F1: Kvyat diz que banimento de atletas russos é “injusto”

Ex-F1 revela que espera uma solução pacífica para o conflito armado em que seu país está envolvido

F1: Kvyat diz que banimento de atletas russos é “injusto”
Carregar reprodutor de áudio

Ex-piloto de Fórmula 1, Daniil Kvyat acha "injusto" que atletas russos sejam banidos de competições esportivas após a invasão da Ucrânia por seu país.

Na segunda-feira, o Comitê Olímpico Internacional (COI) divulgou um comunicado recomendando que todas as principais federações esportivas proíbam os atletas russos de eventos internacionais.

Leia também:

Como a FIA é uma federação reconhecida do COI, o órgão regulador do automobilismo está realizando uma reunião de emergência do Conselho Mundial de Automobilismo nesta terça-feira para decidir qual resposta deve ter à agressão militar da Rússia.

Uma possibilidade é que os pilotos russos possam ser banidos de eventos sancionados pela FIA.

Tal movimento pode forçar Nikita Mazepin a sair da F1, e arrisca Kvyat, que deve pilotar no WEC nesta temporada, também ser barrado da competição.

Escrevendo em suas redes sociais, Kvyat expressou sua esperança de uma solução pacífica para os eventos na Ucrânia, ao questionar a pressão das autoridades esportivas para agir.

“Eu realmente espero uma solução pacífica para esta situação na Ucrânia e que todos possamos viver em paz”, disse ele.

“Esperamos que todas as partes possam encontrar uma solução, sentando-se juntas e por meio de um diálogo respeitado. Horroriza-me ver duas nações da fraternidade em conflito.

“Não quero que ações militares e guerras influenciem o futuro da humanidade. Quero que minha filha e todas as crianças desfrutem deste belo mundo.

“Também gostaria de destacar e abordar todas as federações esportivas em todo o mundo, incluindo o COI, que o esporte deve permanecer fora da política, e proibir atletas e equipes russas de participar de competições mundiais é uma solução injusta e vai contra o que o esporte nos ensina em princípio: a unidade e a paz.

Quem mais, senão nós, esportistas, ajudaremos a unir as nações nos próximos tempos”.

 

A ação da FIA em banir pilotos e equipes russas da competição seguiria os movimentos de outras grandes federações esportivas ao não mostrar tolerância aos eventos.

Na segunda-feira, a FIFA anunciou que todos os clubes e seleções russas foram suspensos das competições após a recomendação do COI.

Mesmo antes da FIA convocar sua reunião, o futuro de Mazepin na F1 com a Haas estava em dúvida, depois que a empresa de seu pai, a Uralkali, teve sua marca removida dos carros da equipe americana na semana passada.

A Haas deve tomar uma decisão nos próximos dias sobre seus planos para a próxima temporada, com o segundo teste de pré-temporada programado para ocorrer no Bahrein na próxima semana.

Mazepin escreveu no Twitter na semana passada que “não estava no controle de muito do que está sendo dito e feito”.  

F1 2022: PIETRO FITTIPALDI de volta ao grid? HAMILTON lidera e ALONSO vê carro pegar FOGO na Espanha

Assine o canal do Motorsport.com no YouTube

Os melhores vídeos sobre esporte a motor estão no canal do Motorsport.com. Inscreva-se já, dê o like ('joinha') nos vídeos e ative as notificações para ficar por dentro de tudo o que rola em duas ou quatro rodas.

Podcast #163 - Rico Penteado destrincha carros de 2022 da F1

 

ACOMPANHE NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

 

 

 

compartilhar
comentários
ANÁLISE: O que está por trás de sidepod inovador da Williams na F1
Artigo anterior

ANÁLISE: O que está por trás de sidepod inovador da Williams na F1

Próximo artigo

Andretti detona reação negativa de equipes da F1 sobre entrada na categoria e relembra negociação com Sauber: "Piada"

Andretti detona reação negativa de equipes da F1 sobre entrada na categoria e relembra negociação com Sauber: "Piada"