Análise
Fórmula 1 GP da Grã-Bretanha

F1: Como seria o 2024 da McLaren sem os erros das últimas corridas?

Saiba como ficaria a situação do campeonato caso equipe não tivesse errado em Mônaco, Canadá, Espanha, Áustria e Silverstone

Lando Norris, McLaren MCL38, in the pits

A McLaren estaria apenas alguns pontos atrás da Red Bull em uma batalha épica pelo título da Fórmula 1 em 2024, se tivesse evitado erros e convertido as chances de vitória perdidas na primeira metade da temporada.  

O GP da Grã-Bretanha do fim de semana passado marcou a 12ª das 24 corridas da temporada atual, com Max Verstappen e Red Bull liderando os dois campeonatos que venceram nos últimos dois anos, ou três no caso do holandês no campeonato de pilotos. 

A Red Bull está atualmente 71 pontos à frente da Ferrari na classificação de construtores, com a McLaren em terceiro, sete pontos atrás. 

Leia também:

Mas a equipe laranja está atualmente refletindo sobre outra vitória perdida nesta temporada, após o triunfo de Lewis Hamilton pela Mercedes em uma corrida que a McLaren liderou. 

Perdeu esta posição no seco-molhado-seco devido a três erros críticos de pitstop: a equipe não colocou Oscar Piastri atrás de Lando Norris nas primeiras paradas e depois colocou pneus macios e não médios no carro de Norris em seu segundo serviço, em que parou além das marcas de pitbox e o atraso resultante essencialmente fez a diferença para Hamilton voltar à frente. 

O chefe da equipe, Andrea Stella, disse depois que “os ‘quase’ são, antes de tudo, um ponto de vista de boas notícias”. 

“Não tivemos esse tipo de quase até 12 meses atrás”, acrescentou. “E antes de tudo, precisamos olhar para os aspectos positivos. Precisamos olhar para o fato de que a equipe está em condições de ficar frustrada [depois de Silverstone] porque estamos em terceiro lugar no pódio com o outro piloto em quarto. E mais uma vez o time marcou mais pontos, certo? 

“Portanto, se não começarmos pelo lado positivo, pelo lado da construção, seremos nós que ‘construímos e destruímos, construímos e destruímos’ e ficaremos sempre no mesmo nível.” 

Embora seja verdade que o desempenho anual da McLaren em relação à Red Bull e aos outros líderes é enormemente melhor após seus consistentes ganhos de atualização desde junho de 2023, se as coisas tivessem acontecido em apenas cinco corridas nesta temporada, ela poderia possuir seis e não uma vitória – o triunfo de Norris em Miami. 

As corridas em que os erros da McLaren – grandes ou pequenos – fizeram uma diferença crítica são: Mônaco, Canadá, Espanha, Áustria e Silverstone. Neste último caso, existem dois resultados teóricos diferentes se ele tivesse evitado um ou ambos os erros de pitstop. 

Em Mônaco, se Piastri tivesse reunido todos os seus melhores setores no final do Q3, ele teria liderado o eventual vencedor Charles Leclerc no grid, com a vitória no GP praticamente garantida. 

Norris poderia ter vencido novamente no Canadá sem ficar de fora uma volta extra em sua tentativa de ultrapassar George Russell e Verstappen após sua infeliz perda de tempo no safety car, já que a diferença que ele precisava estava lá por um breve momento. 

Em Barcelona, os pitstops lentos para Norris e o britânico sentindo que ele pressionou um pouco demais, muito cedo em seu último stint atrás de Verstappen fizeram a diferença mais do que a rápida largada de Russell muito antes. 

Na Áustria, Norris poderia ter vencido Verstappen sem a batida, pela qual o piloto da McLaren foi considerado parcialmente, mas não “predominantemente” culpado pelos comissários, como Verstappen foi, além de considerar suas violações dos limites da pista.

Lando Norris, McLaren F1 Team, 3rd position, in Parc Ferme

Lando Norris, McLaren F1 Team, 3rd position, in Parc Ferme

Photo by: Simon Galloway / Motorsport Images

Supondo que a McLaren tivesse aproveitado todas essas chances e nada mais mudasse na ordem de chegada, o campeonato de construtores mudaria com base neste modelo. 

A Red Bull permaneceria em primeiro, mas seu total cairia de 373 pontos para 364, com a McLaren em segundo lugar com 351 – apenas uma diferença de 13 pontos entre eles. 

A Ferrari cairia para terceiro, 55 pontos atrás, com a posição da Mercedes em quarto inalterada, mas apenas ligeiramente reduzida (214 em vez de 221). 

Se a McLaren tivesse feito a dobradinha em Silverstone – assumindo que Norris terminou à frente de Piastri conforme sua ordem antes dos primeiros pit stops – a diferença para a Red Bull seria próxima de apenas quatro (361 vs 357), com o total da Mercedes caindo ainda mais para 211. 

Aplicando as mesmas suposições para essas corridas e seus resultados teóricos à classificação dos pilotos, Verstappen ainda estaria na frente, mas Norris estaria apenas 26 pontos atrás, em segundo, em vez de 84. 

A título de comparação, na metade da temporada de 2021, Hamilton liderava Verstappen por apenas oito pontos. 

Mas voltando à alternativa 2024 e o campeão mundial também poderá ter cinco vitórias em vez de sete, com Norris quatro, Piastri uma e Leclerc privado da sua única vitória desde 2022. 

HAMILTON VOLTA AO TOPO: Lewis ERRA ao trocar MERCEDES por FERRARI? Lando JOGOU FORA P1? Pérez 'FORA'

Faça parte do Clube de Membros do Motorsport.com no YouTube

Verstappen x Norris: nasce uma nova guerra na Fórmula 1? Ouça debate

 

ACOMPANHE NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

Faça parte do nosso canal no WhatsApp: clique aqui e se junte a nós no aplicativo!

Faça parte da comunidade Motorsport

Join the conversation
Artigo anterior RETA FINAL: Hamilton volta ao topo, mas erra ao ir para a Ferrari?
Próximo artigo F1: Ex-diretor técnico da Ferrari, Cardile é confirmado pela Aston Martin para 2025

Principais comentários

Cadastre-se gratuitamente

  • Tenha acesso rápido aos seus artigos favoritos

  • Gerencie alertas sobre as últimas notícias e pilotos favoritos

  • Faça sua voz ser ouvida com comentários em nossos artigos.

Motorsport prime

Descubra conteúdo premium
Assinar

Edição

Brasil Brasil