F1: Red Bull diz que novos testes de 'asa flexível' não prejudicarão na busca pelo título

FIA irá introduzir testes mais rígidos antes do GP da França

F1: Red Bull diz que novos testes de 'asa flexível' não prejudicarão na busca pelo título

A Red Bull está confiante de que a repressão da FIA às asas 'flexíveis' na Fórmula 1 não influenciará suas ambições de título.

Conforme revelado pelo Motorsport.com no início desta semana, a FIA irá introduzir novos testes nas asas traseiras antes do GP da França.

Leia também:

A federação acredita que algumas equipes surgiram com designs inteligentes que são capazes de passar nos testes atuais, mas que flexionam para obter vantagem aerodinâmica quando estão em movimento.

Embora a Red Bull seja o foco da realização desses novos testes, depois que Lewis Hamilton sugeriu em Barcelona que a escuderia austríaca estaria usando uma asa 'flexível', a equipe acredita que não será a única a ter que fazer mudanças.

O consultor da Red Bull, Helmut Marko, está certo de que o time das bebidas energéticas não fez nada fora dos regulamentos.

"A asa passou no teste de carga", disse. “Isso é crucial. Agora, existem novos critérios que têm diretrizes diferentes com relação à carga. É frequentemente o caso quando novos regulamentos chegam e as equipes descobrem áreas cinzentas. Mas não é apenas a Red Bull que está sendo visada. Afeta outras equipes também."

Marko disse que a Alpine e Alfa Romeo foram vistos executando asas traseiras que se flexionam em alta velocidade e que também poderiam ser obrigados a fortalecer suas asas quando os novos testes entrarem em vigor.

O conselheiro também minimizou a declaração de Hamilton de que a asa deu aos carros da Red Bull uma vantagem de 0s3 por volta. Marko acredita que o britânico fez um cálculo errado ao comparar os tempos de volta com um teste de asa de alto downforce que a equipe fez na sexta-feira no GP da Espanha.

"A razão para a asa traseira menor era porque fomos muito lentos nas retas", explicou Marko, sobre as especificações de alto downforce que a Red Bull optou por não manter pelo resto do final de semana de Barcelona.

"Hamilton então viu, quando estava guiando atrás de nós, que éramos relativamente rápidos nas retas e colocou na asa. É aí que duas coisas se juntam."

A incapacidade de flexionar muito a asa pode custar algum tempo de volta devido a um aumento no arrasto para a Red Bull, mas Marko acredita que isso não será um grande problema em sua batalha contra a Mercedes.

“Certamente não é uma desvantagem decisiva para o campeonato”, disse.

Ele acrescentou que a mudança nos testes que estão por vir é apenas uma repetição de inspeções mais rígidas, que já foram enfrentadas pela equipe anteriormente.

"É perfeitamente normal", disse ele. "Tivemos que reajustar as asas dianteiras duas, três vezes por temporada durante nosso período de sucesso no campeonato mundial", concluiu.

Massa COMPARA Bottas e Pérez e comenta DRAMA dos 'segundos pilotos' da F1 2021: "Não é só a cabeça"

Assine o canal do Motorsport.com no Youtube

Os melhores vídeos sobre esporte a motor estão no canal do Motorsport.com. Inscreva-se já, dê o like (joinha) nos vídeos e ative as notificações, para sempre ficar por dentro de tudo o que rola em duas ou quatro rodas.

PODCAST: Mercedes X Red Bull já pode ser considerada uma das maiores rivalidades da F1?

 

compartilhar
comentários
CEO da Liberty Media diz que diretores foram ridicularizados: “americanos burros”

Artigo anterior

CEO da Liberty Media diz que diretores foram ridicularizados: “americanos burros”

Próximo artigo

F1: Alonso crê que levará alguns anos para que várias equipes lutem pelo título na categoria

F1: Alonso crê que levará alguns anos para que várias equipes lutem pelo título na categoria
Carregar comentários