MotoGP
25 mar
Próximo evento em
58 dias
R
GP da Argentina
08 abr
Postponed
R
GP das Américas
15 abr
Postponed
R
GP da Espanha
29 abr
Próximo evento em
93 dias
R
GP da França
13 mai
Próximo evento em
107 dias
R
GP da Itália
27 mai
Próximo evento em
121 dias
R
GP da Catalunha
03 jun
Próximo evento em
128 dias
R
GP da Alemanha
17 jun
Próximo evento em
142 dias
R
GP da Holanda
24 jun
Próximo evento em
149 dias
R
GP da Finlândia
08 jul
Próximo evento em
163 dias
R
GP da Áustria
12 ago
Próximo evento em
198 dias
R
GP da Grã-Bretanha
26 ago
Próximo evento em
212 dias
R
GP de Aragón
09 set
Próximo evento em
226 dias
R
GP de San Marino
16 set
Próximo evento em
233 dias
R
GP do Japão
30 set
Próximo evento em
247 dias
R
GP da Tailândia
07 out
Próximo evento em
254 dias
R
GP da Austrália
21 out
Próximo evento em
268 dias
28 out
Próximo evento em
275 dias
R
GP de Valência
11 nov
Próximo evento em
289 dias

Lorenzo terá que aceitar corte de salário, diz Ducati

compartilhar
comentários
Lorenzo terá que aceitar corte de salário, diz Ducati
Por:

Espanhol deverá aceitar redução salarial se quiser renovar com time italiano, avisa diretor esportivo

Paolo Ciabatti, Ducati Sporting director, Jorge Lorenzo, Ducati Team
Jorge Lorenzo, Ducati Team
Jorge Lorenzo, Ducati Team
Jorge Lorenzo, Ducati Team
Paolo Ciabatti, Ducati Sporting director, Jorge Lorenzo, Ducati Team
Jorge Lorenzo, Ducati Team
Jorge Lorenzo, Ducati Team
Jorge Lorenzo, Ducati Team

Com os contratos vigentes de Jorge Lorenzo e Andrea Dovizioso chegando ao final neste ano, a Ducati espera discutir nos próximos meses com os dois pilotos os termos de suas permanências na escuderia italiana.

No entanto, a situação de ambos é bem diferente. Andrea Dovizioso desafiou Marc Márquez pelo título de 2017 e ganha apenas dois milhões de euros por ano. Já Jorge Lorenzo ganha 12 milhões por ano e não conseguiu impressionar em sua primeira temporada pela montadora de Borgo Panigale.

Diretor esportivo, Paolo Ciabatti destacou que a Ducati não poderá repetir essa oferta no atual ciclo de negociações de contratos, e admitiu ainda que a marca italiana provavelmente terá que "recompensar" Dovizioso com um aumento.

"A intenção é continuar trabalhando com os dois pilotos, mas o nosso limite econômico é claro", disse Ciabatti ao Motorsport.com.

"Falaremos com os nossos patrocinadores, porque a Telecom Italia decidiu nos deixar, e quando tivermos uma ideia de quanto dinheiro poderemos fornecer, será mais fácil conversar com os empresários dos pilotos.”

"O que é evidente é que a situação é muito diferente em relação a 2016. Quando contratamos Jorge, ele tinha uma oferta muito grande da Yamaha para mais dois anos e era o atual campeão mundial.”

"Quando renovamos com Andrea, em meados de 2016, ele nunca havia ganhado com a Ducati. Vamos premiar o que ele fez em 2017.”

"Um piloto como ele, com um contrato que expira no final deste ano, está em uma posição de negociação mais forte do que antes.”

"(CEO da Ducati) Claudio Domenicali disse isso no lançamento do time. A Ducati fez um esforço para atrair a atenção de Lorenzo, mas isso foi em um momento específico.”

"Não acho que possamos dar a Jorge a mesma quantia de quando ele chegou à equipe".

Morbidelli não acha realista estrear no nível de Zarco

Artigo anterior

Morbidelli não acha realista estrear no nível de Zarco

Próximo artigo

Viñales torce por renovação de Rossi com Yamaha

Viñales torce por renovação de Rossi com Yamaha
Carregar comentários

Sobre esta matéria

Categoria MotoGP
Pilotos Jorge Lorenzo
Equipes Ducati Team
Autor Oriol Puigdemont