Russell: GPs com baixa aderência como Turquia "não são a F1"

Britânico disse que novo recapeamento prejudicou os pilotos, e tornou a corrida "uma loteria"

Russell: GPs com baixa aderência como Turquia "não são a F1"

George Russell ficou frustrado com as condições de baixa aderência durante o fim de semana do GP da Turquia, afirmando que "isso não é Fórmula 1".

O recapeamento tardio do circuito de Istanbul Park combinado com a falta de outros eventos antes da chegada da F1 deixou a pista sem aderência, tornando difícil para os pilotos ganharem velocidade.

Leia também:

As condições de chuva tornaram ainda mais difícil para os pilotos durante a qualificação e a corrida de domingo, que contou com uma série de giros e erros durante a luta por aderência enquanto os pneus tinham dificuldades para atingir a temperatura ideal.

O piloto da Williams terminou em 16º e ficou frustrado com as enormes oscilações nos tempos de volta dependendo da temperatura dos pneus, dizendo que não foi uma corrida agradável.

"O tempo de volta varia de dois a três segundos por volta, se os pneus funcionarem ou não - é inacreditável", disse Russell.

 

Photo by: Andy Hone / Motorsport Images

"Este fim de semana não tem sido realmente que é a Fórmula 1. Tenho certeza de que o show estava ótimo, e tenho certeza de que adoraria assisti-lo do meu sofá em casa.

"Foi uma loteria para todos lá fora. Eu amo dirigir em condições de chuva, mas isso foi apenas outra coisa."

Russell disse que era frustrante não maximizar o potencial dos carros mais rápidos da história da F1 na volta do Istanbul Park.

"Penso que todos estavam muito entusiasmados para vir aqui e, desde a primeira volta no primeiro treino livre, simplesmente não tínhamos aderência", disse Russell.

“O maior fator, sem sombra de dúvida, foi o novo recapeamento. Pelo que ouvi e entendi, tudo teve que ser feito no último minuto.”

Piloto reclamou de baixa aderência desde o primeiro treino livre

Piloto reclamou de baixa aderência desde o primeiro treino livre

Photo by: Charles Coates / Motorsport Images

"Foi como dirigir em uma placa de gelo e, na verdade, nas vezes em que saí da pista para o concreto antigo, tive muito mais aderência do que antes, e a plataforma de concreto no pit lane, que normalmente é incrivelmente escorregadia em comparação com a pista , tinha muito mais aderência do que a pista de corrida real.

"Acho que nenhum piloto tenha desfrutado dessas condições."

Questionado sobre se poderia apreciar o fato de os fãs em casa terem gostado de uma corrida tão imprevisível, Russell respondeu: "Se você quiser o caos e a carnificina, e os pilotos sendo forçados a parecerem idiotas, existem outras categorias e esportes que você pode ir e assistir .

“A Fórmula 1 é sobre os melhores carros, os melhores pilotos, as melhores equipes indo para as melhores pistas e mostrando o que podem fazer. Este fim de semana não foi isso."

“Tenho certeza de que adoraria estar no sofá, mas deve haver um ponto intermediário com o qual tenho certeza que a F1 pode aprender.”

Nova parceria com ThePlayer.com, a melhor opção para apostas e diversão no Brasil

Registre-se gratuitamente no ThePlayer.com e acompanhe tudo sobre Fórmula 1 e outros esportes! Você confere o melhor conteúdo sobre o mundo das apostas e fica por dentro das dicas que vão te render muita diversão e também promoções exclusivas. Venha com a gente!

PÓDIO: Chuva traz caos ao GP da Turquia, mas Hamilton se sobressai, vence e garante o hepta

PODCAST: O calendário 'pós-pandemia' da F1 2021 é o mais correto? Ouça o debate

 

 
compartilhar
comentários
Chefe da Pirelli na F1, Isola testa positivo para Covid-19
Artigo anterior

Chefe da Pirelli na F1, Isola testa positivo para Covid-19

Próximo artigo

Pelé, Rosberg e mundo do esporte celebram hepta de Hamilton: "Uma das maiores conquistas da história do esporte"

Pelé, Rosberg e mundo do esporte celebram hepta de Hamilton: "Uma das maiores conquistas da história do esporte"
Carregar comentários