Entenda como nova fábrica da Aston Martin pode levar equipe ao topo da Fórmula 1

Escuderia britânica pretende inaugurar centro de operações no fim de 2022, em um investimento de mais de R$ 1 bilhão de Lawrence Stroll

Entenda como nova fábrica da Aston Martin pode levar equipe ao topo da Fórmula 1

Após um atraso de dois anos imposto pela Covid-19, a cerimônia de inauguração nova fábrica da Aston Martin na Fórmula 1 e um campus de última geração marcará um momento importante para a equipe. Com o proprietário Lawrence Stroll deixando claras suas ambições elevadas de ser o vencedor do campeonato mundial nos próximos três a cinco anos, ele entende que a escuderia não poderia continuar como estava.

Ainda operando nas instalações de Silverstone que originalmente abrigavam a Jordan em 1991, a crescente dependência de escritórios temporários deixou a montadora em um estado não mais adequado. Como resultado, Stroll assinou um ambicioso plano com um novo QG de operações a ser construído no terreno que ele adquiriu ao redor das instalações atuais. Isso inclui fábrica, túnel de vento, centro de conferências, auditório, departamento de patrimônio e outros.

Leia também:

Além de ser totalmente sustentável, o local terá instalações 5G de última geração e a tecnologia mais recente para garantir que a Aston Martin possa estar na vanguarda dos avanços mais recentes. Com um custo final estimado entre £ 150 milhões - £ 200 milhões (cerca de R$ 1,09 a 1,46 bilhões), espera-se que a equipe seja capaz de se mudar no final de 2022 ou no início de 2023.

A fábrica será a primeira construída a partir do zero na F1 desde que o Centro de Tecnologia McLaren foi inaugurado em 2004, mas enquanto o famoso MTC foi apresentado na visão de Ron Dennis como uma declaração de intenções verdadeiramente espetacular da organização de Woking, há um certo argumento de que seja mais beleza, e não função.

Embora ainda pareça incrível, foi citado como tendo uma atmosfera às vezes vazia por dentro e às vezes lutou para se adaptar às necessidades em rápidas mudanças de uma categoria moderna e operação automotiva, apesar de seu imenso tamanho.

Stroll vê sua visão para o campus da Aston Martin como o completo oposto - de um lugar projetado não porque parece bom, mas porque oferece exatamente o que a equipe precisa.

Isso significa melhor comunicação, processos acelerados para impulsionar o desenvolvimento de carros e uma instalação grande o suficiente para os 1000 funcionários que o proprietário espera ter nos próximos anos.

Aston Martin Campus

Aston Martin Campus

Photo by: Aston Martin Racing

Falando sobre a nova fábrica para uma mídia selecionada, Stroll disse: "Este é o reverso do que Ron Dennis fez com [o arquiteto] Norman Foster, o Centro de Tecnologia McLaren. Isto são fábricas e um campus, adequado em um propósito para combinar com o DNA e a cultura de nós mesmos, de nossa história."

"O motivo pelo qual foi construído é a capacidade de ser eficiente e simplificado. Isso leva em consideração as novas regras financeiras e também onde acreditamos que esse esporte estará no futuro."

Stroll é claro sobre a dependência de uma nova estrutura para que a Aston Martin acompanhe o progresso que ele que ver: "Com a fábrica atual, teria sido realmente difícil. No momento, estamos adicionando esses escritórios temporários, pequenos prédios que você constrói no chão para abrigar a força de trabalho em constante crescimento que temos."

"A comunicação não é das melhores porque todos estão deslocados em vários pontos. Então, a melhoria nesse aspecto e no desenvolvimento da pesquisa, no design, era uma necessidade. Não poderíamos continuar a crescer para o número de funcionários que quero atingir com as instalações existentes."

Além dos benefícios claros que o proprietário vê para a Aston Martin, o investimento reforça o quão comprometido ele está com o projeto da F1: "Este é um investimento de longo prazo. Sem ofensa aos meus antecessores, mas nenhum deles tem minha história ou os sucessos que obtive."

"Estou claramente apaixonado por isso, é uma ótima oportunidade de negócio. Eu vejo a Fórmula 1 como um valor para cada equipe individual significativamente em alta nos anos que virão."

"Não é diferente de nenhum outro ativo esportivo, se você olhar para um time de futebol americano da NFL, por exemplo. Dez anos atrás, valeria um bilhão de dólares, mas hoje você não pode comprar uma franquia por menos de quatro ou cinco."

"É algo com que pretendo me envolver, porque ainda sou um jovem e acredito que serei por muitos anos. Você não faz esse tipo de investimento de qualquer maneira."

Otmar Szafnauer, Team Principal and CEO, Aston Martin F1, Anthony Bamford, chairman of JCB, and Lawrence Stroll, Owner, Aston Martin F1

Otmar Szafnauer, Team Principal and CEO, Aston Martin F1, Anthony Bamford, chairman of JCB, and Lawrence Stroll, Owner, Aston Martin F1

Photo by: Glenn Dunbar / Motorsport Images

Enquanto a era da F1 da Liberty Media será definida por suas tentativas de nivelar o grid em termos de finanças e desempenho, Stroll deixa claro que ainda não há um caminho de preços reduzidos para chegar à frente. Se você quer sair por cima na F1, precisa abrir os cofres.

"Acho que o dinheiro sempre fala muito alto, não é? E vai continuar", comentou o canadense. "Todos nós sabemos sobre o limite do orçamento e também somos muito realistas em relação a todas essas exclusões não incluídas no teto."

"Para nós, este campus estava muito atrasado. Mais uma vez, a Covid-19 nos custa dois anos, senão já estaria concluído ou muito próximo. Para vencer, e é para isso que estou aqui, essa ferramenta é 100% necessária."

"Necessita da liderança e visão certas, que acredito que trago. Requer boas finanças para poder pagá-lo, os melhores profissionais do setor e os melhores processos."

"Já temos muitas pessoas excelentes, mas isso também é entregar as ferramentas e os processos para recrutar aqueles que não estão com a gente. Além disso, posso dar-lhes a minha orientação de gestão sênior para realizar todos os nossos sonhos", concluiu.

Saiba como F1 na BAND vem AMEAÇANDO GLOBO e quais GPs de MAIOR e MENOR audiência em 2021

Assine o canal do Motorsport.com no Youtube

Os melhores vídeos sobre esporte a motor estão no canal do Motorsport.com. Inscreva-se já, dê o like (joinha) nos vídeos e ative as notificações, para sempre ficar por dentro de tudo o que rola em duas ou quatro rodas.

PODCAST: Caótico GP da Itália acirra ainda mais rivalidade Hamilton x Verstappen na F1

 

SIGA NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

compartilhar
comentários
F1: Albon não terá dados completos de motor Mercedes na Williams; entenda

Artigo anterior

F1: Albon não terá dados completos de motor Mercedes na Williams; entenda

Próximo artigo

VÍDEO: Saiba quais GPs tiveram a melhor e a pior audiência da F1 na Band

VÍDEO: Saiba quais GPs tiveram a melhor e a pior audiência da F1 na Band
Carregar comentários