F1: Mercedes se vê como em 2013 e aponta Red Bull como favorita para 2021

Chefe da equipe alemã disse que estão se divertindo com novas circunstâncias

F1: Mercedes se vê como em 2013 e aponta Red Bull como favorita para 2021

Toto Wolff disse que o desafio com a Red Bull nesta temporada deixou a Mercedes com a mesma animação que sentiu antes de seu primeiro título na Fórmula 1 em 2014. 

Embora a montadora alemã tenha vencido a etapa de abertura de 2021 no Bahrein, o ritmo mostrado pela escuderia austríaca ao longo do final de semana apontou o RB16B como o carro mais rápido do grid no momento.

Leia também:

Mas, em vez da Mercedes ficar desanimada com o desafio que agora enfrenta para diminuir a diferença para a equipe de Christian Horner, Wolff disse que a montadora alemã está se divertindo com as circunstâncias.

“De certa forma, há um sentimento dentro da equipe de que gostamos muito das novas circunstâncias,” disse Wolff ao Motorsport.com

“É que, no papel, a Red Bull está à frente, talvez com todos os seus pacotes."

“Nós temos que alcançá-los. Temos que implantar nosso A-game e encontrar mais desempenho. Mas, estritamente falando, somos o segundo melhor."

O chefe da Mercedes disse que a Mercedes não achou difícil lidar com o fato de estar atrás de seu principal rival em termos de ritmo. Pelo contrário, sentiu que serviu para trazer uma nova energia e foco para todos do time.

“A diversão de estarmos na caça é muito agradável, porque é uma situação nova e nós abraçamos essa oportunidade”, disse.

“Isso não tem acontecido desde 2013. E eu adorei 2013. Eu disse na equipe que me sinto com a mesma animação de quando entrei. E foi o domínio da Red Bull: eles estavam caminhando para ganhar o quarto campeonato. ”

Esclarecimento de 'falar m***'

Wolff recentemente causou um rebuliço quando fez declarações que pareceram atacar seus colegas chefes de equipe Zak Brown e Christian Horner.

Em uma entrevista ao jornal Osterreich, o chefe da Mercedes foi questionado sobre o que ele achava sobre os comentários de Brown, que sugeria que o time alemão teria uma nova dupla de pilotos em 2022.

“Brown é como Christian Horner. Eles só espalham m**. Eu não me importo", disse Wolff.

Essa interpretação foi vista por alguns como um ataque aos chefes de equipe. No entanto, Wolff esclareceu que seus comentários não foram transmitidos com precisão, e o que ele realmente disse foi algo totalmente diferente.

“Tenho respeito por ambos”, disse.

“Essa citação foi totalmente errada e acho que literalmente se perdeu na tradução."

“Eu disse, 'eles falam m*** um para o outro', e a forma como foi citado é 'eles falam merda', que não é bem a mesma coisa. Zak é uma grande parte da família Mercedes e um amigo. ”

Wolff disse que a conversa entre os chefes de equipe foi um elemento que atraiu o interesse na F1, pois mostrou que a batalha competitiva entre os times era real.

“É muito importante porque, no fundo, é rivalidade”, acrescentou. 

“Estamos operando no mesmo circo, e ele precisa proporcionar entretenimento para nossos fãs e público."

“Mas também há rivalidade. Às vezes, isso pode se transformar em animosidade, e isso faz parte do esporte. Mas não devemos esquecer: é apenas um esporte ”

ENTENDA em DETALHES como regras de 2021 PUNEM Mercedes e Aston Martin na F1 e saiba o que é o RAKE

Assine o canal do Motorsport.com no Youtube

Os melhores vídeos sobre esporte a motor estão no canal do Motorsport.com. Inscreva-se já, dê o like (joinha) nos vídeos e ative as notificações, para sempre ficar por dentro de tudo o que rola em duas ou quatro rodas.

PODCAST – Quais são os pilotos mais carismáticos da F1, mas sem grandes resultados?

 

compartilhar
comentários
F1: Ferrari espera "três a quatro classificações" para estimar melhora do carro

Artigo anterior

F1: Ferrari espera "três a quatro classificações" para estimar melhora do carro

Próximo artigo

F1: Williams diz que não vai sacrificar carro de 2022 para ter ganhos em 2021

F1: Williams diz que não vai sacrificar carro de 2022 para ter ganhos em 2021
Carregar comentários

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Equipes Mercedes
Autor Jonathan Noble