Brawn quer todas as equipes da F1 na 2ª temporada de série da Netflix

Diretor esportivo da Fórmula 1 trabalha pela participação de Ferrari e Mercedes no projeto audiovisual

Brawn quer todas as equipes da F1 na 2ª temporada de série da Netflix

Nesta sexta-feira, a série F1: Dirigir para Viver foi lançada mundialmente na plataforma de streaming Netflix. Apenas oito equipes da Fórmula 1 aceitaram participar do programa, com Ferrari e Mercedes optando por ficar de fora quando as filmagens começaram, na pré-temporada 2018. No fim do ano, a escuderia italiana até permitiu algumas gravações, mas isso não é o suficiente para o diretor esportivo da categoria: Ross Brawn quer que todos os times participem da segunda temporada do produto.

A organização da F1 já está se organizando para concretizar o objetivo do dirigente. Embora a segunda temporada ainda não tenha começado, a produtora Box to Box já fez algumas filmagens nos testes de Barcelona e deve realizar gravações também na Austrália. O país recebe o GP inaugural do ano, em Melbourne.

Leia também:


Brawn está otimista com a participação de todas as equipes. Segundo ele, as escuderias vão compreender a importância de se envolver nas atividades promocionais: “Acho que esse esporte pode crescer, e será mais rápido se todos os times fizerem parte desse processo, sem dúvidas”.

“Acho que as equipes estão começando a reconhecer que seu envolvimento não se restringe à pista. Tem de haver participação em tudo que pode melhorar o esporte. Talvez nem toda escuderia esteja chegando a essa conclusão ao mesmo tempo, mas todas estão percebendo isso. Penso que veremos mais um passo adiante em 2019”.

Durante o lançamento da série, em que viu os dois primeiros episódios, Brawn disse que os fãs querem saber mais sobre as pessoas envolvidas no esporte: “De certa forma, o que vimos aqui é um indicação do caminho que vamos seguir. É um exemplo das mudanças que estão chegando na F1. O lado humano sempre foi fascinante e todos queremos estar envolvidos nessa questão. Eu sei da minha família o quanto eles sofrem e quanto prazer sentem com as corridas”.

Ross Brawn, Formula One Managing Director of Motorsports in a Press Conference

Ross Brawn, Formula One Managing Director of Motorsports in a Press Conference

Photo by: Mark Sutton / Sutton Images

“Você pode ver esse tipo de coisa na série. Desde que começamos essa nova era, uma das coisas que vieram à tona dos fãs é que eles querem saber mais sobre tudo que acontece. Há uma fascinação em relação aos pilotos e o porquê de eles serem especiais. E nos dois episódios, vimos diferentes aspectos da F1. Eu gostei particularmente do segundo – da química entre Carlos Sainz e Fernando Alonso. Tipo de coisa que você não necessariamente vê ou sente normalmente”.

Diretora de marketing da F1, Ellie Norman confirmou que a segunda temporada ainda está sendo debatida com os times: “Conversas estão acontecendo com todos em relação às filmagens. A produtora gravou em Barcelona e estará em Melbourne, e obviamente gostaríamos de ter todas as equipes envolvidas”.

“Apenas começamos as conversas, e isso leva tempo. Acho que a Netflix tem real confiança com a primeira temporada, então estão financiando a Box to Box para cobrir a temporada 2019”.

Norman também reconheceu que a agenda ocupada de Lewis Hamilton dificultou a participação do atual campeão no projeto: “Alguns têm outras atividades. A Mercedes tem muitas com um piloto que gosta de moda, música – não deu para eles encontrarem tempo”.

A TV cameraman at work

A TV cameraman at work

Photo by: Zak Mauger / LAT Images

compartilhar
comentários
GALERIA: Todas as mulheres que já guiaram um F1

Artigo anterior

GALERIA: Todas as mulheres que já guiaram um F1

Próximo artigo

Toro Rosso: Chassi 'mais complexo' para integração com motor Honda

Toro Rosso: Chassi 'mais complexo' para integração com motor Honda
Carregar comentários

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Autor Adam Cooper