F1 - VÍDEO: Lance Stroll pediu para sair da Aston Martin, mas Lawrence negou, revela Nelsinho Piquet; assista e saiba detalhes

Jovem teria expressado o desejo de deixar a categoria máxima do automobilismo três vezes, mas o pai teria recusado a demanda do filho em prol da escuderia

Lawrence Stroll, Owner, Aston Martin F1 Team, Lance Stroll, Aston Martin F1 Team, on the grid

Nesta terça-feira, o brasileiro Nelsinho Piquet, que correu pela Renault na Fórmula 1 em 2008/2009 e mantém suas fontes na categoria, revelou que Lance Stroll teria pedido para deixar a Aston Martin na elite global do esporte a motor, mas que isso teria sido recusado pelo pai do jovem piloto canadense, o empresário Lawrence Stroll, dono do time de Silverstone na F1.

O editor recomenda:

A informação foi dada no podcast 'Pelas Pistas' por Nelsinho e o apresentador Thiago Alves, que estrelam a atração junto a Christian Fittipaldi, também ex-piloto da F1, tendo corrido pela Minardi entre 1992 e 1994.

A revelação veio 'na esteira' da menção à possível venda da escuderia britânica pelo empresário do Canadá. O rumor veio à tona na semana passada, conforme noticiado pelo Motorsport.com

Ao reproduzir o vídeo abaixo, você já assiste à conversa de Piquet, Alves e Fittipaldi a partir do momento em que Thiago fala da possível venda da Aston e da informação de que Lance teria pedido para sair da equipe na F1. Logo após, transcrição dos destaques.

"Isso é notícia nossa aqui, que eu 'peguei'. Para mim, isso faz sentido. Você vê o jeito que ele 'tava' na última prova, o jeito que ele 'tá' tratando as pessoas... ele 'tá de saco cheio' de estar lá. É um cara que tem tudo, não precisa daquilo", detalhou Nelsinho.

"Ele pode aposentar as próximas 12 gerações da família dele e para quê ele vai fazer um negócio que é estressante no final de semana? A gente trabalha porque a gente tem que trabalhar, porque a gente gosta, enfim... Imagina você ir para um negócio que é 'um saco', que tem um monte de gente te pressionando, que você tem cobrança de cima para baixo, de todos os lados. E você não precisa daquilo por dinheiro...".

"Provavelmente ele consegue ganhar muito mais dinheiro trabalhando com o pai dele do que [seguir na F1]", ponderou Piquet, cujo raciocínio foi complementado por Alves: "Se vender a equipe já vão lucrar para caramba, estão falando de US$ 1 bi (mais de R$ 5 bi)".

Nelsinho retomou: "É uma posição complicada, porque ele tem tudo que ele quer, tudo que ele precisa. Num estalo de dedos ele tem... E ele tá com o Alonso do lado dele ali, né? Destruindo ele". 

"A cabeça dele é muito mais fraca do que qualquer outro lá, que 'remou' a vida inteira para chegar naquela posição e sabe que vai por um apuro, mas vai continuar indo [adiante na categoria], sabe? Eu não vejo isso nele."

"É um cara que sempre teve tudo de 'mão beijada'. Com certeza, 'de cabeça', ele não tem essa pegada que 90% dos outros pilotos teriam lugar dele, então... Esse 'efeito Alonso' é complicado", completou o primeiro campeão da Fórmula E e piloto vitorioso na NASCAR.

Também 'detentor' de glórias no automobilismo norte-americano, especialmente na IMSA, Fittipaldi comentou: "Se tivesse um 'outro Fernando' correndo lá na Aston [como companheiro de Alonso em vez de Lance], a Aston muito provavelmente estaria em segundo [lugar] no campeonato de construtores. Bem diferente de quarto [lugar entre as equipes]".

Na sequência, Alves 'provocou' os comentaristas, dizendo que acredita que o brasileiro Felipe Drugovich, reserva da Aston Martin, estaria performando melhor que Lance, ao que Christian respondeu: "Mesmo com zero experiência na F1, sem dúvida!".

Fittipaldi ainda destacou a queda de desempenho de Stroll ao longo da temporada, que começou com um bom resultado de Lance no GP do Bahrein, em que o piloto de 24 anos correu ainda se recuperando de uma lesão contraída nas mãos após acidente de bicicleta.

Neste sentido, Alves lembrou da 'pressão' feita pela mãe do canadense para que pare de correr na F1 em função dos riscos inerentes à categoria. Exemplo disso é o forte acidente de Stroll em Singapura, conforme citou Thiago no 'Pelas Pistas'.

Em meio à crise de Lance, a organização do GP dos Estados Unidos, disputado neste fim de semana no Circuito das Américas, em Austin, incluiu Drugovich nas 'artes' dos pilotos. Com isso, as redes sociais voltaram a repercutir a possível troca de Stroll por Felipe. 

 

Quer fazer parte de um seleto grupo de amantes de corridas, associado ao maior grupo de comunicação de esporte a motor do mundo? CLIQUE AQUI e confira o Clube de Membros do Motorsport.com no YouTube. Nele, você terá acesso a materiais inéditos e exclusivos, lives especiais, além de preferência de leitura de comentários durante nossos programas. Não perca, assine já!

Faça parte da comunidade Motorsport

Join the conversation
Artigo anterior Audi nega rumor de saída da F1 e "troca" com Porsche em 2026
Próximo artigo TELEMETRIA AO VIVO: Rico Penteado disseca o GP dos Estados Unidos, a briga pelo vice e o planejamento de 2024 e além

Principais comentários

Cadastre-se gratuitamente

  • Tenha acesso rápido aos seus artigos favoritos

  • Gerencie alertas sobre as últimas notícias e pilotos favoritos

  • Faça sua voz ser ouvida com comentários em nossos artigos.

Motorsport prime

Descubra conteúdo premium
Assinar

Edição

Brasil Brasil