F-E: Mahindra confirma negociações com Abt para fornecimento de trem de força

A Mahindra Racing está conversando com várias equipes de Fórmula E, incluindo a Abt Sportsline, para fornecer motores para o início da era Gen3 em 2023.

F-E: Mahindra confirma negociações com Abt para fornecimento de trem de força
Carregar reprodutor de áudio

Há rumores de que Mahindra assinou um acordo com a ex-equipe de fábrica da Audi, Abt, que retornará à Fórmula E no próximo ano como uma equipe independente após a retirada surpreendente da fabricante alemã no final da temporada 2020/21. 

Ao contrário de sua passagem anterior na F-E, onde inicialmente produziu seu próprio trem de força antes de se transformar no esquadrão da Audi, a Abt fornecerá hardware e software de um fornecedor externo quando a Gen3 entrar em operação na próxima temporada. 

O editor recomenda:

O chefe da equipe Abt, Thomas Biermaier, participou do E-Prix de Roma em abril deste ano e foi visto conversando com o chefe da Mahindra FE, Dilbagh Gill, no paddock, alimentando rumores sobre a equipe. 

Gill revelou agora que está em discussão com várias equipes para a nona temporada e permanece otimista sobre as chances da Mahindra de garantir um cliente de powertrain pela primeira vez na série. 

“A Mahindra está conversando com mais de uma organização neste momento e eu diria que estamos relativamente confiantes de que teremos uma equipe de clientes na Gen3”, disse Gill ao Motorsport.com antes do evento inaugural de Jakarta neste sábado.

Solicitado a confirmar se Abt é uma das equipes com as quais ele está conversando, Gill respondeu: “Sim, estamos conversando com Abt e Thomas, entre outros”.

Alexander Sims, Mahindra Racing, Mahindra M7Electro, Oliver Turvey, NIO 333 Racing, NIO 333 001

Alexander Sims, Mahindra Racing, Mahindra M7Electro, Oliver Turvey, NIO 333 Racing, NIO 333 001

Photo by: Alastair Staley / Motorsport Images

Os fabricantes de Fórmula E terão dias de testes adicionais adicionados à sua alocação para fornecer trens de força aos clientes na era Gen3, proporcionando-lhes um incentivo para colaborar com outras equipes. 

No entanto, Gill diz que o tempo de pista adicional é apenas parte do motivo pelo qual a Mahindra está interessada em expandir sua presença no grid como fabricante antes de uma grande revisão nos regulamentos no próximo ano. 

“É um dos incentivos, mas não é o único fator de decisão”, explicou Gill. 

“Existem vários fatores de decisão. Um é obviamente um teste extra. Um deles são dados extras trabalhando em estreita colaboração com uma equipe muito bem-sucedida de antes. 

“Por último, mas não menos importante, também devemos ir lá e trabalhar juntos. Essa parte está se tornando um modelo agora na Fórmula E com todos os fabricantes.”

Assine o canal do Motorsport.com no YouTube

Os melhores vídeos sobre esporte a motor estão no canal do Motorsport.com. Inscreva-se já, dê o like ('joinha') nos vídeos e ative as notificações para ficar por dentro de tudo o que rola em duas ou quatro rodas.

Podcast #180 – ‘Autossabotagem’ da Ferrari pode fazê-la perder título da F1 em 2022?

 

ACOMPANHE NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

 
compartilhar
comentários
F-E: Evans segura Vergne e vence ePrix de Jacarta; Vandoorne é 5º e mantém ponta do Mundial
Artigo anterior

F-E: Evans segura Vergne e vence ePrix de Jacarta; Vandoorne é 5º e mantém ponta do Mundial

Próximo artigo

Fórmula E: Veja a situação do Mundial após o ePrix de Jacarta

Fórmula E: Veja a situação do Mundial após o ePrix de Jacarta