F1: Mercedes foca na economia de peso em nova mudança de cor do carro

Chefe da equipe, Toto Wolff, e diretor técnico, Mike Elliott, explicaram situação que é semelhante a boa parte das equipes de 2023

Mercedes W14

A decisão da Mercedes de voltar a usar uma pintura totalmente preta na Fórmula 1 em 2023 foi impulsionada pelo desejo de buscar a máxima economia de peso.

A montadora alemã revelou seu novo W14 em Silverstone na manhã de quarta-feira, com a equipe optando nesta temporada por abandonar suas famosas cores prateadas mais uma vez.

Leia também:

Mas um exame minucioso do carro mostrou que, ao contrário de 2020 e 2021, quando a equipe pintou seus carros de preto como uma demonstração de apoio à diversidade, desta vez a situação é muito diferente.

Pois, em vez de o carro ser totalmente pintado de preto, grande parte dele não é pintada e funciona como fibra de carbono bruta.

A parte superior do bico e a tampa do motor apresentam pintura preta fosca, mas quase todos os elementos inferiores do carro, incluindo as asas, não são pintados.

O chefe da equipe Mercedes, Toto Wolff, não escondeu o fato de que a decisão de ser tão ousado em não pintar seu carro foi motivada por uma tentativa de economizar volume extra.

Mercedes W14

Mercedes W14

Photo by: Mercedes AMG

“Estávamos acima do peso no ano passado”, disse ele. “Este ano tentamos descobrir onde podemos espremer cada grama. Então agora, a história se repete.

“Você verá que o carro tem alguns pedaços de carbono bruto, junto com alguns que são pintados de preto fosco.

“Claro, quando mudamos a pintura em 2020, o principal fator foi apoiar as causas de diversidade e igualdade que estão sempre próximas ao nosso coração. A cor preta passou a fazer parte do nosso DNA naquele momento, por isso temos o prazer de voltar a ela”, disse.

A economia de peso na pintura se soma ao fato de que o W14 é um chassi significativamente mais leve e apresenta geometria da suspensão dianteira revisada, ajustes do sistema de resfriamento e aerodinâmica refinada.

O diretor técnico Mike Elliott explicou que muito do trabalho feito no W14 foi um esforço que não pôde ser introduzido no ano passado devido a restrições de custo.

“Fizemos tudo o que queríamos fazer com o W13 no ano passado, mas não conseguimos devido a restrições de recursos ou porque nosso foco estava em resolver outros problemas”, disse ele.

As equipes de F1 lutaram muito no ano passado para chegar ao limite de peso de 798 kg, e muitas superaram isso ao longo da campanha.

Rumo a 2023, havia planos de reduzir o peso para 796 kg, mas isso foi abandonado após discussões com as equipes e a FIA.

 

Quer fazer parte de um seleto grupo de amantes de corridas, associado ao maior grupo de comunicação de esporte a motor do mundo? CLIQUE AQUI e confira o Clube de Membros do Motorsport.com no YouTube. Nele, você terá acesso a materiais inéditos e exclusivos, lives especiais, além de preferência de leitura de comentários durante nossos programas. Não perca, assine já!

Podcast #217 – Como serão as batalhas internas das equipes na F1 2023?

 

ACOMPANHE NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

Faça parte da comunidade Motorsport

Join the conversation
Artigo anterior F1: Mercedes apresenta o W14; carro volta a ter pintura negra para 2023
Próximo artigo F1: Entenda por que Mercedes não 'jogou fora' conceito do W13 para 2023

Principais comentários

Cadastre-se gratuitamente

  • Tenha acesso rápido aos seus artigos favoritos

  • Gerencie alertas sobre as últimas notícias e pilotos favoritos

  • Faça sua voz ser ouvida com comentários em nossos artigos.

Motorsport prime

Descubra conteúdo premium
Assinar

Edição

Brasil Brasil