Räikkönen diz que critério da F1 é "piada" e pede mudanças

Kimi Räikkönen diz que F1 precisa mudar abordagem em relação à interpretação das regras após controvérsias no final de semana do GP da Hungria; finlandês também criticou Verstappen em disputa pelo quinto lugar

Räikkönen diz que critério da F1 é "piada" e pede mudanças
Max Verstappen, Red Bull Racing RB12
Kimi Raikkonen, Ferrari
Max Verstappen, Red Bull Racing RB12
Kimi Raikkonen, Scuderia Ferrari
Kimi Raikkonen, Ferrari
Kimi Raikkonen, Ferrari SF16-H
Kimi Raikkonen, Ferrari SF16-H
Max Verstappen, Red Bull Racing RB12
Max Verstappen, Red Bull Racing RB12
Carregar reprodutor de áudio

Kimi Räikkönen, sexto colocado no GP da Hungria, realizado neste domingo (24), protagonizou uma disputa intensa com Max Verstappen na reta final da prova, chegando a tocar a Ferrari na Red Bull do holandês na curva 2, terminando atrás do jovem piloto.

O finlandês não somente ficou bastante insatisfeito com Verstappen, julgando que a defesa de posição por parte do piloto da Red Bull excedeu os limites, como também deixou bem claro que não está nem um pouco satisfeito com o que ele julga falta de critério dos comissários de prova durante o final de semana em Hungaroring e nas últimas corridas.

"As regras existem, mas foram aplicadas de modo questionável neste final de semana. Não falo somente dos incidentes com Max, mas também das coisas que aconteceram no sábado. Qual a necessidade de termos regras se os comissários dizem 'tudo bem aqui, tudo errado ali'? Não faz sentido ter regras se elas não se aplicam da mesma forma para todos", disparou.

O piloto da Ferrari ainda criticou a decisão dos comissários quanto à permissão a cinco pilotos - incluindo Verstappen e Daniel Ricciardo - de largar em Hungaroring mesmo tendo excedido os 107% do melhor tempo do Q1.

"O que aconteceu na classificação é um bom exemplo. Você tem a regra dos 107% , mas ela não se aplicou para alguns carros ontem, mas se aplica para outros. Como você pode ter uma regra que se aplica de maneiras distintas. Se alguém puder me explicar...", reclamou.

"Mas a F1 é assim hoje, algo precisa mudar. Não é bonito de se ver e não é justo. Se a regra existe, deve ser aplicada da mesma forma o tempo todo, para todos", acrescentou.

Batalha com Verstappen 

Ao falar especificamente sobre a disputa com Verstappen, Räikkönen reiterou que, para ele, o holandês passou dos limites na defesa de posição. Sobre a primeira tentativa de ultrapassagem, quando houve o toque na curva 2, o piloto da Ferrari explicou como viu o incidente.

"Para mim, ele se moveu primeiro para a direita, então decidi ir pela esquerda. Quando o outro cara se moveu novamente, fiz de tudo para evitar um contato, mas eu já tinha ido por ali e você não pode simplesmente ir por ali. Pelo menos consegui evitar o pior", disse.

Sobre o segundo incidente, quando o finlandês travou as rodas e quase passou reto na curva um para evitar um toque com Verstappen, o 'homem de gelo' disse que foi uma situação semelhante.

"Foi parecido, escolhi um caminho e, uma vez que tomei a decisão, é difícil voltar atrás e evitar o toque quando o outro carro vem em sua direção. Consegui evitar totalmente o toque, mas nas duas situações, para mim, ele não agiu corretamente", afirmou.

"Obviamente, como eu disse antes, o critério dos comissários - ou as pessoas que decidem o que vai acontecer, os comissários e outras pessoas - é uma piada", completou.

Reportagem adicional por Roberto Chinchero

compartilhar
comentários
Gutierrez critica Hamilton por gesto de falta de respeito
Artigo anterior

Gutierrez critica Hamilton por gesto de falta de respeito

Próximo artigo

Novo líder e disputa acirrada: domingo na Hungria em imagens

Novo líder e disputa acirrada: domingo na Hungria em imagens