F1: Ex-presidente da Ferrari elogia Binotto, mas diz que dirigir a Ferrari é "uma história diferente"

O ex-presidente Luca di Montezemolo explicou que Mattia Binotto é "um excelente diretor técnico, mas comandar a Ferrari F1 é uma história diferente"

Mattia Binotto, Team Principal, Ferrari

A temporada 2022 da Fórmula 1 trouxe de volta o efeito solo e isso fez com que as cartas do grid fossem embaralhadas, com o claro exemplo da Mercedes, que desde o início da era híbrida dominava, mas que este ano ficou de fora da batalha por vitórias e títulos.

Leia também:

Do outro lado da balança está a Ferrari, que depois de várias campanhas sem ter chances de vencer corridas ou campeonatos, começou a temporada com o melhor pacote do grid, tanto em desempenho quanto em confiabilidade, vencendo as primeiras corridas do percurso e se tornando favorita aos títulos dos campeonatos.

No entanto, isso mudou à medida que a temporada progrediu e a Red Bull virou a situação de forma alarmante para a equipe de Maranello, o que também contribuiu para essa mudança de cenário com erros que facilitaram a vida de seu grande rival.

Charles Leclerc, Ferrari F1-75

Em entrevista ao jornal esportivo francês L'Equipe, Luca di Montezemolo, ex-presidente da Ferrari, falou sobre a situação da Scuderia e o papel que Mattia Binotto, como chefe de equipe, está desempenhando atualmente.

Quando questionado sobre os erros contínuos da equipe italiana, o veterano de 75 anos disse que na lupa da Fórmula 1, o que acontece na garagem da equipe vermelha sempre se destaca mais, para melhor ou para pior.

"No meu tempo também cometemos erros, como Mercedes ou Red Bull fizeram. Mas a Ferrari está muito mais na atenção da mídia. E a Ferrari nunca é perdoada, porque é a Ferrari."

Referindo-se mais especificamente a Binotto, Montezemolo elogiou um dos aspectos do técnico suíço, mas expressou dúvidas sobre sua liderança para uma equipe como a Ferrari.

"Binotto é inteligente o suficiente para sempre proteger sua equipe. Ele recebe todas as críticas, ele é o escudo da equipe. Mas você tem que entender os erros e depois corrigi-los. Binotto é um excelente diretor técnico, mas gerenciar a Ferrari é uma história diferente " .

No entanto, o ex-presidente da Ferrari quis se distanciar de qualquer controvérsia quando lhe fizeram a pergunta-chave: A Scuderia precisa de outro diretor?: "Quem sou eu para dizer isso? A Ferrari é como a bandeira da Itália, é um monumento nacional. Antes de trazer o francês Jean Todt para Maranello em 1993, pensei muito nessa escolha e a mídia falou muito sobre isso. Se eu estivesse procurando um novo chefe, procuraria fora da Fórmula 1."

"A Fórmula 1 é algo muito especial. Você pode ser um bom gerente ou um bom homem de marketing, mas isso não garante o sucesso na categoria. Você tem que estar lá dia e noite e ser muito político para apoiar seu time. Tem que ser forte e manter sua equipe unida", disse Montezemolo explicando o que um gerente de equipe precisa em uma categoria como a F1.

BEBEDEIRA e ZOEIRA: Rubinho e Massa citam Kimi, Schumi e Alonso como PARÇAS. Mas quem são os CHATOS?

Podcast #196 - Após recorde, qual Alonso ficará para a história da F1?

 

ACOMPANHE NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

Faça parte da comunidade Motorsport

Join the conversation
Artigo anterior F1: Diretor técnico da Aston Martin diz que equipe se parece com a 'jovem' Red Bull
Próximo artigo F1: Ocon 'bate no peito' e alega que além dele apenas Hamilton conseguiu fazer melhor trabalho como companheiro de Alonso

Principais comentários

Cadastre-se gratuitamente

  • Tenha acesso rápido aos seus artigos favoritos

  • Gerencie alertas sobre as últimas notícias e pilotos favoritos

  • Faça sua voz ser ouvida com comentários em nossos artigos.

Motorsport prime

Descubra conteúdo premium
Assinar

Edição

Brasil Brasil