Lorenzo elogia "obstinado" Dall'Igna por trabalho na Ducati

Jorge Lorenzo destacou o papel de Gigi Dall'Igna, diretor técnico da Ducati, na reestruturação da equipe e retorno ao topo após vitória no GP da Áustria

Lorenzo elogia "obstinado" Dall'Igna por trabalho na Ducati
Andrea Dovizioso, Ducati Team, Andrea Iannone, Ducati Team
Andrea Iannone, Ducati Team, Andrea Dovizioso, Ducati Team
Podium: third place Jorge Lorenzo, Yamaha Factory Racing celebrates with champagne
Podium: Gigi Dall'Igna, Ducati Team General Manager
Third place Jorge Lorenzo, Yamaha Factory Racing
Third place Jorge Lorenzo, Yamaha Factory Racing with Gigi Dall'Igna, Ducati Corse General Manager
Winner Andrea Iannone, Ducati Team and second place Andrea Dovizioso, Ducati Team
Carregar reprodutor de áudio

Jorge Lorenzo e Gigi Dall'Igna, chefe da Ducati, são velhos conhecidos. A dupla trabalhou junta na Derbi, nas 125cc, e na Aprilia, quando Lorenzo foi bicampeão das 250cc em 2006 e 2007.

Na próxima temporada, os dois se reencontrarão na Ducati e o espanhol já elogia o trabalho de Dall'Igna - um dos elementos-chave para que o tricampeão da MotoGP trocasse a Yamaha pelo time italiano a partir de 2017.

A admiração é mútua, o que explica a satisfação de Lorenzo após a vitória de Andrea Iannone no GP da Áustria, a primeira da Ducati desde 2010 - além do fato de que o espanhol vai pilotar a versão atualizada da Desmosedici em 2017.

"Eu preferia ter vencido, com Iannone e Dovizioso chegando em segundo e terceiro. Mas estou feliz por eles porque sei que eles trabalharam duro, especialmente Gigi - as convicções dele finalmente geraram frutos e o que ele tem feito merece muitos créditos", disse.

Os primeiros passos de Lorenzo na Ducati serão o centro das atenções no próximo ano, mas a dobradinha do time de Borgo Panigale no Red Bull Ring tira um pouco da pressão sobre os ombros do espanhol.

A moto que chegará nas mãos de Lorenzo não será a mesma com a qual Iannone venceu no último domingo, podendo ser melhor ou pior. Mas isso não preocupa o tricampeão da MotoGP, que disse ter pensado com calma sobre a mudança e afirmado que confia no trabalho de Dall'Igna.

"No fim das contas, nada é garantido e minha decisão de deixar a Yamaha pode tanto se mostrar um acerto como um erro. Mas não decidi isso em cinco minutos. Vi o progresso da Ducati e conheço Gigi Muito bem. Ele é muito obstinado e quando coloca uma ideia na cabeça, não desiste até alcançar o objetivo", completou.

compartilhar
comentários
Confiante, KTM diz que poderia correr na MotoGP já em 2016
Artigo anterior

Confiante, KTM diz que poderia correr na MotoGP já em 2016

Próximo artigo

Laverty diz que pode voltar à Superbike junto com a Aprilia

Laverty diz que pode voltar à Superbike junto com a Aprilia