F1: McLaren acredita que manter DRS seja boa ideia para carros de 2022

Zak Brown deu apoio aos planos de manter DRS na categoria no ano que vem, apesar dos novos regulamentos entrarem em vigor

F1: McLaren acredita que manter DRS seja boa ideia para carros de 2022

Regras para carros totalmente novas serão introduzidas na Fórmula 1 em 2022, com o objetivo de ter corridas mais próximas e aumentar o número de ultrapassagens por meio de uma aerodinâmica mais simples, girando em torno do efeito de solo.

Embora o DRS não tenha aparecido no modelo em escala real do carro 2022 revelado no mês passado em Silverstone, os chefes da F1 decidiram mantê-lo pelo menos por uma temporada, embora o plano seja erradicá-lo no futuro.

Leia também:

Apesar de estar otimista de que os novos regulamentos terão o efeito desejado nas corridas, o CEO da McLaren, Zak Brown, acredita que a decisão de manter o DRS é uma "boa ideia" caso os carros não se comportem como esperado depois de entrarem na pista e começarem a correr.

"Acho que, de tudo o que todos me disseram, tanto dentro da minha equipe quanto nos outros, todos acham que [as novas regras] vão funcionar", disse Brown. "Mas eu acho que até você colocar isso no caminho certo, você não sabe.”

"Portanto, acho que manter o DRS inicialmente é uma boa ideia, e então acho que, assim como foi na Sprint Qualifying, vamos colocar os carros na pista e descobrir: funcionou exatamente como prescrito? Eles precisam de modificação? Eles precisam de DRS? Precisamos dele por um período menor?”

"Porque acho que, assim como nas corridas de sábado, tudo o que estamos trabalhando são dados, desenhos e imagens, e até vermos na pista, não sabemos.”

"Todo mundo pensa conceitualmente, o que foi projetado deve funcionar. Mas não saberemos até colocá-lo na pista", acrescentou.

O chefe da Mercedes, Toto Wolff, reconhece que o DRS pode se tornar irrelevante graças aos novos regulamentos, mas acredita que contribuiu para tornar o show muito melhor para os fãs.

"Acho que o DRS foi implementado porque os carros eram tão eficientes em termos de downforce e tão iguais em termos de desempenho que não era possível segui-los", disse Wolff.

"O efeito DRS é, na verdade, algo que ainda não foi totalmente compreendido.”

"Acho que é um dispositivo aerodinâmico, que considero bastante atraente para o esporte. Mas se você puder acompanhar mais facilmente no futuro, pode tornar o DRS obsoleto. Hoje, é uma parte fantástica do show."

F1 2021: CASA CHEIA no GP de SP? Tudo da etapa do BRASIL e INDIRETAS da Red Bull para Mercedes

Assine o canal do Motorsport.com no Youtube

Os melhores vídeos sobre esporte a motor estão no canal do Motorsport.com. Inscreva-se já, dê o like (joinha) nos vídeos e ative as notificações, para sempre ficar por dentro de tudo o que rola em duas ou quatro rodas.

PODCAST: Qual piloto merece uma segunda chance na F1?

 

 

SIGA NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

compartilhar
comentários
RETA FINAL: Tudo sobre etapa da F1 no Brasil e indiretas da Red Bull para Mercedes
Artigo anterior

RETA FINAL: Tudo sobre etapa da F1 no Brasil e indiretas da Red Bull para Mercedes

Próximo artigo

F1- Leclerc: "Recuperação da Ferrari em 2021 não é surpresa"

F1- Leclerc: "Recuperação da Ferrari em 2021 não é surpresa"
Carregar comentários