Fórmula 1
04 set
Próximo evento em
24 dias
R
GP da Toscana
11 set
Próximo evento em
31 dias
R
GP de Singapura
17 set
Canceled
R
GP da Rússia
25 set
Próximo evento em
45 dias
R
GP do Japão
08 out
Canceled
R
GP dos Estados Unidos
23 out
Canceled
R
GP do México
30 out
Canceled
R
GP do Brasil
13 nov
Canceled
R
GP de Abu Dhabi
27 nov
Próximo evento em
108 dias

Grosjean revela conversa com Hamilton para esclarecer controvérsia sobre protestos antirracismo

compartilhar
comentários
Grosjean revela conversa com Hamilton para esclarecer controvérsia sobre protestos antirracismo
Por:
30 de jul de 2020 15:27

Na coletiva desta quinta, o piloto da Haas revelou que fez uma longa ligação com o hexacampeão para resolver a situação

Durante o GP da Hungria, Lewis Hamilton não ficou feliz com os comentários de Romain Grosjean, que havia insinuado que os pilotos não precisavam fazer protestos antirracistas em todas as corridas. Mas o piloto da Haas na Fórmula 1 disse que teve uma longa conversa com o britânico no intervalo para resolver a situação.

A fala de Grosjean levou a criticas de Hamilton, falando sobre o que seria uma batalha desnecessária para manter sua luta antirracismo na cabeça das pessoas.

Leia também:

Porém, dias depois, surgiu a notícia de que Grosjean estava adotando esse posicionamento apenas porque ele sentia, como diretor da Associação de Pilotos de Grande Prêmio (GPDA), que ele tinha que representar os membros que não se sentiam confortáveis com os protestos.

Falando na coletiva do GP da Grã-Bretanha, ele comentou sobre a ligação feita com Hamilton, admitindo que talvez seu posicionamento estivesse errado, mas que também estava bravo pelo fato das críticas de Hamilton terem levado as pessoas a o chamarem de racista nas redes sociais.

"Foi uma boa conversa com Lewis", disse Grosjean. "Eu pedi perdão, porque talvez eu tenha agido errado, mas achei que era o certo a fazer naquele momento. Na GPDA, trabalhamos com um sistema de votação por maioria, e senti que, se estaria errado se não cumprisse minha função de diretor ouvindo os pilotos insatisfeitos".

"Ele [Hamilton] mencionou que como um dos diretores todos estão me ouvindo, e que esse era o seu ponto. Acho que nesse aspecto ele estava certo".

"Foi uma ligação muito boa mesmo, e eu falei que não estava feliz com as notícias que haviam saído sobre mim e que, nas minhas redes, haviam muitas postagens sobre racismo, que eu era racista e mais, o que não é verdade".

"Não acho que você vai encontrar alguém no mundo dizendo que eu tenha feito algo do tipo. Então eu não estava muito feliz por ser tratado desse modo. Eu fui um dos primeiros a apoiar o protesto. Eu espero que um dia ainda tenhamos os 20 pilotos se ajoelhando e acredito que isso ainda vai acontecer".

Grosjean disse que, após resolver o problema com Hamilton, a GPDA e o hexacampeão conversaram com a FIA e a Liberty Media para organizar um protesto mais formal em Silverstone neste final de semana.

"Não é fácil para nós, pilotos, organizarmos essas coisas durante um evento, porque temos muito que fazer. Então queríamos uma orientação da Liberty sobre um procedimento claro, como aconteceu na Áustria. Acho que vai acontecer e todos saberão exatamente o que fazer".

Grosjean explicou que a F1 se comprometeu a organizar algo mais próximo da primeira corrida, com uma cerimônia na frente do grid antes da prova.

TELEMETRIA: Barrichello relembra 20 anos da primeira vitória na F1

PODCAST: Bastidores do futuro do GP do Brasil e ambientes de F1 favoritos de Reginaldo Leme

 

F1: Norris faz concurso para capacete do GP da Grã-Bretanha e escolhe desenho de menina de seis anos

Artigo anterior

F1: Norris faz concurso para capacete do GP da Grã-Bretanha e escolhe desenho de menina de seis anos

Próximo artigo

Análise técnica: quais são os problemas por trás do "difícil" RB16 da Red Bull?

Análise técnica: quais são os problemas por trás do "difícil" RB16 da Red Bull?
Carregar comentários