Fórmula 1
R
GP de Eifel
09 out
Próximo evento em
19 dias
R
GP de Portugal
23 out
Próximo evento em
33 dias
04 dez
Próximo evento em
75 dias
R
GP de Abu Dhabi
11 dez
Próximo evento em
82 dias

Ocon acredita que F1 aprendeu uma lição com relargada caótica em Mugello

compartilhar
comentários
Ocon acredita que F1 aprendeu uma lição com relargada caótica em Mugello
Por:

Piloto da Renault escapou por pouco do engavetamento, mas foi advertido pela Direção de Prova pelo incidente

O engavetamento no GP da Toscana de Fórmula 1, que rendeu a primeira bandeira vermelha da prova, segue sendo um assunto dominante no paddock do Mundial. E para o piloto da Renault Esteban Ocon, o incidente fará com que o grid aprenda algumas lições.

O francês foi um de 12 pilotos que foram advertidos pela direção de prova após o incidente, que levou ao abandono de Carlos Sainz, Kevin Magnussen, Antonio Giovinazzi e Nicholas Latifi.

Leia também:

Ocon estava logo a frente das colisões, e admitiu que ficou muito surpreso pela falta de reação dos carros a frente, a ponto de pensar que sua equipe havia errado quando lhe disseram que a corrida seria reiniciada.

"Eu revi algumas vezes esse vídeo. Claramente as luzes do safety car foram apagadas muito mais tarde do que estamos acostumados".

"De onde eu estava, no carro, eu ouvi que o safety car iria entrar naquela volta. Mas o pessoal ainda estava andando como se fosse mais uma volta com o safety car, então eu achei que o pessoal havia errado".

"Mas, na verdade, eles estavam certos. Nós seguimos andando lento por muito tempo. Obviamente a aceleração é curta e vai aumentando quanto mais longe você estiver, porque a turma de trás tem uma distância maior. Então é como uma hora do rush".

"E sim, todos foram pegos de surpresa, pelo menos atrás de mim. Eu tive sorte de não ser atingido".

Perguntado sobre o regulamento, que exige que os pilotos não façam "acelerações ou frenagens erráticas" na relargada, ele disse: "Gostamos das coisas precisas na F1, em termos de regras, mas nem sempre é fácil fazer isso. Tenho certeza que o tópico surgirá na próxima reunião".

"Agora todos sabem que isso pode acontecer. Acho que todos estaremos mais alertas a essa possibilidade de uma relargada mais tardia. A última vez que vi isso foi em Baku, na F2. Acho que é um exemplo similar que me vem à cabeça".

Apesar de Ocon ter conseguido evitar o acidente, ele foi forçado a abandonar antes da relargada da primeira bandeira vermelha, por um superaquecimento nos freios.

"Obviamente não foi uma corrida fácil para nós. É uma pena, porque gostaria de ter ficado mais nela".

"Acho que a base do carro é bem forte, então isso é um ponto positivo. Eu tive uma largada limpa e a Curva 1 foi boa, mas eu tive que evitar o Carlos [Sainz] que rodou, e acabei perdendo a posição que ganhei antes".

"Depois disso, sofri com o superaquecimento dos freios na traseira, na hora do safety car. Perdemos alguns dados ali e acabamos parando na bandeira vermelha. Era impossível fazer os reparos em uma janela tão curta".

Perguntado se a equipe sabia a causa do problema, ele disse: "Não temos tanta certeza. Pode ter sido causada por detritos na pista que entraram nos dutos. Mas ainda estamos revisando".

VÍDEO: Entenda como quebras da Honda deixam Verstappen tenso na Red Bull

PODCAST: Motorsport.com debate a crise sem fim da Ferrari na temporada 2020 da F1

 

F1: Latifi diz que mudança das luzes do safety car não teria evitado engavetamento

Artigo anterior

F1: Latifi diz que mudança das luzes do safety car não teria evitado engavetamento

Próximo artigo

F1: Diretor de prova afirma que uso da brita como em Mugello não funciona em todos os circuitos

F1: Diretor de prova afirma que uso da brita como em Mugello não funciona em todos os circuitos
Carregar comentários

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Evento GP da Toscana
Pilotos Esteban Ocon
Equipes Renault F1 Team
Autor Adam Cooper