Hamilton diz que devolver posição a Bottas foi "arriscado"

Lewis Hamilton crê que poderia ter usado risco como desculpa para não devolver terceiro lugar a Valtteri Bottas no GP da Hungria

Hamilton diz que devolver posição a Bottas foi "arriscado"
Lewis Hamilton, Mercedes AMG F1 W08, Carlos Sainz Jr., Scuderia Toro Rosso STR12
Max Verstappen, Red Bull Racing RB13, Lewis Hamilton, Mercedes AMG F1 W08, Carlos Sainz Jr., Scuderia Toro Rosso STR12, behind the safety car
Valtteri Bottas, Mercedes AMG F1 W08, Lewis Hamilton, Mercedes AMG F1 W08
Lewis Hamilton, Mercedes AMG F1 W08
Max Verstappen, Red Bull Racing RB13, passes Lewis Hamilton, Mercedes AMG F1 W08
Valtteri Bottas, Mercedes-Benz F1 W08 Hybrid and Lewis Hamilton, Mercedes-Benz F1 W08 Hybrid take the chequered flag
Lewis Hamilton, Mercedes-Benz F1 W08 Hybrid
Lewis Hamilton, Mercedes-Benz F1 W08 Hybrid
Lewis Hamilton, Mercedes-Benz F1 W08 Hybrid
Valtteri Bottas, Mercedes AMG F1 W08
Valtteri Bottas, Mercedes AMG F1 W08
Lewis Hamilton, Mercedes AMG F1 W08
Podium: third place Valtteri Bottas, Mercedes AMG F1
Carregar reprodutor de áudio

A Mercedes aplicou o jogo de equipe durante o GP da Hungria, realizado no último domingo (30). Lewis Hamilton garantia ter mais ritmo do que Valtteri Bottas e pediu ao time que conversasse com o finlandês para a troca de posição.

Bottas abriu para Hamilton, que se aproximou de Sebastian Vettel e Kimi Räikkönen, mas não conseguiu superar os ferraristas. Mesmo com boa vantagem sobre o companheiro de Mercedes, o britânico tirou o pé e devolveu a posição para o finlandês na reta de chegada, abrindo mão de um terceiro lugar praticamente garantido.

Após a prova, Hamilton julgou ter feito a coisa certa ao devolver a posição, mas ressaltou que assumiu riscos para cumprir o combinado entre ele, a equipe e Bottas.

"Tinha muito mais ritmo do que Valtteri, mas o rádio não funcionava e não conseguia me comunicar com a equipe", explicou. "Então eu meio que estava preso atrás dele, sentindo que tinha ritmo para brigar com as Ferraris", disse.

"Então o rádio voltou a funcionar e eles deram a Valtteri algumas voltas para buscar as Ferraris, mas ele não conseguiu. Valtteri foi enorme ao me deixar passar. Meu pensamento era o de que se eu não conseguisse superar as Ferraris, devolveria a posição. Com mais ritmo, eu me distanciei e abri sete segundos de vantagem."

"Foi complicado, no fim, reduzir o ritmo. Na verdade, foi meio arriscado tirar o pé, pois havia retardatários perto, que também reduziam para me deixar passar", afirmou.

"Quando comecei a reduzir, os retardatários tentaram me ultrapassar. Então foi bem perigoso, para ser honesto. Além disso, Bottas estava apenas com um segundo de vantagem sobre a Red Bull."

Pensei que, fazendo a coisa certa, poderia terminar em quinto, o que seria muito ruim. Felizmente consegui lidar bem com a situação e fiz o que achava ser o correto", contou.

Hamilton insistiu que não se arrepende de ir às férias perdendo mais três pontos em relação a Vettel por ter devolvido a posição para Bottas. Para o tricampeão, o mais importante é ter a consciência tranquila.

"Não creio que isso ficará voltando à minha mente. Se tivesse mantido minha posição, teria razões para isso, pois como disse tomei riscos para devolver o lugar a ele, o que é desnecessário quando você briga pelo título."

"Na minha mente, quero vencer o campeonato de maneira correta. Não sei se isso vai me prejudicar no fim, mas disse no começo do ano que quero ser justo e creio que agi dessa forma."

Por fim, Hamilton ressaltou as dificuldades sofridas com a falta de comunicação na primeira parte da corrida em Hungaroring. Quando as comunicações foram restabelecidas, o piloto disse ao time que preferia ter ficado mais tempo na pista antes do pitstop.

"Quando você não tem rádio, é como se pilotasse com os olhos vendados. Você tem noção do seu ritmo, mas eles não sabem de fato o quanto você está forçando e se pode andar mais rápido, não sabem os problemas e quais as fraquezas de momento", disse.

"Você não consegue orientá-los sobre ajustes a serem feitos no pitstop, você não recebe um feedback sobre os tempos de volta. Tivemos um problema e nada pôde ser feito, demos nosso melhor."

"Claro que após um episódio como este, vamos nos reagrupar e encontrar um caminho melhor para lidar com isso. Tenho certeza de que conseguiremos fazer isso", completou.

compartilhar
comentários
Brundle e Button discutem sobre papel de Alonso na F1 atual
Artigo anterior

Brundle e Button discutem sobre papel de Alonso na F1 atual

Próximo artigo

Di Resta diz que sapatilha apertada o fez sofrer na Hungria

Di Resta diz que sapatilha apertada o fez sofrer na Hungria