Fórmula 1 GP do Canadá

F1: Batalha com Hamilton fez Alonso pilotar 70 voltas do GP como "se estivesse na classificação"

Bicampeão precisou lidar com problema no freio traseiro do carro na reta final da corrida

Fernando Alonso, Aston Martin AMR23

Fernando Alonso considera que passou todo o GP do Canadá de Fórmula 1 como se estivesse na "classificação" e que não teve tempo para "relaxar" tentando evitar uma aproximação de Lewis Hamilton e uma possível batalha com o piloto da Mercedes pelo segundo lugar.

Leia também:

No começo da prova, na Curva 1, o representante da Aston Martin perdeu a posição de largada para Hamilton, que era terceiro naquela ocasião, e, mais tarde, foi obrigado a pisar brevemente nos freios na primeira rodada de pit stops, quando o carro do 44 foi liberado no pit lane de forma perigosa e quase acertou o número 14. Esse incidente foi revisado, mas nenhuma penalidade foi aplicada pelos comissários.

Na sequência, Alonso recuperou sua posição inicial com a ajuda do DRS ao ultrapassar seu ex-companheiro de equipe de McLaren na chicane final durante a volta 22. Hamilton chego a baixar o tempo de gap em relação ao espanhol, mas Fernando voltou a abrir uma vantagem segura para garantir seu P2.

Devido à ameaça da Mercedes, Alonso disse que não houve "uma volta em que eu pudesse relaxar um pouco" no que ele considerou ser uma "batalha incrível". O bicampeão acrescentou que, durante toda a corrida, ele pilotou como se fosse uma "classificação".

Ele disse: "Acho que esperávamos desafiar um pouco mais a Red Bull, mas perdemos um lugar na largada para Lewis. Depois, foi uma briga com a Mercedes e Lewis estava pressionando durante toda a corrida, então não tive uma volta em que pudesse relaxar um pouco. Então, foi uma batalha incrível."

Fernando Alonso, Aston Martin AMR23

Fernando Alonso, Aston Martin AMR23

Photo by: Glenn Dunbar / Motorsport Images

Alonso considerou que a balança de desempenho tinha oscilado a favor de Hamilton à medida que a corrida avançava, com o Mercedes W14 demorando para atingir seu ritmo em comparação com o AMR23 recém-atualizado, que foi mais rápido desde o início.

Ele continuou: "No começo, eu tinha um pouco mais de ritmo. No final, acho que Lewis tinha um pouco mais de ritmo. Eu estava com dificuldades. Foi uma corrida muito exigente, fiz todas as 70 voltas de qualificação de hoje."

Alonso acrescentou que, para a próxima corrida, o GP da Áustria, no início de julho, o objetivo da equipe seria "colocar mais pressão sobre Max", depois que a Aston o instruiu a relaxar no final da corrida, ajudando Verstappen a vencer por 9s57 de vantagem.

Alonso disse: "Senti que o carro estava bom. Mas eu estava apenas seguindo as instruções. Então, espero que isso signifique que temos um pouco mais de ritmo. Então, na próxima corrida, colocaremos mais pressão sobre Max."

PÓDIO AO VIVO: Versappen vence sem problemas no Canadá e iguala marca de Senna

VÍDEO: Rico Penteado abre o jogo sobre Michael Schumacher

Quer fazer parte de um seleto grupo de amantes de corridas, associado ao maior grupo de comunicação de esporte a motor do mundo? CLIQUE AQUI e confira o Clube de Membros do Motorsport.com no YouTube. Nele, você terá acesso a materiais inéditos e exclusivos, lives especiais, além de preferência de leitura de comentários durante nossos programas. Não perca, assine já!

Podcast #234 – Aston, Ferrari ou Mercedes? Quem se garante como segunda força da F1 em 2023?

 
 

ACOMPANHE NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

Faça parte da comunidade Motorsport

Join the conversation
Artigo anterior F1: Hamilton "honrado" em estar no pódio em circuito desfavorável para Mercedes
Próximo artigo Da China ao Canadá: as 100 vitórias da Red Bull na F1

Principais comentários

Ainda não há comentários. Seja o primeiro a comentar.

Cadastre-se gratuitamente

  • Tenha acesso rápido aos seus artigos favoritos

  • Gerencie alertas sobre as últimas notícias e pilotos favoritos

  • Faça sua voz ser ouvida com comentários em nossos artigos.

Motorsport prime

Descubra conteúdo premium
Assinar

Edição

Brasil