Ducati confirma presença na MotoGP para ciclo 2022-2026

Marca italiana é a segunda a assinar a renovação, após a KTM

Ducati confirma presença na MotoGP para ciclo 2022-2026

A Ducati é a segunda montadora a confirmar sua permanência no grid da MotoGP após o final do ciclo atual, que se encerra em 2021. O novo acordo da marca italiana com a Dorna Sports, promotora da categoria, vale por mais cinco anos, até 2026. A Ducati é a segunda a assinar a renovação para o novo ciclo, com a KTM confirmando sua presença na semana passada.

Presente na MotoGP desde 2003, a Ducati venceu pela primeira vez na categoria já em sua sexta corrida, com Loris Capirossi no GP da Catalunha, antes da marca vencer os Mundiais de Pilotos, Equipes e Construtores em 2007 com Casey Stoner.

Leia também:

No ano passado, a Ducati venceu novamente o Mundial de Construtores, impedindo que a Suzuki fizesse a limpa, após vencer com Joan Mir entre os pilotos e com as equipes. Até aqui, a montadora acumula 51 vitórias e 160 pódios na categoria-rainha.

"As corridas são parte fundamental da Ducati como marca e seguirá sendo assim no futuro", disse Claudio Domenicali, CEO da marca. "Na verdade, elas não representam apenas um modo de alimentar a paixão dos fãs da Ducati pelo mundo, mas funcionam também como um importante laboratório de pesquisa avançado, onde os materiais mais sofisticados e os métodos de design mais inovadores são testados".

"A renovação desse acordo confirma que, enquanto planejamos a expansão de nossa gama de produtos fora do mundo das motos esportivas, as motos de pista e alta performance seguem sendo um elemento central para a Ducati".

Para 2021, a Ducati mexeu com a dupla de pilotos da equipe de fábrica, com Jack Miller e Francesco Bagnaia sendo promovidos no lugar de Andrea Dovizioso e Danilo Petrucci.

A Ducati seguirá tendo como satélites a Pramac e a Avintia em 2021, com a Pramac usando duas GP21 de fábrica para Johann Zarco e o novato Jorge Martín, enquanto a Avintia terá outros dois novatos, Luca Marini e Enea Bastianini, que competirão com GP19s.

"Estamos felizes em confirmar nossa participação na MotoGP até o fim de 2026", disse Gigi Dall'Igna, diretor geral da Ducati Corse. "Nos anos recentes, a Desmosedici GP se mostrou uma das motos mais competitivas do grid, e o título de construtores de 2020 é mais uma prova disso. Apesar do regulamento deste ano não permitir desenvolvimentos técnicos significativos, vamos enfrentar a temporada 2021 com a mesma paixão e dedicação.

"O objetivo é lutar pelo título da MotoGP com nossos novos pilotos, preparando o terreno para nosso comprometimento futuro com o campeonato".

Enquanto apenas KTM e Ducati estão confirmadas para o próximo ciclo da MotoGP, a expectativa é que as outras quatro montadoras - Yamaha, Suzuki, Honda e Aprilia - renovem também seu contrato com o campeonato.

Nova parceria com ThePlayer.com, a melhor opção para apostas e diversão no Brasil

Registre-se gratuitamente no ThePlayer.com e acompanhe tudo sobre Fórmula 1 e outros esportes! Você confere o melhor conteúdo sobre o mundo das apostas e fica por dentro das dicas que vão te render muita diversão e também promoções exclusivas. Venha com a gente!

Quais pilotos da F1 tiveram os maiores salários de 2020 e os que ganharam ‘mixaria’

PODCAST: Chico Serra fala de rivalidade com Piquet, amizade com Senna e briga com Boesel

 

compartilhar
comentários
MotoGP: Petronas SRT quer seguir como satélite da Yamaha e não teme possível concorrência de equipe de Rossi

Artigo anterior

MotoGP: Petronas SRT quer seguir como satélite da Yamaha e não teme possível concorrência de equipe de Rossi

Próximo artigo

MotoGP: Marc Márquez dá novo passo em sua recuperação, mas ainda não tem previsão de volta

MotoGP: Marc Márquez dá novo passo em sua recuperação, mas ainda não tem previsão de volta
Carregar comentários

Sobre esta matéria

Categoria MotoGP
Equipes Ducati Team
Autor Haydn Cobb