Lendário projetista: Enzo Ferrari trataria saída de Vettel com mais respeito

Mauro Forghieri, diz que não gosta de falar muito sobre Enzo Ferrari, mas crê que ele agiria de forma diferente na administração da saída de Vettel da escuderia

Lendário projetista: Enzo Ferrari trataria saída de Vettel com mais respeito
Carregar reprodutor de áudio

Mauro Forghieri, lendário projetista da Ferrari na Fórmula 1, acredita que Sebastian Vettel merece mais respeito de sua equipe, dizendo que Enzo Ferrari teria lidado com a saída do piloto alemão de forma diferente.

A atual temporada de Vettel com a escuderia italiana vem se mostrando difícil para o tetracampeão mundial, que está com grandes dificuldades para igualar o desempenho de Charles Leclerc.

Leia também:

O chefe, Mattia Binotto, afirmou que a Ferrari continua apoiando seu piloto, e Vettel também minimizou os rumores de tensões crescendo em Maranello à luz de seus resultados ruins.

Mesmo assim, Forghieri, cujo trabalho entre as décadas de 1960 e 1980 levou a Ferrari a conquistar quatro Mundiais de Pilotos e oito de Construtores na F1, acredita que, em épocas diferentes, Vettel teria sido tratado de maneira bem diferente pelo icônico fundador.

"Não gosto de fazer referências a Enzo Ferrari, precisamente porque o conhecia de verdade e sei que há coisas atribuídas a ele que ele nunca teria feito. Ele é uma lenda", disse Forghieri, ao famoso blogueiro da Ferrari, Leo Turrini.

"Mas eu tenho certeza que ele teria lidado com a saída de Seb de forma bem diferente, ele o teria tratado com muito mais respeito."

Como todos, Forghieri ficou impressionado com Leclerc, mas o engenheiro de 85 anos de idade acredita que a Ferrari colocou muito peso nos ombros do monegasco.

"O menino tem muito talento", disse o italiano. "Mas a Ferrari não deveria ter sobrecarregado ele com tantas responsabilidades tão cedo, estamos falando de um jovem que nem sequer correu em 50 GPs."

"Binotto desempenha um papel muito delicado", explicou Forghieri. "Estou falando por experiência própria. Ser o chefe do departamento de corridas é muito difícil, a pressão é enorme, a Ferrari nunca perdoa nada.”

“Binotto deve se cercar das pessoas certas. Não estou sugerindo uma revolução. Mas colocar gente nova em casa, com as habilidades que agora evidentemente faltam.”

"Vencer com a Ferrari deve mais uma vez ser uma fonte de orgulho para aqueles que lidam com carros de F1."

Ferrari vive o caos e Reginaldo Leme relembra momentos de crise da escuderia italiana na Fórmula 1

PODCAST: O que resta para Massa no automobilismo após sair de equipe da F-E?

 

compartilhar
comentários
Análise técnica: Como a Red Bull tentou alcançar a Mercedes na Espanha
Artigo anterior

Análise técnica: Como a Red Bull tentou alcançar a Mercedes na Espanha

Próximo artigo

Wolff: proibir "modo festa" do motor pode tornar Mercedes mais rápida nas corridas

Wolff: proibir "modo festa" do motor pode tornar Mercedes mais rápida nas corridas