Alonso insiste que meta da McLaren no próximo ano é o título

Apesar de não ter conseguido nem pódio, espanhol fala sobre objetivo para 2017: "pode soar estranho pelo nosso momento atual, mas queremos o título no ano que vem"

Alonso insiste que meta da McLaren no próximo ano é o título
Fernando Alonso, McLaren
Fernando Alonso, McLaren MP4-31
Fernando Alonso, McLaren in parc ferme
Fernando Alonso, McLaren MP4-31
Fernando Alonso, McLaren MP4-31
Fernando Alonso, McLaren MP4-31
Fernando Alonso, McLaren MP4-31
Fernando Alonso, McLaren MP4-31

Mesmo sem conseguir sequer um pódio desde que renovou seu contrato com a equipe, Fernando Alonso afirma que ele e a McLaren têm como objetivo não apenas isso mas o título mundial em 2017. 

"Ano que vem queremos vencer o campeonato. Pode soar estranho estando onde estamos nesse momento, mas o objetivo é esse", disse ele em entrevista ao Autosprint. 

"Gostaria de já estar mais à frente, mas a situação atual é essa. Tomo como um projeto de maturação para tempos melhores". 

Alonso admite que foi difícil suportar a frustração da temporada passada, quando o motor Honda mostrou-se inconfiável e sem força, mas que tal situação ajudou no processo de aprendizagem. 

"Ano passado foi difícil e doloroso, ainda mais porque tivemos problemas em pistas que provavelmente poderiam ter sido solucionados com testes. Este ano tais coisas evoluíram". 

"Devemos ser a equipe que mais evoluiu nos últimos 12 meses. O problema é que as outras escuderias têm 36 meses de trabalho, então não é nada fácil retomar a liderança com metade desse tempo". 

"Nós conseguimos a confiança (no carro), mas ainda nos falta performance. Isso virá no próximo ano. Estou certo que chegará a hora em que seremos os melhores".

Alonso também acredita que as mudanças feitas na Honda, com a chegada do novo chefe Yusuke Hasegawa no lugar de Yasuhisa Arai, funcionaram bem.

"Os progressos têm sido rápidos. Hasegawa veio diretamente das corridas e é mais aberto a novas ideias. Ele tem uma nova filosofia", afirmou.  

"Mas sabemos que estamos pelo menos oito meses atrasado em relação ao nosso objetivo. Além disso existem pequenos erros cometidos nos finais de semana, como estratégias na classificação ou na corrida". 

"(Recém-chegado chefe Jost) Capito terá de se envolver nesses aspectos, usando sua experiência em outras categorias. Essas pequenas mudanças vão nos ajudar rapidamente".

compartilhar
comentários
GP da Hungria tem 'maldição' que já dura 11 anos; relembre
Artigo anterior

GP da Hungria tem 'maldição' que já dura 11 anos; relembre

Próximo artigo

Com boa base de fãs, Massa espera voltar aos pontos na Hungria

Com boa base de fãs, Massa espera voltar aos pontos na Hungria
Carregar comentários