F1: GP da Austrália é confirmado e organização quer evitar problemas como o de Djokovic no Aberto de Tênis do país

Número 1 das raquetes foi deportado por não estar vacinado contra a Covid-19 e executivo-chefe da corrida reforçou que respeitará as restrições

F1: GP da Austrália é confirmado e organização quer evitar problemas como o de Djokovic no Aberto de Tênis do país
Carregar reprodutor de áudio

Após dois anos fora do calendário da Fórmula 1 por conta da pandemia de Covid-19, o GP da Austrália foi confirmado para 2022 como a terceira etapa do campeonato. O país, que costuma adotar rígidas medidas de controle da doença, só permitirá a entrada de vacinados, seguindo os protocolos da categoria.

A organização do evento trabalha para que não ocorra o mesmo caso do tenista Novak Djokovic, que chegou a viajar para o Australian Open, mas detido e deportado dias depois por não estar com as vacinas em dia. A história gerou repercussão na mídia e o executivo-chefe da corrida de Melbourne, Andrew Westacott, espera que não se repita.

Leia também:

"Tivemos a confirmação do governo de que o evento vai acontecer" disse o dirigente ao site Speedcafe.com. Também temos um compromisso da F1 de que eles virão aqui para a terceira etapa do campeonato."

“[Djokovic] é uma história global, e está disponível para todos os fãs de esportes e todos os jornalistas esportivos do mundo relatarem e, portanto, trouxe foco para Melbourne e a essa questão [restrições]", comentou Westcott em outra entrevista, dessa vez ao jornal Sydney Morning Herald. "Os grandes eventos são uma faca de dois gumes, e você sempre vê isso na preparação e na realização deles, seja F1, grand slams ou Jogos Olímpicos."

"Se tudo vai bem, recebe tapinhas nas costas, mas se algo negativo acontece ou há problemas, você é julgado no 'tribunal' da opinião pública. Foi o que houve aqui. Cabe aos fãs de esportes e jornalistas esportivos dizer se perdemos nosso brilho. Não há dúvida de que as pessoas estão julgando e observando isso, eu sei porque lidamos com muitas pessoas em base global."

O GP da Austrália foi o primeiro da F1 a sofrer com a Covid-19, visto que estava marcado para ser a abertura da temporada de 2020, ano em que a pandemia começou. Depois disso, os fãs ficaram na expectativa da categoria finalmente retornar ao país em 2021, mas outro cancelamento frustrou seus planos. Para Westcott, tudo depende de respeitar as regras de cada localidade.

"Se você observar desde que cancelos nosso evento em 13 de março de 2020 e a realização do próximo, que será em abril de 2022, houve GPs em todo o mundo, com diferentes estágios da pandemia e em cada uma dessas jurisdições e diferentes condições de entrada nas fronteiras."

"Em cada um deles, a F1 conseguiu operar e manter a continuidade dos negócios. É um requisito obrigatório para a categoria e o contingente de viajantes estar em conformidade nos pontos de entrada, e isso será feito na Austrália e Melbourne", concluiu.

TELEMETRIA DE FÉRIAS (Parte 2): Rico Penteado aponta favoritos para 2022

Assine o canal do Motorsport.com no YouTube

Os melhores vídeos sobre esporte a motor estão no canal do Motorsport.com. Inscreva-se já, dê o like ('joinha') nos vídeos e ative as notificações para ficar por dentro de tudo o que rola em duas ou quatro rodas.

Podcast #158 – TELEMETRIA DE FÉRIAS: Rico Penteado explica novo carro da F1

 

ACOMPANHE NOSSO PODCAST:

compartilhar
comentários
Pérez: As pessoas subestimam o desafio que é trocar de equipe na F1
Artigo anterior

Pérez: As pessoas subestimam o desafio que é trocar de equipe na F1

Próximo artigo

F1 - Wolff: "Espero ações da FIA e não apenas palavras"

F1 - Wolff: "Espero ações da FIA e não apenas palavras"