F1 - Red Bull x Ferrari: asa traseira é centro de disputa entre as equipes

Em 2022, time austríaco muda ‘histórico’ e parte para caminho com menor downforce. Ferrari prepara mudanças e deve seguir a rival

F1 - Red Bull x Ferrari: asa traseira é centro de disputa entre as equipes
Carregar reprodutor de áudio

Ao longo de seus anos vencedores e na maior parte da era híbrida da Fórmula 1, a Red Bull optou por caminhos com maior carga aerodinâmica, o que proporcionava mais arrasto e menor velocidade nos pontos de aferimento. A abordagem desse ano é completamente diferente, com o RB18 regularmente mais rápido nos finais de reta. Isso possibilitou ao time estar na disputa, mesmo quando a Ferrari fazia um melhor trabalho durante a classificação.

O editor recomenda:

A Red Bull parece extrair mais performance do assoalho nesta temporada e, por conta disso, conseguiu utilizar menos asa traseira do que a Ferrari, algo que contribui para alcançar maiores velocidades do que a rival. Dá a impressão de que o carro da Red Bull parece mais confortável neste tipo de configuração e parece mais provável que a Ferrari realize mudanças em suas asas.

Red Bull Racing RB18 rear wing

Red Bull Racing RB18 rear wing

Photo by: Giorgio Piola

Os italianos tiveram em 2022 um carro com ajustes propícios para ter melhor velocidade nas curvas. Entretanto, a equipe levou até Miami uma nova asa, com menor carga aerodinâmica, sugerindo um pensamento visando um pouco mais de velocidade final. Porém, a equipe escolheu não correr com a peça em uma pista com baixa aderência, seguindo com o que tinha sido feito até então.

Esta é a terceira configuração diferente de asa traseira da Ferrari neste ano, sendo que as outras duas versões vieram com sutis modificações. A diferença entre essas duas especificações gira em torno dos pontos de transição, que geram mais downforce na posição central da parte da asa, especificamente no local que tem formato de colher, mas menos arrasto na parte externa da asa.

A nova asa da Ferrari, que não apareceu em Miami, mas foi vista em Monza na última semana durante uma filmagem secreta da equipe, é para ter mínimo downforce e perda de pressão aerodinâmica com relação ao modelo anterior. O novo design, que será perfeito para Baku, mas poderá ser testado em Barcelona, apresenta um desenho da asa base mais plano, parecido com o que a Mercedes mostrou em Miami e algo que se assemelha ao que a Alpine já utiliza nessa temporada.

Ferrari F1-75 rear wing comparison

Ferrari F1-75 rear wing comparison

Photo by: Giorgio Piola

A Ferrari também mudou a carenagem do braço de direção em um esforço para alterar suas características aerodinâmicas. A especificação usada em Miami parece mais com um bastão de críquete do que a usada em outras etapas e fornece uma superfície muito mais ampla, que não afetará somente o fluxo de ar local, mas também o caminho percorrido em torno dos elementos da suspensão (veja abaixo).

Ferrari F1-75 front suspension detail

Ferrari F1-75 front suspension detail

Photo by: Jerry Andre / Motorsport Images

Assine o canal do Motorsport.com no YouTube

Os melhores vídeos sobre esporte a motor estão no canal do Motorsport.com. Inscreva-se já, dê o like ('joinha') nos vídeos e ative as notificações para ficar por dentro de tudo o que rola em duas ou quatro rodas.

PODCAST #177 - Red Bull 'roubou' status de favorita ao título da Ferrari?

 

ACOMPANHE NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

compartilhar
comentários
F1 - VÍDEO 360°: Veja Leclerc guiando Ferrari de Lauda em Mônaco, momentos antes da batida
Artigo anterior

F1 - VÍDEO 360°: Veja Leclerc guiando Ferrari de Lauda em Mônaco, momentos antes da batida

Próximo artigo

Schumacher convive com pressão para seguir na F1 em 2023; entenda

Schumacher convive com pressão para seguir na F1 em 2023; entenda