Análise técnica de Giorgio Piola
Assunto

Análise técnica de Giorgio Piola

Análise técnica: Como a Red Bull tentou alcançar a Mercedes na Espanha

compartilhar
comentários
Análise técnica: Como a Red Bull tentou alcançar a Mercedes na Espanha
Por:

Equipe austríaca tem realizado constantes atualizações no RB16 em busca de atingir o nível de desempenho do time alemão na F1

A Red Bull queria ser rápida em 2020, mas admitiu abertamente que o RB16 não tem sido bom o suficiente nas primeiras rodadas do campeonato. Os testes de pré-temporada destacaram o quão nervoso o carro pode estar sob certas condições. No entanto, ele reagiu rapidamente para interromper esse deslize, com atualizações chegando semanalmente ao longo das primeiras cinco corridas.

Até o GP da Grã-Bretanha em Silverstone, a equipe vinha lutando contra um problema de instabilidade que tornava o carro difícil de manejar para seus pilotos, algo que teve ainda mais impacto quando o carro precisava ser pilotado no limite, especialmente durante os treinos classificatórios.

Leia também:

Red Bull Racing RB16 front wing

Red Bull Racing RB16 front wing

Photo by: Giorgio Piola

Na tentativa de corrigir esses problemas, houve um ataque em duas frentes na dianteira do carro. A Red Bull introduziu a terceira solução no bico, com o novo design compreendendo recursos presentes nos dois designs anteriores em 2020.

O bico atual usa o design original com o qual a equipe começou a temporada (V1) e voltou quando seu segundo design (V2) não correspondeu às expectativas. No entanto, a rampa na parte central da estrutura agora tem apenas uma entrada como a segunda versão, em vez das duas que apresentavam anteriormente.

A equipe tem um novo design de asa dianteira, que apresenta uma plataforma totalmente refeita com um Gurney na borda de fuga. A forma da placa é sutilmente diferente na extremidade frontal em comparação com sua antecessora, mas mais importante, ela invade o território da placa terminal na superfície superior, criando mais uma curvatura.

No lado inferior, a parede interna da placa terminal rouba de volta parte desse espaço para que o fluxo sob essa seção da asa permaneça relativamente inalterado. Essas mudanças irão alterar a forma como as estruturas de pressão, fluxo de ar e vórtice se formam naquela região, mas será fascinante ver a parte inferior da asa, quando possível, nas próximas corridas para realmente ver os vários pontos de inflexão.

A intenção geral desta mudança é clara: alterar a turbulência criada pelo pneu dianteiro e melhorar o desempenho do carro. Mas também se trata de melhorar a forma como o fluxo de ar é empurrado através e ao redor dos pneus dianteiros. Isso é particularmente importante quando consideramos como a deformação do pneu pode desestabilizar essas estruturas de fluxo de ar, reduzindo o desempenho geral do carro.

Essas alterações foram feitas para tentar melhorar a sensibilidade do RB16 sob certas condições, mas reduzindo o desempenho máximo absoluto do carro como consequência.

Manter o resfriamento sob pressão

Red Bull Racing RB16 cooling

Red Bull Racing RB16 cooling

Photo by: Giorgio Piola

Uma atualização interessante chegou no último dia de testes de pré-temporada, quando a Red Bull adicionou um painel totalmente novo na região de transição ao redor da cauda do halo. Embora a entrada em si seja digna de nota, já que normalmente esta região é reservada para saídas, o outro aspecto da mudança de design a ser notado é a seção em rampa mais longa (seta branca). A entrada tende a desaparecer quando a temperatura da pista diminui, mas o comprimento da carroceria permanece inalterado.

Isso parecia ser um esforço para adicionar suporte de resfriamento adicional para a unidade de potência da Honda e seus acessórios, mas mais modificações foram feitas - então está claro que isso é parte de um esquema mais amplo da equipe para melhorar o fluxo aerodinâmico ao longo e ao redor das cápsulas laterais também.

Red Bull Racing RB16 cooling

Red Bull Racing RB16 cooling

Photo by: Giorgio Piola

Isso tem sido apoiado, quando necessário, por uma saída adicional em uma região habilmente posicionada dentro da estrutura do halo. Isso não apenas ejetará calor da cápsula lateral em uma região menos aerodinamicamente sensível em comparação com a solução usada na temporada passada (entrada), mas também tira parte da responsabilidade da saída de resfriamento principal na parte traseira do carro.

Ele também permanece aberto no carro mesmo quando a equipe opta por não usar a entrada adicional, estabelecendo ainda mais seu papel na evacuação de calor das cápsulas laterais, em vez de ser apenas considerado um circuito de fluxo de ar.

Isso também permitiu que a equipe fizesse algumas mudanças sutis no contorno das cápsulas laterais e no tamanho e posição das saídas de resfriamento traseiras nas últimas corridas também, melhorando sua produção aerodinâmica interna e externamente.

Mudanças na traseira

Red Bull Racing RB16 rear wing comparison

Red Bull Racing RB16 rear wing comparison

Photo by: Giorgio Piola

A equipe também produziu uma série de diferentes configurações de asa traseira, com vários níveis de downforce e arrasto normalmente adequados às características da pista. Embora durante a difícil fase de abertura da temporada, especialmente quando há pouca quantidade de peças disponíveis, vimos essas peças trocadas entre os dois pilotos em busca do equilíbrio ideal.

The car of Alexander Albon, Red Bull Racing RB16

The car of Alexander Albon, Red Bull Racing RB16

Photo by: Mark Sutton / Motorsport Images

Alexander Albon, Red Bull Racing RB16

Alexander Albon, Red Bull Racing RB16

Photo by: Charles Coates / Motorsport Images

A Red Bull acrescentou asas adicionais na pilha central do difusor no segundo teste de pré-temporada (seta vermelha, imagem à esquerda) e um par de asas atrás da perna traseira do braço da suspensão inferior foram adicionados na Áustria (seta branca).

Eles provavelmente estão atuando como mais um papel de apoio para a suspensão traseira inferior e carenagens do eixo de transmissão (setas vermelhas, imagem à direita), que são empilhados em série e angulados para cima para ajudar a influenciar o fluxo na parte traseira do carro e melhorar a extração do difusor.

Para locais de força descendente mais alta, a equipe não tem apenas a usual asa T superior disponível, mas também uma inferior (seta azul, imagem à esquerda), que é cuidadosamente moldada para funcionar em conjunto com a perna superior do triângulo e a forma da saída de resfriamento.

Ainda se esforçando para pegar aquelas Mercedes...

O RB16 certamente parece estar em um lugar muito melhor do que estava apenas algumas corridas atrás, mas a busca por mais desempenho continua acelerada tanto para a Red Bull quanto para a Honda, que buscam obter a vantagem clara que a Mercedes ainda possui sobre eles e o resto do grid.

Confira algumas das fotos impressionantes que nossos fotógrafos foram capazes de capturar ao longo das primeiras seis corridas que resumem o tecnicismo do RB16.

Alexander Albon, Red Bull Racing RB16

Alexander Albon, Red Bull Racing RB16
1/14

Foto de: Steven Tee / Motorsport Images

Alexander Albon, Red Bull Racing RB16

Alexander Albon, Red Bull Racing RB16
2/14

Foto de: Steven Tee / Motorsport Images

Max Verstappen, Red Bull Racing RB16

Max Verstappen, Red Bull Racing RB16
3/14

Foto de: Glenn Dunbar / Motorsport Images

Max Verstappen, Red Bull Racing RB16

Max Verstappen, Red Bull Racing RB16
4/14

Foto de: Steven Tee / Motorsport Images

Sparks fly from Alex Albon, Red Bull Racing RB16

Sparks fly from Alex Albon, Red Bull Racing RB16
5/14

Foto de: Charles Coates / Motorsport Images

Red Bull Racing RB16 front suspension detail

Red Bull Racing RB16 front suspension detail
6/14

Foto de: Mark Sutton / Motorsport Images

Alex Albon, Red Bull Racing RB16

Alex Albon, Red Bull Racing RB16
7/14

Foto de: Steven Tee / Motorsport Images

Alex Albon, Red Bull Racing RB16

Alex Albon, Red Bull Racing RB16
8/14

Foto de: Charles Coates / Motorsport Images

Alex Albon, Red Bull Racing RB16

Alex Albon, Red Bull Racing RB16
9/14

Foto de: Glenn Dunbar / Motorsport Images

Red Bull Racing RB16 rear wing endplate

Red Bull Racing RB16 rear wing endplate
10/14

Foto de: Giorgio Piola

The Alexander Albon Red Bull Racing RB16 is worked on in the team's pit garage

The Alexander Albon Red Bull Racing RB16 is worked on in the team's pit garage
11/14

Foto de: Mark Sutton / Motorsport Images

Max Verstappen, Red Bull Racing RB16, floor

Max Verstappen, Red Bull Racing RB16, floor
12/14

Foto de: Giorgio Piola

Red Bull Racing RB16 front suspension

Red Bull Racing RB16 front suspension
13/14

Foto de: Giorgio Piola

Red Bull Racing RB16 side

Red Bull Racing RB16 side
14/14

Foto de: Giorgio Piola

Com Senna na ‘pole’, lista dos mais rápidos da F1 tem Prost só em 20º e ‘zebras’ polêmicas

PODCAST: O que resta para Massa no automobilismo após sair de sua equipe na F-E?

 

F1: McLaren diz que “não desistirá” de luta pelo terceiro lugar no Mundial de Construtores

Artigo anterior

F1: McLaren diz que “não desistirá” de luta pelo terceiro lugar no Mundial de Construtores

Próximo artigo

Lendário projetista: Enzo Ferrari trataria saída de Vettel com mais respeito

Lendário projetista: Enzo Ferrari trataria saída de Vettel com mais respeito
Carregar comentários

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Equipes Red Bull Racing
Autor Matthew Somerfield