Red Bull: FIA arrisca abrir precedente perigoso com decisão sobre Sistema de Direção da Mercedes

compartilhar
comentários
Red Bull: FIA arrisca abrir precedente perigoso com decisão sobre Sistema de Direção da Mercedes
Por:
, Editor

Christian Horner comentou sobre a decisão tomada pela direção de prova na sexta-feira

Após o fim das atividades de pista na Áustria, a movimentação da Fórmula 1 no Red Bull Ring, após a equipe da casa formalizar um protesto contra o Sistema DED da Mercedes. Após uma audiência com a direção de prova, o dispositivo foi declarado legal mas, para a Red Bull, essa decisão pode abrir um precedente perigoso.

O Sistema de Direção de Eixo Duplo da Mercedes foi apresentado pela primeira vez na pré-temporada me Barcelona e chamou a atenção do paddock. O dispositivo, que permite que os pilotos ajustem o ângulo das rodas dianteiras através de um movimento no volante similar a um manche de avião, fez sua estreia oficial ontem nos treinos livres para o GP da Áustria, que foram dominados pela Mercedes.

Leia também:

O protesto da Red Bull foi registrado na sexta após duas dobradinhas da Mercedes nos TL1 e TL2. Mas os fiscais rejeitaram o protesto após uma longa deliberação, com o resultado sendo divulgado já na madrugada da Áustria, afirmando que o argumento da Red Bull de que o DED era parte do sistema de suspensão não havia fundamento.

A Red Bull argumentou que o DED era ilegal segundo o regulamento técnico, mas a equipe continua crente que seu uso representa uma quebra do regulamento de parque fechado. As equipes são proibidas de fazer grandes mudanças no carro a partir do momento que ele sai da garagem para a classificação.

Em entrevista à Sky Sports F1 na manhã do sábado, Christian Horner disse que a decisão pode levar a pedidos para maiores mudanças dentro do que são conhecidas como as condições de parque fechado.

"Acho que se eles usarem isso na classificação, poderemos também pedir uma mudança nas condições de parque fechado", disse Horner. "Se isso for permitido, então obviamente você pode pedir mudanças não no volante, mas em outras partes".

"É assim. Parabéns para a Mercedes, é um sistema inteligente. Incorporar isso durante o ano sendo que ele já está banido para o próximo será algo muito, muito difícil".

Horner explicou que a equipe preferiu fazer o protesto o mais cedo possível para evitar interferências no resultado da corrida, criando uma longa espera no domingo.

"Queríamos protestar o mais cedo possível no final de semana para não mexer nos resultados", disse. "A decisão iria para um dos lados, legal ou ilegal, o que daria à Mercedes a chance de resolver tudo para o sábado e o domingo".

"Tendo visto ele no carro ontem, optamos por usar o caminho do protesto para chegar a uma decisão final. Informamos à Mercedes do protesto com antecedência. O sistema é muito, muito complicado. Claro que levanta questões como qual é a função do volante. Os fiscais obviamente apoiaram a decisão de Nikolas Tombazis, o delegado técnico presente".

"Temos a claridade sobre o assunto agora. Sabemos que isso é legal, e se quisermos um, vamos fazer e incorporar".

Horner comentou o argumento da equipe que o DED não tem relação com o sistema de direção no Mercedes W11, sendo usado primariamente para ajudar no aquecimento de pneus.

"Sobre isso, é uma ferramenta que, como eu disse, não tem nada a ver com a direção, porque ele é usado apenas em retas. Isso é algo que criado pelas ambiguidades no regulamento. Mas já foi fechado para o próximo ano".

"O feedback que recebemos da engenharia é que não era algo que seguia o regulamento desse ano, por isso que questionamos. Para nós, capítulo encerrado".

SEXTA-LIVRE: Mercedes sobra e Racing Point mostra força; Red Bull começa atrás na Áustria

PODCAST: Entrevista com Bruno Senna: a trajetória no automobilismo e histórias com tio Ayrton Senna

 

F1: Hamilton lidera terceiro treino livre para o GP da Áustria marcado por batida de Latifi

Artigo anterior

F1: Hamilton lidera terceiro treino livre para o GP da Áustria marcado por batida de Latifi

Próximo artigo

F1: Pilotos se manifestarão contra racismo antes do GP da Áustria

F1: Pilotos se manifestarão contra racismo antes do GP da Áustria
Carregar comentários

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Evento GP da Áustria
Equipes Red Bull Racing
Autor Luke Smith