Fórmula 1
25 mar
Próximo evento em
65 dias
06 mai
Próximo evento em
107 dias
20 mai
Próximo evento em
121 dias
R
GP do Azerbaijão
03 jun
Próximo evento em
135 dias
10 jun
Próximo evento em
142 dias
24 jun
Próximo evento em
156 dias
R
GP da Áustria
01 jul
Próximo evento em
163 dias
R
GP da Grã-Bretanha
15 jul
Próximo evento em
177 dias
29 jul
Próximo evento em
191 dias
R
GP da Bélgica
26 ago
Próximo evento em
219 dias
02 set
Próximo evento em
226 dias
09 set
Próximo evento em
233 dias
23 set
Próximo evento em
247 dias
R
GP de Singapura
30 set
Próximo evento em
254 dias
07 out
Próximo evento em
261 dias
21 out
Próximo evento em
275 dias
28 out
Próximo evento em
282 dias
05 nov
Próximo evento em
290 dias
R
GP da Austrália
18 nov
Próximo evento em
303 dias
R
GP da Arábia Saudita
03 dez
Próximo evento em
318 dias
R
GP de Abu Dhabi
12 dez
Próximo evento em
327 dias
Análise técnica de Giorgio Piola
Assunto

Análise técnica de Giorgio Piola

Análise técnica: as atualizações que deram vantagem à Mercedes na Bélgica

compartilhar
comentários
Análise técnica: as atualizações que deram vantagem à Mercedes na Bélgica
Por:
, Especialista
Co-autor: Matt Somerfield

Giorgio Piola e Matt Somerfield mostram as novidades apresentadas pela equipe alemã no GP da Bélgica

A Mercedes continuou mostrando seu domínio na Fórmula 1 com mais uma dobradinha dominante, agora no GP da Bélgica, graças a um carro que sofreu diversas modificações.

Com a sua principal rival, Red Bull, dando a impressão de ter reduzido a diferença nas últimas etapas, a Mercedes respondeu à ameaça potencial com uma série de mudanças que deixaram o W11 ainda melhor, otimizando o modelo para circuitos de baixo downforce.

Leia também:

Mercedes F1 W11 fins comparison

Mercedes F1 W11 fins comparison

Photo by: Giorgio Piola

Começando na frente do carro, as aletas em forma de 'L' na lateral da saída do Duto S, que a Mercedes foi pioneira ao adotar, permaneceram até agora basicamente inalteradas. Porém, como parte da atualização, essas aletas tiveram sua altura ligeiramente alteradas, com a superfície adotada e uma forma mais esculpida. O design lembra muito o usado pela Red Bull.

Enquanto isso, a aleta do chassi, que já recebeu alguma atenção nesta temporada, também foi ligeiramente alterada para coincidir com a mudança na frente, além do efeito consequente que tem sobre o fluxo de ar que recebe.

Mercedes F1 W11 bargeboard detail
Mercedes F1 W11 bargeboard detail

No centro do carro, foram realizadas mudanças substanciais nos bargeboards e nos defletores, com todo o conjunto sendo quase que desviado para trás. É provável que seja uma tentativa de alterar o equilíbrio aerodinâmico geral do carro para as demandas de alta velocidade de Spa e dos circuitos futuros.

O primeiro elemento do bargeboard vertical principal foi endireitado e aumentado em altura, o que tem um efeito indireto na forma como ele se emparelha com o elemento secundário (setas vermelhas).

A placa final serrilhada e as barbatanas que ficam sobre eles foram encurtadas e ajustadas (setas brancas), enquanto as abas horizontais tipo venezianas, que fazem a ponte entre a torre em formato de machado e o defletor principal, foram reduzidas em número, de cinco para quatro (setas azuis).

Em seguida, a aleta em forma de ferradura abaixo dessas abas também foi alterada, com outra sendo adicionada entre ela e o assoalho (setas verdes).

A Mercedes também acrescentou uma entrada de resfriamento auxiliar sob sua entrada principal, alinhada no canto perto do chassi. Embora isso sempre tenha parecido como um ajuste simples no início da temporada, ele acabou permanecendo até então. Como parte da atualização para Spa, a forma e o tamanho também foram alterados para melhorar o fluxo interno e ao redor do duto.

Mercedes F1 W11 rear wing detail British GP

Mercedes F1 W11 rear wing detail British GP

Photo by: Giorgio Piola

Mercedes F1 W11 rear comparison

Mercedes F1 W11 rear comparison

Photo by: Motorsport Images

O design de pilar único da asa traseira também teve um retorno triunfante, tendo sido visto pela última vez em Silverstone. Para dar uma ideia do nível de redução de downforce que a equipe buscou, a imagem mostra uma comparação lado a lado com a asa usada na Áustria.

Esta imagem também é útil para compararmos os pacotes de resfriamento pois, embora você possa esperar que a Mercedes use a menor abertura traseira possível em Spa, a fim de limitar o arrasto gerado, os engenheiros também estão preocupados com o desempenho e a implicação na vida útil da unidade de potência pelo seu uso ininterrupto nesses circuitos.

Como podemos ver, a forma e a altura dos sidepods e a saída de resfriamento são, na verdade, semelhantes, senão iguais às usadas na Áustria.

Vettel comenta rumores sobre ida p/ Racing Point e fala de outras categorias para 2021

PODCAST Motorsport.com debate qual seria o calendário ideal da Fórmula 1; ouça

 

SIGA NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

 

Brawn culpa pneus por performance da Ferrari em Spa e fala de Sainz: "Deve estar nervoso para a próxima temporada"

Artigo anterior

Brawn culpa pneus por performance da Ferrari em Spa e fala de Sainz: "Deve estar nervoso para a próxima temporada"

Próximo artigo

Hamilton critica Albon: Red Bull sente falta de um bom 2º piloto

Hamilton critica Albon: Red Bull sente falta de um bom 2º piloto
Carregar comentários

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Evento GP da Bélgica
Equipes Mercedes
Autor Giorgio Piola