.

Isso geralmente faz com que as equipes tenham que equilibrar demandas conflitantes. Elas precisam conciliar as demandas de resfriamento dos freios, melhorias que podem vir do uso dos dutos de freio como uma ferramenta aerodinâmica, mas também tendo em mente como eles gerenciam a transferência de calor para o aro da roda, que por sua vez tem um efeito sobre a temperatura volumétrica do pneu.

Para o GP de Portugal, a Ferrari teve um arranjo muito diferente na frente do carro (esquerda, acima) com uma lata de bolo/tambor mais fechado.

A ênfase no redesenho parece ser aerodinâmica. Mas, como consequência, também terá um impacto sobre como os freios são resfriados e como o calor gerado é transmitido para o aro da roda.

O desenho antigo (direita) apresentava um cruzamento exposto que permitia que o fluxo de ar capturado pela entrada existisse no vazio maior criado pelo tambor, enquanto passava parte do calor gerado na frenagem para o aro da roda. No entanto, também significava que o fluxo de ar era afetado pela rotação da roda.

A nova solução envolve totalmente essa região do tambor de freio e concentra o fluxo de ar que é ejetado para fora da face da roda por meio de uma saída menor. Isso cria um efeito aerodinâmico mais focado que pode interromper a turbulência criada por toda a montagem - roda e pneu.

Isso também significa que a relação térmica também é alterada, pois o calor gerado na frenagem será irradiado pelo conjunto de forma diferente.

Com isso em mente, saídas em forma de lágrima foram incluídas, permitindo que parte dessa passagem de calor escape para o vazio entre o tambor e o aro da roda.

Um olhar no futuro

Ferrari SF1000 floor detail with 2021 rules

Ferrari SF1000 floor detail with 2021 rules

Photo by: Giorgio Piola

A Ferrari sabe muito bem que sua batalha para retornar à frente do pelotão não pode ser vencida imediatamente. Então, em vez de se apressar em desenvolvimentos que possam precisar de mais mudanças conceituais ao longo da linha, ela embarcou em uma abordagem mais comedida, introduzindo peças que provavelmente terão um benefício no carro que usará para a próxima temporada também.

Afinal, com as mudanças no regulamento de 2021 custando às equipes cerca de 10% em força descendente, qualquer pessoa capaz de mitigar até mesmo parte disso terá uma vantagem sobre seus rivais.

Com isto em mente, a Ferrari tinha disponível em Portugal um pacote de peças com as quais pretendia recolher dados. Essas peças estavam em conformidade com os regulamentos de 2021 e apresentavam um assoalho com o recorte diagonal à frente dos pneus traseiros, barbatanas de duto de freio mais estreitas e faixas de difusor mais curtas.

Reservar um tempo para avaliar essas peças em condições do mundo real não apenas permite que os pilotos ofereçam feedback em termos da diferença de desempenho, mas também fornece à equipe dados valiosos que podem ser usados para melhorar a correlação com suas ferramentas de simulação.

Curiosamente, o assoalho da Ferrari apresentava uma seção em espiral logo à frente do pneu traseiro para enrolar o fluxo de ar e interromper a turbulência criada pelo pneu. Esse é um papel normalmente desempenhado pelos aberturas na região à frente do pneu que não será mais possível quando as novas regras entrarem em vigor.

Ferrari SF1000 diffuser comparison

Ferrari SF1000 diffuser comparison

Photo by: Giorgio Piola

Enquanto isso, o difusor usado durante este teste tinha as barras mais curtas para 2021, que devem estar mais de 50 mm acima do plano de referência. Como consequência, a Ferrari instalou três barras verticais, em vez das duas normalmente encontradas montadas dentro do difusor.

Nova parceria com ThePlayer.com, a melhor opção para apostas e diversão no Brasil

Registre-se gratuitamente no ThePlayer.com e acompanhe tudo sobre Fórmula 1 e outros esportes! Você confere o melhor conteúdo sobre o mundo das apostas e fica por dentro das dicas que vão te render muita diversão e também promoções exclusivas. Venha com a gente!

TELEMETRIA: ‘Fico’ de Gasly, aniversário de Ecclestone e tudo sobre a F1 em Ímola com Rico Penteado

PODCAST: É bom negócio ser companheiro de Max Verstappen na Red Bull?

 

F1: A lição de Portimão que poderia transformar Barcelona segundo Ricciardo

Artigo anterior

F1: A lição de Portimão que poderia transformar Barcelona segundo Ricciardo

Próximo artigo

Ecclestone: "Red Bull deveria assinar com Hulkenberg"

Ecclestone: "Red Bull deveria assinar com Hulkenberg"
Carregar comentários

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Equipes Scuderia Ferrari
Autor Giorgio Piola