F1: Alonso deixa Alpine e assina com Aston Martin para correr a partir de 2023

Com isso, Oscar Piastri ganha grande possibilidade de ser companheiro de Esteban Ocon na Alpine na próxima temporada

F1: Alonso deixa Alpine e assina com Aston Martin para correr a partir de 2023
Carregar reprodutor de áudio

Fernando Alonso se juntará à Aston Martin em um contrário de vários anos a partir da temporada de Fórmula 1 de 2023.

O bicampeão mundial deixará a Alpine no final da temporada para estar com a Aston Martin, atuando como a mais recente bomba no mercado de pilotos de F1.

Leia também:

Alonso substituirá o aposentado Sebastian Vettel e abre um assento com a Alpine que deve ser ocupado por Oscar Piastri.

Alonso disse no domingo, após o GP da Hungria, que estava confiante de que seu futuro seria costurado quando a F1 voltasse de suas férias de verão no final de agosto.

Mas uma rápida conclusão das negociações com a Aston Martin agora significa que ele abandonará o atual time e se unirá à equipe britânica de Lawrence Stroll para 2023 e além.

“A Aston Martin está claramente aplicando energia e compromisso para vencer e, portanto, é uma das equipes mais emocionantes da Fórmula 1 hoje”, disse Alonso em comunicado.

“Conheço Lawrence e Lance há muitos anos e é muito óbvio que eles têm a ambição e a paixão de ter sucesso na Fórmula 1. Observei como a equipe atraiu sistematicamente grandes pessoas com pedigrees vencedores e percebi o enorme compromisso com as novas instalações e recursos em Silverstone.

“Ninguém na F1 hoje está demonstrando uma visão maior e compromisso absoluto com a vitória, e isso faz com que seja uma oportunidade realmente empolgante para mim. Ainda tenho fome e ambição de lutar para estar na frente e quero fazer parte de uma organização comprometida em aprender, desenvolver e ter sucesso.”

Fernando Alonso, Alpine A522, Sebastian Vettel, Aston Martin AMR22

Fernando Alonso, Alpine A522, Sebastian Vettel, Aston Martin AMR22

Photo by: Mark Sutton / Motorsport Images

A notícia também vem menos de 24 horas depois que o chefe da Alpine F1, Otmar Szafnauer, expressou confiança de que Alonso permaneceria na equipe em 2023 e além, prevendo que as conversas seriam “muito diretas”.

Alpine vem tentando há algum tempo encontrar um lugar para o piloto reserva Piastri, e parecia pronto para emprestá-lo à Williams no próximo ano.

Mas a saída de Alonso agora significa que Piastri parece pronto para se juntar a Esteban Ocon na equipe a partir de 2023.

Alonso voltará a se unir a Martin Whitmarsh na Aston Martin, com quem trabalhou na McLaren em 2007. Aos 41 anos, parece ser uma das mudanças finais de Alonso na F1, mas o acordo de vários anos funciona como um sinal de seu compromisso para continuar correndo.

Stroll adquiriu a Aston Martin em 2019, quando era conhecida como Racing Point, antes de renomeá-la sob o nome do fabricante britânico para 2021.

Um investimento significativo está em andamento nas instalações de Silverstone, estabelecendo um plano de cinco anos para lutar por campeonatos mundiais.

A equipe atualmente ocupa o nono lugar no campeonato, mas Alonso se sentiu confiante de que era o lugar certo para estar se quisesse vencer novamente na F1.

“A paixão e o desejo de atuar que testemunhei me convencem a manter meu prazer e compromisso com o esporte”, disse Alonso.

“Pretendo vencer novamente neste esporte e, portanto, tenho que aproveitar as oportunidades que me parecem certas.”

Os melhores vídeos sobre esporte a motor estão no canal do Motorsport.com. Inscreva-se já, dê o like ('joinha') nos vídeos e ative as notificações para ficar por dentro de tudo o que rola em duas ou quatro rodas.

Podcast #187 – Marko está certo ao colocar Verstappen como “a maior história de sucesso da Red Bull”?

 

ACOMPANHE NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

compartilhar
comentários
F1: Binotto não vê motivo para mudanças na Ferrari durante férias de verão
Artigo anterior

F1: Binotto não vê motivo para mudanças na Ferrari durante férias de verão

Próximo artigo

ANÁLISE: O que a saída de Alonso da Alpine significa para o mercado de pilotos da F1

ANÁLISE: O que a saída de Alonso da Alpine significa para o mercado de pilotos da F1