Verstappen nega pedido de ordem de equipe em luta com Kvyat

Max Verstappen disse que mensagem de rádio não era recado cifrado para que Daniil Kvyat recebesse uma ordem da Toro Rosso para deixar holandês passar durante o GP de Cingapura

Verstappen nega pedido de ordem de equipe em luta com Kvyat
Daniil Kvyat, Scuderia Toro Rosso
Daniil Kvyat, Scuderia Toro Rosso STR11
Daniil Kvyat, Scuderia Toro Rosso
Daniil Kvyat, Scuderia Toro Rosso STR11 leads Max Verstappen, Red Bull Racing RB12
Pascal Wehrlein, Manor Racing MRT05 and Max Verstappen, Red Bull Racing RB12 battle for position
Max Verstappen, Red Bull Racing RB12
Daniil Kvyat, Scuderia Toro Rosso
Max Verstappen, Red Bull Racing RB12
Max Verstappen, Red Bull Racing
Daniil Kvyat, Scuderia Toro Rosso STR11
Carregar reprodutor de áudio

Durante o GP de Cingapura, realizado neste domingo (18), Max Verstappen e Daniil Kvyat - personagens da polêmica troca entre Red Bull e Toro Rosso no início da temporada - se envolveram em uma acirrada disputa de posição.

O holandês tentou de tudo, mas o russo se defendeu bem e Verstappen foi ganhar a posição na estratégia de box. Embora tenha soltado um "vamos lá, cara" no rádio, expressando frustração com a disputa, o piloto da Red Bull garantiu que não pediu que fosse dada uma ordem para que Kvyat cedesse a posição para ele.

Questionado se o russo deveria ter permitido a ultrapassagem, Verstappen disse: "Não, eu deveria ter conseguido por meus méritos. A defesa de Kvyat foi boa, ele estava lutando pela posição", afirmou.

Sobre a mensagem exibida pela transmissão da prova, o holandês minimizou e negou que tenha sido um pedido de ordem de equipe. "A disputa foi intensa, extrapolando os limites da pista em determinado momento. Estávamos perdendo muito tempo e, após a largada ruim, eu estava um pouco desapontado", acrescentou.

Kvyat, por sua vez, deixou claro que não foi abordado em nenhum momento para permitir a passagem de Verstappen - nem na disputa no início da prova, nem depois, quando o holandês superou o russo com facilidade, calçado com pneus mais novos.

"De forma alguma. Acho que você me viu tentando passar (Sergio) Pérez. Era difícil superar ele, pois a vantagem dele nas retas era grande. Então atrasei a freada ao máximo e saí da pista com as quatro rodas na curva 7", disse. 

"Quando Max passou por ele, tive que deixá-lo passar para devolver a posição para Pérez, caso contrário tomaria uma punição. Gostei bastante de correr hoje. Sinto o prazer de correr novamente", afirmou o russo.

Verstappen, por fim, reconheceu que o sexto lugar era o melhor resultado possível devido aos problemas na largada.

"Levando em consideração a largada, creio que conseguimos o melhor resultado possível. As coisas se tornam muito difíceis quando você fica atrás de um carro por três ou quatro voltas sem conseguir a ultrapassagem, pois você simplesmente destrói seus pneus", ressaltou.

"Quando estava com ar limpo à frente, conseguia controlar o desgaste. Infelizmente, não tive muitas voltas com pista livre. Tudo ficou comprometido por causa da largada", completou.

Reportagem adicional por Andrew van Leeuwen

 

compartilhar
comentários
Fora dos pontos, Massa lamenta tráfego e estratégia
Artigo anterior

Fora dos pontos, Massa lamenta tráfego e estratégia

Próximo artigo

Nasr diz que 13º foi o máximo que podia em Cingapura

Nasr diz que 13º foi o máximo que podia em Cingapura