Reações
Fórmula 1 GP de Singapura

F1: Hamilton explica rádios confusos e comentário sobre Sainz no GP

Veterano da Mercedes falou com as Flechas de Prata sobre ritmo do espanhol da Ferrari e também sobre a escolha de pneus para o começo do GP em Marina Bay

Carlos Sainz, Ferrari F1-75, Lewis Hamilton, Mercedes W13

Heptacampeão da Fórmula 1, o britânico Lewis Hamilton explicou alguns de seus rádios polêmicos durante o GP de Singapura, disputado no último domingo em Marina Bay, e falou sobre ter dito à Mercedes que o espanhol Carlos Sainz, da Ferrari, estava lento à frente.

O editor recomenda:

Sainz ultrapassou Hamilton na largada, mas o inglês estava com ritmo superior ao do ibérico. Para o veterano, porém, o fato de a pista estar molhada dificultou uma manobra de ultrapassagem, de modo que ele ficou 'preso' na quarta posição. 

"Tive um começo de corrida difícil e logo fiquei preso atrás de Carlos. Não sei por que ele estava tão lento. Mas obviamente eu não era rápido o suficiente para ultrapassá-lo naquelas condições, de modo que simplesmente fiquei preso atrás dele", explicou Hamilton.

"Creio que eu podia correr num ritmo similar ao dos que estavam à frente (o monegasco Charles Leclerc, da Ferrari, era o segundo, atrás do mexicano Sergio Pérez, líder com a Red Bull), mas como estava 'trancado' atrás de Carlos, não deu. Se estivesse em terceiro, ficaria com os da frente", seguiu.

Além dos comentários sobre Sainz, Hamilton também reclamou via rádio com a Mercedes pelos compostos escolhidos para o começo da corrida em Singapura. “Eu falei sobre esses pneus, no futuro você precisa me ouvir... Não tenho aderência”, reclamou para a equipe anglo-germânica.

Entende-se que Hamilton gostaria de ter começado a prova com pneus de chuva extrema, não com os intermediários. Entretanto, o piloto da Mercedes explicou que estava se referindo à utilização de gomas usadas anteriormente no fim de semana, em vez de borrachas absolutamente novas.

“Eu queria começar com (pneus intermediários) usados e depois queria ir para os macios. Fiz as voltas no grid com os (pneus) intermediários usados e foi melhor. Então, colocamos os (pneus) intermediários novos e eles eram horríveis, levei várias voltas para aquecer os compostos", disse.

“Não conseguimos aquecer nossos pneus tão rápido quanto os outros por algum motivo, nos (pneus) slicks ou nos de pista molhada. Não entendemos muito bem o porquê", completou o piloto  da Mercedes, que terminou a corrida em nono, à frente do francês Pierre Gasly, da AlphaTauri.

Faça parte da comunidade Motorsport

Join the conversation
Artigo anterior Podcast #198 - Após Singapura, GPs de rua devem ser reavaliados na F1?
Próximo artigo Honda fortalece parceria com Red Bull e AlphaTauri e "retorna" à F1 no GP do Japão

Principais comentários

Cadastre-se gratuitamente

  • Tenha acesso rápido aos seus artigos favoritos

  • Gerencie alertas sobre as últimas notícias e pilotos favoritos

  • Faça sua voz ser ouvida com comentários em nossos artigos.

Motorsport prime

Descubra conteúdo premium
Assinar

Edição

Brasil Brasil