Brown: o sucesso da F1 nos EUA não depende de piloto ou equipe americana

Zak Brown não acredita que o sucesso da Fórmula 1 nos Estados Unidos dependa de um piloto ou equipe americana, mas ele “adoraria ver isso acontecer”

Zak Brown, CEO, McLaren Racing

Fórmula 1 está cada vez mais aumentando da popularidade nos Estados Unidos, com três corridas americanas anunciadas no calendário para 2023, quando Las Vegas se junta a Austin e Miami.

Mas já se passaram mais de 15 anos desde que um americano foi piloto titular na categoria. Um esforço recente da Red Bull para garantir ao piloto da Indy, Colton Herta, uma vaga na AlphaTauri para o próximo ano, fracassou, já que a FIA não estava disposta a conceder a ele uma isenção para uma superlicença.

Leia também:

O CEO da McLaren, Zak Brown, disse que, embora ter um piloto americano e uma equipe norte-americana no grid seria ótimo para a F1, ele sentiu que eles não são essenciais para a popularidade da categoria nos Estados Unidos, em função da onda de popularidade.

“Acho que seria ótimo que os dois acontecessem, a F1 ganharia ainda mais destaque aqui", disse Brown em Laguna Seca no início deste mês.

“Mas não temos nenhum dos dois hoje e veja como a Fórmula 1 é popular agora na América.

“Então, eu adoraria ver isso acontecer, mas não acho que tenha que acontecer. Porque a Fórmula 1 está em alta hoje sem isso".

Fãs no terraço do Hard Rock Stadium

Fãs no terraço do Hard Rock Stadium

Photo by: Mark Sutton / Motorsport Images

A decisão de negar a Herta uma superlicença, apesar de seu histórico na IndyCar, levou a críticas ao sistema da FIA de pessoas inseridas no círculo de corridas americano.

Alexander Rossi, que fez cinco aparições na F1 pela Manor em 2015, disse que a “ganância” das decisões anteriores em torno da elegibilidade da superlicença custou a Herta sua chance legítima de mudar para a F1.

O próprio Brown apontou a necessidade de reforma, observando que o atual campeão mundial Max Verstappen e o vencedor do título de 2007 Kimi Raikkonen teriam a promoção para a F1 negadas pelo sistema existente.

Junto com Herta tentando fazer a transição, sua equipe da IndyCar, Andretti, vem trabalhando para garantir uma nova entrada no grid da F1 no futuro, mas vem enfrentando a oposição de muitas das equipes existentes.

A McLaren sempre foi a favor de adicionar Andretti ao grid, mas Brown sentiu que muitas das outras equipes foram “muito míopes e pensam no que é apenas de seu interesse no curto prazo”.

Brown acrescentou: “Pensamos um pouco diferente. Acho que alguém como Andretti poderia ajudar a fazer o esporte crescer. O que podemos perder no curto prazo compartilhando prêmios em dinheiro voltará para nós com mais classificações de TV, mais patrocínio da América do Norte etc.

“É um punhado de equipes que estão tentando proteger sua própria renda e não veem o quadro geral”, finalizou o CEO da McLaren.

De Vries na AlphaTauri? Nova REVIRAVOLTA agita MERCADO da F1 e pode 'desbloquear' dança das cadeiras

Podcast #196 - Após recorde, qual Alonso ficará para a história da F1?

 

ACOMPANHE NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

Faça parte da comunidade Motorsport

Join the conversation
Artigo anterior F1: Hamilton sobre aposentadoria: "Eu amo o que estou fazendo e não pretendo parar tão cedo"
Próximo artigo F1: Tsunoda tem o necessário para liderar AlphaTauri?

Principais comentários

Cadastre-se gratuitamente

  • Tenha acesso rápido aos seus artigos favoritos

  • Gerencie alertas sobre as últimas notícias e pilotos favoritos

  • Faça sua voz ser ouvida com comentários em nossos artigos.

Motorsport prime

Descubra conteúdo premium
Assinar

Edição

Brasil Brasil